Faithlife Sermons

Anotações da Aula de Lucas-Atos (Kevin Bradford)

Mestrado  •  Sermon  •  Submitted
0 ratings
· 3 views

Anotações das aulas do mestrado em Teologia e Exposição Bíblica

Notes
Transcript

Contato

profkevin@hotmail.com

Introdução

Abordagem escolhida é a partir de uma Teologia Bíblica, ou seja, olhar para os escritos de Lucas em seu contexto e compreender a sua preocupação e não olha para o todo buscando coerências, este é o papel da Teologia Sistemática.
Assim não há uma preocupação com as categorias definidas como doutrinas centrais trabalhadas na Teologia Sistemática, de modo que olhamos para o autor em seu contexto e é fácil observar temas distintos daqueles sistematizados que foram gerados pela situação do autor.
Lucas não está preocupado com as doutrinas centrais que foram definidas e necessárias na história da igreja, mas uma preocupação pastoral olhando para a sua comunidade. Assim podemos ver alguns temas que se destacam em Lucas e os principais podem ser:
· Oração
· Mulheres
· Marginalizados
· Riquezas
Há uma relação profunda e importante quando relacionamos exegese, Teologia Bíblica e Teologia Sistemática.
A exegese busca o significado do texto em seu contexto cultural, linguístico histórico e literário, essa etapa pode ser bem desenvolvida até mesmo por descrentes, alguns dos bons comentários são escritos por descrente. Pessoas que passaram suas vidas olhando para o escrito e seu significado focando no autor e seus leitores.
A Teologia Bíblica é construída fundamentada na exegese. Ela se preocupa com os temas desenvolvidos pelo autor com seus argumentos e esboço.
A Teologia Sistemática identifica os temas nos diversos livros fazendo a relação dos livros e sua coerência, sua ênfase não está nos autores, mas nos temas e o foco é a igreja.

Autor

A autoria de Lucas não tem sido questionada na história da igreja e mesmo hoje em dia parece que não há grandes dúvidas quanto a autoria de Lucas, apenas alguns trechos foram questionados recentemente nos últimos anos.
Ao olhar para o início do evangelho ele se distingue dos “muitos”, “testemunhas oculares”. Em Atos boa parte é escrito em terceira pessoa com alguns momentos em primeira pessoa e parece que é alguém que não faz parte das testemunhas, mas presenciou as viagens.

Fontes históricas para Lucas-Atos

Muitas podem ser as fontes desde pessoas que se envolveram desde o início até fontes escritas que ficavam em Antioquia.

Cronologia

Lucas provavelmente entra na história 20 a 30 anos depois que a igreja foi instituída. Assim Lucas provavelmente lida como a igreja sai dos judeus e chega aos gentios. Assim como mostrar a história da salvação e o progresso da igreja, mas um escrito mais tardio que vinha por causa da necessidade das igrejas que se tornavam cada vez mais gentílicas.
Havia a necessidade de registrar um escrito com as testemunhas oculares de Cristo que estavam no final de suas vidas, de modo a atender necessidades pastorais de sua comunidade. Havia a oposição e ameaça teológica dos judeus e posteriormente a oposição do governo imperial traz a necessidade de um registro que mostre como o evangelho chega aos gentios de modo legítimo como cumprimento das escrituras e serve de motivação a perseverança aos cristãos que sofriam com intensas perseguições.
A necessidade aparece entre 62 e 64 quando Paulo sai da prisão e Roma e incendiada intensificando a perseguição aos cristãos, de modo que o documento pode servir até mesmo como um “parecer” diante do tribunal romano.
Todas essas necessidades apontam para a necessidade de um novo evangelho, mesmo que outros já teriam sido escritos.

Propósito

Promover convicção sobre a história que já ouviram (Lc. 1.4)
Explicar a rejeição dos judeus e aceitação dos gentios
Ensinar sobre os fins dos tempos, qual a razão da demora?
Registro histórico confiável

Lucas como Historiador

Há diversos registros no evangelho de Lucas que tem o propósito de mostrar a evidência da salvação e a sua chegada na história. Por isso o evangelho tem inicio meio e fim, com riqueza de detalhes e é extremamente confiável e coerente.

Obra Independente

Diversas passagens sugerem que Lucas não dependia dos outros evangelhos ao dar notas bem distintas em narrativas, parábolas e até mesmo na narrativa da paixão. As preocupações e necessidades são distintas e ele tem sua própria ênfase.

Temas principais

Humanidade de Jesus

Lucas parece se preocupar mais com a humanidade de Jesus do que os outros evangelhos. Informações sobre o nascimento, circuncisão, apresentação. crescimento, genealogia e etc.

Espirito Santo

Desde o nascimento de Jesus, pessoas envolvidas, ministério, tentação e um espírito dado aos discípulos como promessa que se cumpre evidentemente em Atos.

Chiasmo em Lucas

Vemos alguns usos de quiasmos em Lucas entre os versos 1.68b-178-79 com q sequiencia
Visitação divina, salvação do povo, profetas de Deus, socorro dos inimigos Lemebrando a aliança dos pais.
Lembrando o juramento perante o patriarca, socorro dos inimigos, profeta de Deus, salvação para o povo e visitação divina.
A utilização deste recurso destaca o centro do quiasmo que nesse caso é o cumprimento da aliança de Deus com os patriarcas de Israel.

Seções Únicas em Lucas

Nascimento e juventude de Jesus (1.1-2.51)
4.16-31
7.36-8.3
23.6=12
Caminho a Emaús (24.9-53)
E um grande bloco do caminho a Jerusalém (9.51-18.14)

Plano de Deus

Ao olhar o inicio do evangelho de Lucas parece sugerir que era chegada a “plenitude dos tempos” em que Deus intervém na história humana. Ao destacar o cumprimento de fatos profetizados anteriormente (Lc. 1.1). Ele afirma que organizou os fatos que ocorreram para mostrar que Jesus é o cumprimento do que já fora aguardado desde os tempos da Antiga Aliança e Deus não perdera o controle.

Jesus Cumpre as Escrituras

Lucas destaca João Batista como o “mensageiro” que prepara o caminho para a chegada do messias com poder de Elias, por isso é o único evangelho que fala não apenas da origem de Jesus, mas também a origem de João, o Batista.
João e Jesus são colocados de modo paralelo em Lucas ao apresentar seus pais, um anúncio dos anjos, sinais, a reação das mulheres ao receber a notícia e a mensagem de Jesus e João, essa relação era tão próxima que algumas pessoas sugerem ao ver a obra de Jesus que João havia ressuscitado.
Lucas é o autor que mais usa a expressão “é necessário” ao falar dos cumprimentos na vida de Jesus daquilo que foi posta desde o Antigo Testamento.
Em sua vida Jesus cumpriu os profetas e a lei tanto quanto em sua morte. Assim como João Batista e outras pessoas e estes cumprimento continuam nos “últimos dias” instituídos por Cristo. Essa expectativa fazia parte da expectativa da igreja primitiva e a esperança de Paulo, por exemplo.

Outros cumprimentos destacados em Lucas

A rejeição por parte de Israel e a inclusão dos gentios e a justiça plena no final dos tempos com a consumação do Reino de Deus e o retorno do Rei.

Identidade de Jesus

Novo Rei

Lucas aborda o cumprimento de Jesus como o messias, chamado filho do altíssimo, SENHOR e o rei aguardado que é descendente de Davi como fora profetizado. (Lc 1.31-33)

Salvador, Cristo e SENHOR

Jesus é mais do que um grande rei, ele é o salvador aguardado, o Cristo ou messias esperado desde a Antiga Aliança e o SENHOR da igreja. (Lc 2.10-11)

Filho de Deus

Jesus é apresentado como o “Santo de Deus” e “filho de Deus” com uma filiação mais profunda intima da divindade. Sua relação e filiação é maior e mais profunda do que qualquer outra coisa que viera antes ou depois de Cristo. (Lc 4.34)

O Cristo de Deus

Na confissão de Pedro percebemos que ele e os discípulos identificam que Cristo é o messias aguardado o Cristo de Deus. (Lc 9.18-21)

O desenvolvimento da compreensão dos discípulos a respeito do Cristo

Na parte inicial do livro é evidente que a percepção da identidade de Jesus vem de Deus, anjos, demônios e Satanás, mas para o discípulo é um processo tendo seu ponto alto na declaração de Pedro (Lc 9.20).
Esse trecho marca uma transição no direcionamento do Evangelho segundo Lucas e introduz as características de um discípulo no grande trecho exclusivo de Lucas denominado “caminho de Jerusalém” em que ele ensina e envia os doze e os setenta e dois para fazer aquilo que o próprio Cristo fazia desenvolvendo sua própria percepção a respeito do Cristo e as implicações pessoais e ministeriais dessa decisões.
Essa identificação tomou proporções profundas em Atos, tudo era em nome de Cristo ele era o centro de todas as coisas.

Ações realizadas em nome de Cristo

Batismo
Salvação
Cura
Paz
Batismo no espírito
Correr risco de Vida
Exorcismo

O Profeta

Diversas passagens ele se identifica como um profeta, alguém semelhante a Elias e Eliseu, unção, poderoso em palavras e poderoso e um profeta a semelhança do grande profeta e legislador Moisés.

Filho do Homem

É um dos títulos preferidos de Jesus descrito por Lucas, ao contrário do que muitos de nós pensamos não se refere a humanidade de jesus, mas provavelmente um judeu se identificaria com o termo filho do homem descrito em Ezequiel ou Daniel que se refere a divindade e ao sofrimento do ungido de Deus.

Reino de Deus

Foi um tema pregado por todo o ministério terreno de Jesus.. Logo no inicio do seu ministério parece que foi sua prioridade (Lc 4.43). Essa pregação vinha acompanhada de milagres que autorizavam a mensagem, um reino que foi pregado desde João e continua com Cristo.
Em Atos percebemos que houve a continuidade da pregação por parte da igreja, vemos esse padrão do inicio ao fim de Atos, por diversos pregadores distintos como Pedro, Filipe e Paulo. (At 1.3; 8.12; 28.31)
O reino é chegado em alguma medida e os discípulos desfrutaram do reino e a glória do messias (Lc 9.27-32), mas de fato há uma expectativa futura (At 1.3)
Que tipo de reino será esse? Será que é literal ou espiritual? Parece que ambas as coisas. Ele se manifestou em Cristo, mas sua plena consumação é futura.

Características do Reino de Deus

O reino é boas novas, revelado por mistérios por alguns, é pequeno com crescimento extraordinário, é recompensador e tem comunhão com Cristo e julgarão Israel.

Reino vem para que pessoas?

De algum modo parece que o pobre tem vantagens para receber o reino de Deus (Lc 6.20), mas para todo aquele que recebe como um presente de Deus., nem todos entrarão, mas virão pessoas de todos os lugares e existe um custo para a sua entrada.

Reino e a Igreja

A igreja são pessoas onde a esfera da autoridade do reino atua, cria a igreja, aponta para o reino, instrumento do reino e guardião do reino.

Atos

Problemas de Crítica Textual

O segundo volume de uma unidade maior escrita por Lucas que mostra como o evangelho sai dos judeus e chega aos gentios de acordo com o plano de Deus, em certo sentido é um livro de transição que mostra a história da salvação, Israel e Igreja.
Um livro que ao ser exposto precisa ter atenção quanto as versões, visto que há uma dificuldade com a crítica textual especialmente a tradição ocidental que tem um acréscimo de 10%, o que pode ser uma mudança intencional, não uma má leitura ou dificuldade do copista.

Características

No meio de grandes narrativas do que vinha acontecendo no inicio da igreja há alguns discursos que mostram o conteúdo da pregação e debates no livro de Atos, cerca de 1/3 de Atos são os discursos.
Os principais discursos são estes dez discursos:
Pedro discursa aos judeus (2.14-36 ; 3.11-26)
Estevão fazendo a sua defesa contra os judeus que o acusavam (7.1-53)
Pedro aos Gentios (10.34-43)
Paulo aos judeus (13.16-47)
Paulo aos gentios (17.22-31)
Paulo aos cristãos (20.18-35)
Paulo fazendo sua defesa (22.1-21; 24.10-21; 26.1-29)
Uma característica que marca o livro de Atos são os resumos de períodos em situações mais comuns dando destaque para as partes mais importantes na história da igreja.

Propósito de Deus

História da Salvação

Lucas escreveu o primeiro livro (evangelho) e agora em Atos ele continua escrevendo do que Deus tem realizado na história após a ressurreição de Jesus por meio do Espírito Santo e da igreja.
Assim vemos os apóstolos de Cristo fazendo a sua obra, afinal eles são a continuação daquilo Ele começou a realizar e fora exposto no evangelho, o livro anterior.

Espírito Santo

O evangelho de Lucas é o que mais fala a respeito do Espírito Santo e o livro de Atos não é diferente, o Espírito Santo tem grande destaque e mencionado com ênfase por quase todo o livro de Atos. Ele é o grande responsável pelo avanço do evangelho.
Ele é a garantia de que o Cristo que ascendeu aos céus continua atuando na igreja e o plano da salvação há de ser completo quando ele retornar em poder e glória.

Cumprimento das Escrituras

A morte de Cristo não foi por acaso e Deus não perdeu o controle, ele morreu e ressuscitou e fazia parte do plano eterno de Deus da salvação e era necessário para que seu plano se cumprisse

Soberania de Deus

Deus já sabia quem substituiria Judas, mas ainda não havia sido revelado ainda que tenha sido jogado sortes Deus em sua soberania dirigiu a história. E a morte de Jesus fazia parte do plano de Deus na história que foi revelado em Cristo e ainda não havia terminado e ele dirige de modo soberano sobre todas as coisas.

Reino de Deus

Um tema desenvolvido no evangelho que é retomado em Atos é o tema do Reino de Deus. Os discípulos continuam com a expectativa do reino consumado e Jesus corrige sua compreensão e de diversas formas apareceram em Atos de formas diversas. Filipe, e Paulo ensinavam o Reino de Deus e esse ensino permeia todo o livro.

Identidade de Jesus

Em Atos ele é identificado de diversas formas como Jesus, Jesus Cristo, Senhor, Senhor Jesus e O Cristo. O termo preferido de Jesus em Lucas some em Atos o termo “o filho do homem” e cada vez mais ele é chamado em Atos de SENHOR. Parece haver um progresso na forma como Jesus é visto na mente dos apóstolos e da igreja primitiva.

Esboço

Parece que Atos 1.8 revela o esboço de Atos em que o evangelho sai de Jerusalém, Judeia, Samaria e os confins da terra. Não quer dizer um padrão de alcance cronológico, mas uma ordem de alcançar a todos o lugares em uma grande tarefa, mas que revela a forma como o livro foi estruturado.
Progressão proposta não é apenas geográfica ou cultural, mas espiritual, visto que Jerusalém era o lugar mais santo e com maior conhecimento de Deus do mundo e deveria se espalhar para onde essa situação estava longe.
Os primeiros cristãos em sua maioria não eram de Jerusalém, pois eram Galileus então essa ideia de alcançar primeiro a nossa casa não se aplicava a esses homens citando Jerusalém.

Paralelos entre Jesus, Pedro e Paulo

Pregam que o Antigo Testamento é cumprido em Jesus
Expulsando demônios
Curando coxo
Levantando um morto
Curando por meios inconscientes

Sinais

Muito presentes no início do livros de Atos e vai diminuindo no decorrer do livro e fica evidente que estes sinais serviam para confirmar a mensagem que garantia a chegada do Reino por meio do Rei.
Os sinais demonstravam a vinda do messias, a chegada do reino e o poder do evangelho.
Pedro em seu discurso em Atos 2.14-47 afirma que os sinais mostram que Deus está agindo, estamos nos últimos dias, aponta para a oportunidade de salvação, mostra que Deus age por Jesus e o resultado disso tudo é a glória de Deus. Essas colocações se repetem quando ele cura o aleijado no templo em Atos 3.11-26.

Ministério Universal

Ao descrever em Atos 2 a manifestação de línguas serviu para mostrar em certo sentido o cumprimento da grande comissão quando pessoas representantes de todo o mundo conhecido estavam em Jerusalém ouviram a mensagem em sua própria língua.

Perseguição

Desde o início até o final do livro vemos a perseguição muito comum em todo o livro de Atos. As razões vem desde orgulho até a perda de lucros e a reação dos perseguidos é demonstrada em todo livro, eles agradeciam, adoravam, oravam e continuavam pregando.

Discurso de Estevam e a Teologia do “Lugar”

O discurso de Estevam é construído desde o seu início destacando que Deus não se limitou a um lugar específico. O faz citando Abraão na mesopotâmia e Canaã, José no Egito, Moisés em Midiã, monte Sinai e etc. Argumentando que desde o início Deus não habita em em um lugar específico.

Barreiras Culturais

Lucas se preocupa em diversos momentos destacar a queda das barreiras culturais. Na primeira perseguição os cristãos alcançam Judeia e Samaria, mas no capítulo 10 Lucas parece diminuir o ritmo da narrativa e destaca o caso do primeiro gentio, Cornélio derrubando mais uma barreira cultural (Judeus de outras nações, samaritano e os gentios).

Espírito Santo

A atuação poderosa do Espírito Santo em Atos marca a conversão e a quebra das barreiras culturais que impregnavam a mente dos primeiros cristãos.
O Espírito Santo dirige o desenvolvimento da igreja de modo que pode abrir e fechar portas dependendo da vontade e soberania de Deus. Muitas vezes nossas melhores ideias não são boas e a dependência é sempre a melhor opção.
Related Media
Related Sermons