Faithlife Sermons

Encontramos a Lei - A reforma de Josias 2 Reis 22

Sermon  •  Submitted
0 ratings
· 60 views

Ao encontrar a a Palavra, Josias se humilhou, expôs a bíblia e trouxe grande avivamento.

Notes
Transcript

Encontramos a Lei

Josias tinha 8 anos quando começou a reinar, e reinou por 31 anos em Jerusalém. Sua mãe se chamava Jedida e era filha de Adaías, de Bozcate. Josias fez o que era certo aos olhos do Senhor e seguiu o exemplo de seu antepassado Davi, não se desviando nem para um lado nem para o outro. No décimo oitavo ano de seu reinado, o rei Josias enviou Safã, secretário da corte, filho de Azalias, filho de Mesulão, ao templo do Senhor. Disse-lhe: “Vá ao sumo sacerdote Hilquias e peça-lhe que pese a prata que os guardas das portas recolheram do povo no templo do Senhor. Entregue a prata aos homens encarregados de supervisionar a reforma do templo. Eles a usarão para pagar os trabalhadores que farão reparos no templo do Senhor. Precisarão de carpinteiros, construtores e pedreiros. Também deverão comprar a madeira e as pedras cortadas necessárias para os reparos no templo. Contudo, não exija que os supervisores prestem contas do valor que receberam, pois são homens de confiança”. O sumo sacerdote Hilquias disse a Safã, secretário da corte: “Encontrei o Livro da Lei no templo do Senhor!”. E Hilquias entregou o livro a Safã, que o leu. 2 Reis 22:1-8

Um povo sem lei, uma igreja sem bíblia

A história dos reinos de Israel é uma aspiral decrescente. Aqui, conhecemos um a história de um povo que está cada vez mais distante de Deus e com crises cada vez maiores.
A primeira coisa que precisamos notar é que durante muito tempo o povo estava sem acesso às Escrituras, elas haviam se perdido dentro do próprio templo. A lei se perdeu dentro de casa.
Como pôde isso acontecer? Como o povo se esqueceu dos grandes feitos de Deus no passado? Quando lemos o texto somos os primeiros a condená-los sem perceber que na verdade, somos apenas um reflexo desse mêsmo povo que se esquece.
Assim como o povo se esqueceu das escrituras dentro do templo, nós estamos nos esquecendo da bíblia dentro da igreja. E quando falo esquecer, não digo aminésia, mas um coração endurecido.
Por causa do nosso pecado e coração endurecido, corremos o risco de viver o mesmo ciclo de esquecimento das Escrituras.
Na Bíblia, “lembrar” e “esquecer” tem significado espiritual. Quando pessoas do antigo testamento pediam a Deus “lembra-te da tua compaixão e do teu amor” (Sl 25.6) Isso não queria dizer que eles acreditavam que Deus podia se esquecer da natureza deles ou do que alguém havia feito. Eles pediam para Deua agir de acordo com seu caráter.
Portanto, dizer que os israelitas se "esqueceram" de Deus é dizer que eles não eram mais controlados pelo que sabiam. Podemos dizer isso de outra forma. Embora os israelitas soubessem quem Deus era e o que ele desejava, isso não era real para eles. Esse também é um problema espiritual de hoje. O que nossa mente sabe não é "real" para o nosso coração e para todo o nosso ser. Podemos reconhecer intelectualmente que algo é verdade, mas, bem no íntimo, essa verdade não se apodera de nós, não nos sensibiliza, não nos controla.
O motivo de os israelitas (assim como todos nós) estarem sempre precisando de avivamento era o fato de que as verdades sobre Deus, outrora vibrantes e reais para eles, acabaram se tornando irreais. Nosso coração é como um balde de água em um dia muito frio – acaba congelado se não quebrarmos continuamente o gelo que está se formando nele. Embora conheçamos as verdades sobre Deus, podemos facilmente esquecer o significado de sua realidade em nosso coração. Conhecemos essas verdades, mas nao as provamos, nem as vemos, nem as -sentimos por isso, outras coisas – ídolos – se tornam mais reais para o nosso coração, e passamos a adorá-las.
Ilustração do coração que começa como uma casca de ovo, mas por causa do nossos esquecimento e afastamento da bíblia ele acaba se transformando em uma casca de coco. Agora, apenas um machado é capaz de feri-lo.

Sem Bíblia, faremos bizarrices em nome de Deus e trocaremos a Deus;

Quando nosso coração se esquece, as ofertas de nossa cultura se tornam mais fundamentais para o nosso coração e acabam tomando o lugar de Deus. Foi exatamente isso que havia acontecido em Judá.
Quando nos esquecemos, perdemos completamente a noção do Deus da graça! Vemos que a páscoa já tinha sido esquecida e não era celebrada desde os tempos dos juízes. Nem Davi celebrou a festa da páscoa como deveria. Quando esquecemos da graça, passamos a precisar de um deus a la carte.
Deus se torna basicamente igual aos deuses pagãos, apenas um a mais no meio dos outros.
Idolatria no Meio do Povo
Baal e Asserá estavam dentro do Templo “juntos” com Javé;
Haviam sacerdotes de outros deuses no templo;
Haviam prostitutos e prostitutas dormindo dentro do templo; (Vendendo a fé)
Manassés, pai de Josias havia instituido o sacríficio de Crianças;
Podemos dizer que isso é terrivel, que jamais chegariamos a isso. Mas temos convivido com ídolos da mesma forma. Deus se tornou apenas mais um na multidão de nossos desejos. Sacrificamos filhos e famílias, Vendemos nossa fé para prostitutos. TUDO COM A MELHOR DAS INTENÇÕES
E por isso, Deus tinha prometido Juízo para todo o Povo.
“Qualquer ensinamento que não se enquadre nas Escrituras deve ser rejeitado, mesmo que faça chover milagres todos os dias”. Lutero
longe da Bíblia, até nossas tentativas de reformas serão incompletas. Curioso é que Josias estava justamento reformando o templo, mas sem as escrituras, vemos que essa reforma jamais seria suficiente. Apenas a bíblia tem o poder rasgar nosso coração.

Es escrituras que ferem o coração

Safã também disse ao rei: “O sacerdote Hilquias me entregou um livro”. E Safã leu o livro para o rei. Quando o rei ouviu o que estava escrito no Livro da Lei, rasgou suas roupas. Em seguida, deu estas ordens ao sacerdote Hilquias, a Aicam, filho de Safã, a Acbor, filho de Micaías, a Safã, o secretário da corte, e a Asaías, conselheiro pessoal do rei: “Vão consultar o Senhor por mim, pelo povo e por todo o Judá. Perguntem a respeito das palavras escritas neste livro que foi encontrado. A grande ira do Senhor arde contra nós, pois nossos antepassados não obedeceram às palavras deste livro. Eles não fizeram tudo que ele diz que devemos fazer”. 2 Reis 22:10-13
Quando a bíblia é lida, nos confrota e rasga o nosso coração.
Pois a palavra de Deus é viva e poderosa. É mais cortante que qualquer espada de dois gumes, penetrando entre a alma e o espírito, entre a junta e a medula, e trazendo à luz até os pensamentos e desejos mais íntimos. Nada, em toda a criação, está escondido de Deus. Tudo está descoberto e exposto diante de seus olhos, e é a ele que prestamos contas. Hebreus 4:12,13
A Palavra de deus é Ofensiva
A Palavra de Deus é contra nós. (Contra nosso coração pecaminoso)
E graças a Deus que a palavra nos fere e nos confronta.
Para Zuínglio, a Palavra de Deus é tão poderosa e eficaz que quando ela “brilha sobre o entendimento humano, ela o ilumina de tal forma que ele entende e confessa a Palavra e tem certeza dela”.
A Bíblia não é um compilado de promessas para que nosso ego seja confortado, para que nos finais de semana você tenha a sensação de uma anestesia de que “está tudo bem”
A Bíblia é uma narrativa de como Deus interveio na história e se tornou REI!
As orações na Bíblia não foram feitas por pessoas que estavam tentando se entender. Não são o registro de gente que está em busca do sentido da vida. Foram proferidas por pessoas que entendiam que Deus, e não os sentimentos delas, era o centro . As experiências humanas podem provocar a oração, mas não a condicionam... O que condiciona essas orações não é a simples crença em Deus mas sim a doutrina de Deus. Eugene Peterson
Na Bíblia, descobrimos um Deus real e complexo. Se você tiver um relacionamento com uma pessoa real, de tempos em tempos se sentirá confuso e exasperado com ela. Do mesmo modo, de tempos em tempos se sentirá confuso com o Deus que encontra nas Escrituras – e também se sentirá impressionado e consolado. Sua oração deve estar firmemente conectada à leitura da Palavra e nela fundamentada. Timothy Keller
Se não estivermos imersos na palavra de Deus, nossas orações podem não só ser limitadas e superficiais, mas também não ter vínculo com a realidade. Podemos estar respondendo não ao Deus real, e sim àquilo que desejamos que tanto Deus quanto a vida sejam. De fato, se entregue à própria sorte, nosso coração com toda certeza tenderá a criar um Deus que não existe.

Buscando entendimento

Interessante notar que Josias buscou ajuda para interpretar a bíblia, nossa jornada de leitura não pode ser solitária. Precisamos de ajuda para entendermos a bíblia conjuntamente.
Josias teve a mesma humildade do Eunuco! Estar com a bíblia na mão não significa que saberemos interpretá-la.

A exposição da bíblia e a verdadeira reforma

Josias mandou chamar todas as autoridades de Judá e de Jerusalém. Então o rei subiu ao templo do Senhor com os sacerdotes e os profetas e com todo o povo de Judá e de Jerusalém, dos mais simples até os mais importantes. Leu para eles todo o Livro da Aliança encontrado no templo do Senhor. O rei ficou em pé no lugar de honra junto à coluna e renovou a aliança na presença do Senhor. Comprometeu-se a obedecer ao Senhor e a cumprir seus mandamentos, preceitos e decretos de todo o coração e de toda a alma. Confirmou, desse modo, os termos da aliança escritos no livro, e todo o povo se comprometeu com a aliança. 2 Reis 23:1-3
“O Evangelho é como um leão enjaulado, não precisamos defendê-lo, só precisamos deixar que saia da jaula.” (C.H.Spurgeon)
O Aviamento acontece quando rdescobrimo a palavra.
“Deus não é adorado apropriadamente senão mediante a certeza de fé, a qual não pode ser produzida e qualquer outra maneira senão pela Palavra de Deus. Daí, segue-se que todos quantos abandonam a Palavra caem em idolatria” João CAlvino
“Se Deus não tivesse falado, nós não nos atreveríamos a falar, porque não teríamos nada a expressar exceto nossas triviais especulações. Mas já que Deus falou, nós também precisamos falar, comunicando a outros o que ele nos comunicou nas Escrituras. De fato, nós nos recusamos a ser silenciados” STOTT, J. (2005). O perfil do pregador. São Paulo: Vida Nova
“Tenho pena do pregador que chega ao púlpito sem Bíblia em suas mãos, [...] ele não pode falar porque não tem nada a dizer. Ah, mas dirigir-se ao púlpito com a confiança de que Deus falou, que ele fez com que o que disse fosse escrito, e que temos esse texto inspirado em nossas mãos, aí sim nossa cabeça começa a girar, e nosso coração a bater, e nosso sangue a correr, e nossos olhos a brilhar com a glória absoluta de ter a palavra de Deus em nossas mãos e lábios.”
STOTT, J. (2005) – O perfil do pregador. São Paulo: Vida nova
“Minha consciência é cativa à Palavra de Deus”. Lutero
“Eu não fiz nada, a palavra fez tudo”. Lutero
Related Media
Related Sermons