Faithlife Sermons

OSEIAS E JOEL

Sermon  •  Submitted
0 ratings
· 10 views
Notes
Transcript

OSEIAS (encabeça os profetas menores 12 livros)

AUTOR
Não temos muitas informações sobre Oseias, mas sabemos que ele viveu em uma época bem próxima da queda de Samaria (Reino do Norte) pelas mãos da Assíria.
CONTEXTO HISTÓRICO
O v.1 nos mostra que Oseias profetizou na época de um rei de Israel chamado Jeroboão II
O Reinado dele foi caracterizado por grande prosperidade (2RE 14: 25), o reino do Norte ia bem economicamente, desfrutava de uma certa paz
Aparentemente era um bom ambiente para o profeta. Mas essa não era a realidade, embora estivesse prosperando, Israel havia se afastado de Deus, o ambiente era também de infidelidade para com Deus, e perceberemos que esse é um dos grandes temas do livro.
O profeta se apresenta como um “Estraga prazer”.
CAPÍTULOS 1
Nos nossos dias se tornou comum muitas pessoas se apresentarem como profetas, mas é interessante que essas pessoas na maioria das vezes desconhecem o oficio profético e as dificuldades que os profetas no A.T passavam.
A ORDEM DE DEUS: CASAR COM UMA PROSTITUTA (V.2)
As diferentes interpretações (por sua função, a interpretação literal é a mais aceita)
O casamento de Oseias seria uma analogia do relacionamento entre Deus e Israel (Marido e Esposa)
Oseias sentiria na pele o que é ser traído e rejeitado. Quando ele vai falar da infidelidade do povo ele sabe muito bem o que é isso.
O CASAMENTO E OS FILHOS
Oseias vai ter 3 filhos com Gomer, e os nomes que são dados a esses filhos representam verdades importantes sobre o que o povo fez e o que Deus iria fazer.
1° FILHO (v.3-4): O nome que é dado apontava para o castigo que Deus traria sobre a casa de Jéu (2RE 9-10). Jeroboão II foi o último rei da casa de Jéu. Deus também abateria Israel (v.5)
2° FILHO (v. 6): Deus retiraria o seu favor para com aquele povo rebelde e infiel.
3° FILHO (v.8-9): O cerne da aliança com os patriarcas era que Deus seria o Deus daquele povo e eles seriam povo de Deus. O que está sendo dito aqui é algo totalmente contrário.
Mas nós temos uma mensagem,, ainda que pequena, apontando para uma restauração. Deus restauraria Israel (esse é o padrão do livro).
CAPÍTULOS 2-3
Ao falar de sua mulher, Oseias está apontando para como Israel se comportava diante de Deus:
Ela se prostituiu com outros maridos (deuses) (v.5, 13)
Ela era ingrata, dizia que seus amantes é que a sustentavam (v.5b, 8)
Deus diz que aquele povo seria castigado (v.9-12; 3: 4)
Mas Deus também fala novamente de restauração, ele se lembraria de Israel e usaria novamente de amor, bondade e misericórida para com ele (v.14-23)
Deus então ordena que Oseias fizesse o mesmo (3: 1-3). Aquilo que o profeta faria era o que Deus iria fazer.
DEUS FALA CONTRA O POVO
PRIMEIRAMENTE AS CLASSES DE PESSOAS, TODOS ENVOLVIDOS
SACERDOTES: Aqueles que eram responsáveis em conduzir o culto, rejeitavam o Senhor (4: 6); eles incentivavam o povo a pecar ainda mais (4:8-13). Sem conhecimento o povo se perdia ainda mais.
PRINCIPES: A liderança também estava corrompida, haviam se afastado de Deus (7: 3-7), reis de Israel fizeram aliança com outras nações em busca de ajuda e proteção (8: 9)
TODO O POVO: Diante de uma liderança corrompida não é de se estranhar que o povo tamém se corrompesse, mas diferente do que muitos pensam, Deus não deixaria de punir o povo (4: 4)
O povo era idolatra (4: 12-13; 8: 4); era soberbo (5: 5; 7: 10; 13: 6); eram hipócritas e se arrependiam falsamente (6: 2-4); cultuavam de forma sincretica e superficial (8: 12-13; 13: 1-2)
Fica claro que o povo era mercedor daquele castigo (11: 1-7).
A FIDELIDADE E O AMOR DE DEUS
Mesmo em meio a toda infidelidade do povo, o livro do profeta Oseias está cheio de mensagens que demonstram o amor e a fidelidade de Deus (11: 8-9; 14: 1-8)
A lição mais importante que aprendemos é a de que, ainda que o povo seja infiel, ainda que nós sejamos infiéis, o Senhor continua fiel, pois não pode negar a si mesmo.
PERGUNTA: Deus é Fiel ao que?
Ele é fiel a si mesmo, ele é fiel ao que prometeu, ele é fiel a sua aliança (vós sereis meu povo, e eu serei vosso Deus)
CRISTO EM OSEIAS
Podemos apresentar Cristo de algumas formas aqui: Como aquele que trará juizo; aquele que será o cabeça e lider de Israel e Judá (1: 11)
Mas eu gostaria de destacar algo: Como a restauração pode ser possível? Continuamos a ser pecadores, muitas vezes infiéis. Percebam que é Deus quem vai atras do povo.
A resposta está naquele que é o verdadeiro Israel (11: 1; MT 2: 15)

JOEL

AUTORIA E CONTEXTO HISTÓRICO
Não temos informações sobre Joel (1: 1)
Não há um consenso em relação a época que Joel escreveu (o que parece é que a maioria entende ser pós-exílio; templo estava funcionando)
DIVISÃO UTILIZADA
Por se tratar de um livro pequeno, utilizaremos uma divisão de acordo com os capítulos.
CAPÍTULO 1
VERSÍCULOS 1 A 12
Joel cumpre seu papel de profeta ao trazer a mensagem da parte de Deus ao povo. Esta mensagem continha um chamado ao arrependimento e um alerta para o Dia do Senhor (um dia de vingança, juízo da parte de Deus contra seus inimigos)
Joel se dirige aos velhos e ao povo e lhes faz uma pergunta (v.2)
Uma praga de gafanhotos tinha destruído toda a plantação (v.4)
É importante lembrar que aquele era um povo que vivia da agricultura do campo. O sustento do povo foi atingido.
A destruição foi tão grande que os bebados não conseguiam se embreagar mais (v.5)
Joel também mostra que o culto tinha sido atingido por aquela praga (v.9), sua preocupação não é só com o fator financeiro, mas com a adoração a Deus.
Nos v.10-12 Joel também diz que uma seca atingiu a terra. Percebam que o cenário era desesperador (sustento e o culto atingidos). Mas prestemos atenção em algo aqui:
PERGUNTA: Na descrição de Joel até aqui nós temos uma mudança em duas coisas que pertenciam a historia do povo de Deus no A.T. Quais são as duas coisas? (PRAGAS DO EGITO E TERRA QUE MANA LEITE E MEL)
Se antes Deus usou a praga a favor de seu povo e prometeu a terra a eles agora ele enviava a praga contra o povo e retirou a prosperidade da terra.
Por que Deus fez isso? A resposta está nos v. 13 e 14. A liderança e todo o povo deviam se voltar para Deus, arrependerem-se.
APLICAÇÃO: Nós temos um cenário em que a vida financeira, o sustento do povo e a adoração foram afetados por uma praga. Isto vinha do Senhor, pois nada foge ao seu controle e ele também tinha um objetivo com aquilo. Há semelhanças com nossos dias? Como devemos encarar o que está acontecendo diante deste texto?
v.15
Aqui ocorre aquilo que é chamado de perspectiva profética.
Joel está olhando para o presente (a praga dos gafanhotos) mas também está vendo naquilo um prenúncio de um juízo vindouro (DIA DO SENHOR)
O dia que o Senhor não traria somente juízo apenas sobre uma terra específica, mas sobre toda a terra. Ele passa a falar desse dia a partir do capitulo 2.
CAPÍTULO 2
v.1-10
Joel se apresenta como um bom escritor de filmes de terror e descreve um cenário terrível de destruição.
Ele novamente fala de gafanhotos e os apresenta como um exército organizado (v.7-8)
Os alvos dessa destruição são todas as nações (v.1, 6)
PERGUNTA: Quem é o comandante desse exército?
Um dia terrível e que ninguém poderá resistir. Mas e agora, o que será do povo de Deus, tanto aqueles que ouviram Joel, quanto nós?
A resposta está a partir do v.12-17
RASGAI OS VOSSOS CORAÇÕES
Deus chama novamente o seu povo para o arrependimento (v.12)
Um arrependimento verdadeiro, não somente com aspectos externos (v.13)
O povo deveria se lembrar de quem era Deus (v.13) , quem sabe ele não ouvirá e poupará aquele povo.
A MISERICÓRDIA DO SENHOR E SUAS PROMESSAS (v.18—32)
Deus se compadece do seu povo e faz promessas a ele:
Ele promete restaurar a prosperidade do povo ( v. 25). Mas as promessas vão além. Deus promete muito mais a seu povo.
Deus promete derramar sobre seu povo o seu Espírito (v.28-29). Se o povo tivesse a prosperidade sem o Espírito do Senhor de nada valeria.
Isso se cumpre no pentecostes (AT 2: 16-21) Joel não sabia, mas nós sim (revelaçao progressiva)
Os v.30-31 apresentam novamente uma perspectiva profética. Joel fala de algo que se cumpre no pentecostes, mas também fala de coisas que irão anteceder o Dia do Senhor.
A ÚNICA ESPERANÇA (V. 32)
O Deus que trará o juízo é o mesmo que mostra a única forma de escapar dele. INVOCANDO O NOME DO SENHOR.
Eu gostaria de fazer diferente: Este é uma expressão muito utilizada no N.T (invocar crer no Senhor).
E ela se refere a Jesus Cristo (RM 10: 9; AT 4: 12; 16: 31)
Cristo é a única esperança de não sermos alvos desse terrível Juízo (1TESS 1: 10)
O JUÍZO DE DEUS CONTRA AS NAÇÕES (3: 1-15)
Novamente temos um cenário de guerra/juízo. Neste cenário o Senhor convoca todas as nações para julgá-las (v.12). Joel faz uso de coisas que lhe eram comum (vale de Josafá)
E novamente o Senhor se apresenta como o refúgio e fortaleza do seu povo (16-17)
O N.T nos revela que Jesus foi escolhido por Deus para ser aquele que julgará este mundo (AT 17: 31)
Jesus é o juiz deste mundo, mas também o reúgio e fortaleza do seu povo.
A RESTAURAÇÃO DE ISRAEL (V.18—21)
Naquele dia os inimigos serão julgados e o povo de Deus restaurado para todo sempre.
Tudo isso feito pelo Senhor aquele que fez expiação pelos nossos pecados (v.21)
Related Media
Related Sermons