Faithlife Sermons

2 Pe 3.11-13 | IPVM no Lar

Exposição 2 de Pedro   •  Sermon  •  Submitted
0 ratings
· 13 views

Todo o conteúdo desse estudo, foi extraído do Comentário Epistolas de Pedro e Judas, da Cultura Cristã. Aqui você encontra um breve resumo de 2Pe 3.11-13

Notes
Transcript

Consumação

A revelação de Deus sobre o fim do mundo deve levar o cristão a ter consciência de que está levando uma vida que é agradável a Deus.
É breve o tempo que nos separa da chegada do último dia.
Pedro, na verdade, usa o verbo apressar.

11 Visto que todas essas coisas hão de ser assim desfeitas, deveis ser tais como os que vivem em santo procedimento e piedade, 12 esperando e apressando a vinda do Dia de Deus

a. Fato.

Que impacto as informações sobre o fim do mundo têm sobre o homem?
A palavra todas é inclusiva, pois se refere a tudo o que Deus criou.
O homem também é parte da criação de Deus, e também perecerá.
Quando ocorrer a destruição, o ser humano inevitavelmente se encontrará com seu Criador e Juiz.
Antes da chegada do dia do juízo, Deus concede ao ser humano um período de graça para refletir sobre questões éticas.

b. Caráter.

Pedro faz uma declaração de caráter pessoal aos leitores: “deveis ser”.
Deveis quem? Os discípulos de Cristo.
Ele desconsidera os escarnecedores, os quais, como ele disse, estão sendo guardados para o dia do juízo e destruição (v. 7).
Ao invés disso, ele desafia os destinatários da carta a examinarem cuidadosamente qual é o propósito de sua vida.
O verbo dever indica que há uma obrigação divina sobre os leitores; eles devem ser santos em tudo o que fizerem (comparar com 1Pe 1.15,16).
1Pedro 1.15 RA
15 pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento,
1Pedro 1.16 RA
16 porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo.
Pedro os exorta a viverem na esfera da santidade de Deus, de modo que, quando esse grande e terrível dia chegar, eles continuem a viver na presença de Deus.

c. Expectativa - Dia de Deus

Os cristãos devem olhar para o futuro e esperar a volta do Senhor.
Pedro diz: “Vocês devem levar vidas santas e piedosas enquanto esperam pelo dia de Deus e apressam sua vinda. Ao longo de sua carta, Pedro muitas vezes não faz distinção entre Deus e Jesus.
João Calvino
"O que previamente ele chamou o dia de Cristo (como é assim chamado em toda a Escritura), agora chama o dia de Deus, e isso corretamente, porquanto Cristo então restaurará o reino do Pai, para que Deus seja tudo em todos."

d. Interpretação

Pedro acrescenta a oração "esperando e apressando a sua vinda."
Outra possível tradução é: “enquanto esperais e desejais a vinda do Dia de Deus” (JB) ou “enquanto aguardais ansiosamente pela vinda do dia de Deus” (texto de observação da margem da NIV).
A primeira tradução, “apressando a vinda”, é ativa; a segunda tradução, “desejais”, é reflexiva.
O problema é os dois verbos, esperar e apressar são ativos.
Alguns comentaristas optaram por essa segunda versão, pois crêem que o ser humano não é capaz de mudar o tempo que Deus determinou para a volta de Cristo.
Como podemos entender esse versículo:
Faço uso da linha de raciocínio de Calvino: Comentário bíblico
Aguardando e apressando,
"devemos esperar impacientemente."
Ao dizer, “aguardando”, a referência é a paciência da esperança; e ele põe apressar em oposição a entorpecimento; e ambos são muito apropriados.
Porque, como a serenidade e a espera são as peculiaridades da esperança, assim devemos atentar sempre para que a segurança da carne não se insinue solertemente; devemos, pois, labutar incansavelmente em boas obras, e correr rapidamente na corrida de nossa vocação.

12b por causa do qual os céus, incendiados, serão desfeitos, e os elementos abrasados se derreterão.

As palavras desse texto são uma repetição do versículo 10.
Porém, pelo fato de a última frase do versículo 10 não ser repetida, devemos considerar o versículo 12b um refrão.
Observe também uma diferença de propósito entre esses dois textos.
No versículo 10, Pedro apresenta a questão, ou seja, como o dia do Senhor virá. No versículo 12b, ele indica o resultado desse dia, a saber, “os elementos se derreterão com o calor”.

a. Promessa.

Os cristãos não precisam temer quando ficam sabendo que o fogo destruirá a criação de Deus.
Vivendo em comunhão com Deus, eles pertencem a ele e sabem que Deus os mantém em segurança.
Além disso, têm sua promessa para lhes servir de garantia.
Qual é essa promessa?
Nas três ocasiões em que a palavra promessa aparece (4,9,13), Pedro coloca o termo no contexto do dia do Senhor.
A promessa é que “no princípio criou Deus os céus e a terra” (Gn 1.1); no fim dos tempos, ele criará novos céus e nova terra.
Essa mensagem do Antigo Testamento tem seu paralelo no penúltimo capítulo da Bíblia.
João escreve: “Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram” (Ap 21.1).

b. Renovação.

Pedro escreve que “aguardamos um novo céu e uma nova terra”.
Ele toma emprestadas as palavras da profecia de Isaías:
Porque assim diz o Senhor: “Pois eu crio novos céus e nova terra; e não haverá lembrança das coisas passadas, jamais haverá memória delas”. [65.13,17].
“Porque, como os novos céus e a nova terra, que hei de fazer, estarão diante de mim, diz o Senhor, assim há de estar a vossa posteridade e o vosso nome”. [66.22].
Pedro enfatiza o adjetivo novo em sua escolha das palavras.
Literalmente, ele diz: “Novos céus e terra nova”.
Com a palavra novo, Pedro ensina que essa nova criação surge a partir da antiga criação, ou seja, o velho dá à luz o novo.
“O dilúvio não aniquilou a terra, mas a transformou; assim como a nova terra foi conseqüência do dilúvio, assim também os novos céus e a nova terra serão conseqüência do fogo”.
Observe também que os substantivos céus e terra não têm artigo definido, de modo que formam um par (ver v. 10).
O termo céus se refere ao céu atmosférico, e não ao lugar de habitação dos santos glorificados.
Essa habitação não precisa de renovação, pois mantém-se intocada pelo pecado.

c. Lar.

Pedro chama essa nova criação de “lar da justiça”.
O apóstolo personifica o termo justiça e diz que ela tem residência permanente nos novos céus e nova terra.
Esse termo junta os dois tornando-os um só.
Related Media
Related Sermons