Faithlife Sermons

O Evangelho em Is 53

Sermon  •  Submitted
0 ratings
· 32 views
Notes
Transcript
Handout

Introdução

PRENUNCIO DO MESSIAS COMO SERVO SOFREDOR
Isaías, Volumes 1 & 2 a. Expiação e Rejeição (52.13–53.3)

Assim como muitos se pasmaram diante dele –

sua aparência era uma desfiguração da humana,299

e sua forma, daquela da humanidade –

15  assim espantará muitas nações;

por causa dele os reis fecharão suas bocas,

porque o que não lhes foi anunciado verão,

e o que não ouviram entenderão.

Isaías, Volumes 1 & 2 a. Expiação e Rejeição (52.13–53.3)

Assim como muitos se pasmaram diante dele –

sua aparência era uma desfiguração da humana,299

e sua forma, daquela da humanidade –

15  assim espantará muitas nações;

por causa dele os reis fecharão suas bocas,

porque o que não lhes foi anunciado verão,

e o que não ouviram entenderão.

sua aparência era uma desfiguração da humana,299

Necessidade da Morte

e sua forma, daquela da humanidade –
Enfermidades, Dores
Transgressões, Iniquidades
NOSSO PECADO
Ira de Deus
V.6 ANDÁVAMOS DESGARRADOS DE DEUS
Todos pecaram; todos carecem; todos desgarrados; Adão e Eva se escondem
Ele é o caminho para o desgarrado (afastado) de Deus.
V.5 EXIGÊNCIA DO CASTIGO POR CAUSA DO PECADO.
Ira de Deus
• Enfermidades, Dores
15  assim espantará muitas nações;
Contraste entre a exaltação do Servo, e sua humilhação e sofrimento
• Transgressões, Iniquidades
NOSSO PECADO
Contraste entre o que o povo pensava do Servo e qual era realmente a situação
V.6 ANDÁVAMOS DESGARRADOS (AFASTADOS) DE DEUS
o poder do braço de Deus não é o poder para esmagar o inimigo (pecado), mas o poder, quando o inimigo tiver esmagado o Servo, que retribui com amor e misericórdia. O Servo toma sobre si o pecado de Israel e do mundo, e, como o bode expiatório (), leva embora (nāśā’; ) de nós aqueles pecados.
por causa dele os reis fecharão suas bocas,
• Todos pecaram; todos carecem; todos desgarrados; Adão e Eva se escondem
Enfermidades, Dores
• Ele é o caminho para o desgarrado (afastado) de Deus.
porque o que não lhes foi anunciado verão,
este sofrimento imerecido outra coisa não pode ser senão a revelação do braço libertador do Senhor, de sua capacidade de restaurar seu povo à comunhão consigo, se ela for substitutiva, conceito esse familiar aos judeus, através da linguagem de todo o sistema sacrificial.
V.5 EXIGÊNCIA DO CASTIGO POR CAUSA DO PECADO.
Transgressões, Iniquidades
Ao contrário, está dizendo que ele conhecerá e fará o que é certo a fim de concretizar ser propósito para o qual foi chamado
• Ira de Deus
o foco é comunicar que todo sofrimento está envolvido aqui: físico, mental e espiritual
e o que não ouviram entenderão.

Morte Vicária (substitutiva)

CONCEITO DE MORTE NO LUGAR DO OUTRO (POVO DE ISRAEL)
Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo
O QUE ACHÁVAMOS DELE?
• Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo
Não víamos beleza; não o desejamos; o desprezamos (v.3); escondemos dEle o rosto; não fizemos dEle caso algum; aflito; ferido de Deus; oprimido;
Por causa desses é que Ele morreu

8Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores.

Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores.
- ELE X NÓS
- ELE X NÓS
• A alma que pecar essa morrerá; o salário do pecado é a morte
- ELE X NÓS
O QUE ACHÁVAMOS DELE?
• Não víamos beleza; não o desejamos; o desprezamos (v.3); escondemos dEle o rosto; não fizemos dEle caso algum; aflito; ferido de Deus; oprimido;
• Por causa desses é que Ele morreu
Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores.
- ELE X NÓS

Consequências da morte

PAZ COM DEUS V.5
SATISFAÇÃO DE DEUS (V.11) E GLÓRIA AO NOME DE CRISTO (início V.12)
• Sendo pois Justificados pela fé, temos paz com Deus
SALVAÇÃO E VIDA ETERNA
SALVAÇÃO E VIDA ETERNA
V. 10 Ao Senhor agradou o moê-Lo, fazendo-o enfermar....
• V. 10 Ao Senhor agradou o moê-Lo, fazendo-o enfermar....
• Os homens são responsáveis pela morte de Cristo, mas foi Deus quem moeu Ele com sua IRA.
quando a sua alma se puser por expiação do pecado, verá a sua posteridade
O trabalho da sua alma ele verá e ficará satisfeito; com o seu conhecimento, o meu servo, o justo, justificará a muitos, porque as iniquidades deles levará sobre si.
SATISFAÇÃO DE DEUS (V.11), VITÓRIA E GLÓRIA DO NOME DE CRISTO (início V.12)

Conclusão e Aplicação

• Não somos mais inimigos, temos paz com Deus
• Não estamos mais desgarrados, temos um pastor
Não estamos desgarrados, temos um pastor
Livre acesso a Deus
• Não estamos mais distantes, temos livre acesso a Deus
Fomos sarados (corpo glorificado)
• Nossa alma não está mais doente, fomos sarados
• Você tem vivido a vida que Esse Jesus comprou para você naquela cruz?
Bagunça:
Assim como muitos se pasmaram diante dele – sua aparência era uma desfiguração da humana, e sua forma, daquela da humanidade – assim espantará muitas nações; por causa dele os reis fecharão suas bocas, porque o que não lhes foi anunciado verão, e o que não ouviram entenderão.
Contraste entre a exaltação do Servo, e sua humilhação e sofrimento
Contraste entre o que o povo pensava do Servo e qual era realmente a situação
o poder do braço de Deus não é o poder para esmagar o inimigo (pecado), mas o poder, quando o inimigo tiver esmagado o Servo, que retribui com amor e misericórdia. O Servo toma sobre si o pecado de Israel e do mundo, e, como o bode expiatório (), leva embora (nāśā’; ) de nós aqueles pecados.
este sofrimento imerecido outra coisa não pode ser senão a revelação do braço libertador do Senhor, de sua capacidade de restaurar seu povo à comunhão consigo, se ela for substitutiva, conceito esse familiar aos judeus, através da linguagem de todo o sistema sacrificial.
Ao contrário, está dizendo que ele conhecerá e fará o que é certo a fim de concretizar ser propósito para o qual foi chamado
52:14 o foco é comunicar que todo sofrimento está envolvido aqui: físico, mental e espiritual
Os reis ficam mudos pois o que jamais ouviram antes é alguém que assumira uma posição tão humilde pudesse no fim assentar-se no próprio trono de Deus.
Isaías, Volumes 1 & 2 a. Expiação e Rejeição (52.13–53.3)

Não é somente os que contemplaram antes a humilhação do Servo se sentem pasmos e mortificados, mas também as pessoas do mundo inteiro, do mais inferior ao mais elevado de todos. Nesta redação, os gentios acharão chocante a humilhação do Libertador, visto que jamais ouviram antes que é por meio da perda de todas as coisas que o Salvador conquistará todas as coisas. Este parece ser o sentido em que Paulo usa a passagem em Romanos 15.21. As nações nunca ouviram antes esta espantosa verdade, e Paulo quer ser o primeiro entre aqueles que lhas narrem. Inicialmente, se sentirão abalados ante as profundezas em que cai o Salvador (53.1–3), porém por fim serão vencidos pela gratidão de que o sofrimento dele foi em seu favor (53.4–6).

Não é somente os que contemplaram antes a humilhação do Servo se sentem pasmos e mortificados, mas também as pessoas do mundo inteiro, do mais inferior ao mais elevado de todos. Nesta redação, os gentios acharão chocante a humilhação do Libertador, visto que jamais ouviram antes que é por meio da perda de todas as coisas que o Salvador conquistará todas as coisas. Este parece ser o sentido em que Paulo usa a passagem em . As nações nunca ouviram antes esta espantosa verdade, e Paulo quer ser o primeiro entre aqueles que lhas narrem. Inicialmente, se sentirão abalados ante as profundezas em que cai o Salvador (53.1–3), porém por fim serão vencidos pela gratidão de que o sofrimento dele foi em seu favor (53.4–6).
Isaías, Volumes 1 & 2 a. Expiação e Rejeição (52.13–53.3)

Em vez de entrar em cena como um poderoso carvalho ou uma árvore frutífera em plena florescência, ele surge como um renovo ou “recém-nascido”, um broto normalmente inesperado que nasce de uma raiz exposta de uma árvore. Em questão de segundos o jardineiro o decepa com a tesoura. Ou é como uma pequena planta digladiando pela vida num solo seco. Longe de forçar passagem ao redor, sua sobrevivência é muito duvidosa.

Oswalt, J. (2011). Isaías. (C. A. B. Marra, Org., V. G. Martins, Trad.) (1a edição, Vol. 2, p. 463). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
Em vez de entrar em cena como um poderoso carvalho ou uma árvore frutífera em plena florescência, ele surge como um renovo ou “recém-nascido”, um broto normalmente inesperado que nasce de uma raiz exposta de uma árvore. Em questão de segundos o jardineiro o decepa com a tesoura. Ou é como uma pequena planta digladiando pela vida num solo seco. Longe de forçar passagem ao redor, sua sobrevivência é muito duvidosa. Um neném nascido em um estábulo poderia abalar o Império Romano? Esperávamos um major!
Esperávamos um major!
os perdedores não podem libertar outros perdedores. Ele é um homem de dores e enfermidades; o que pode ele fazer pelo restante de nós? Alguém assim dificilmente poderá nos libertar da mais persuasiva de todas as escravidões humanas: o pecado e todas as suas conseqüências.
a alma que peca essa morrerá (não mera morte física, ,), e não há perdão para o pecado à parte do derramamento de sangue (; ).
Oswalt, J. (2011). Isaías. (C. A. B. Marra, Org., V. G. Martins, Trad.) (1a edição, Vol. 2, p. 467–468). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
Essa fraqueza e doença que nos levam a fazer pouco do Servo – na verdade são fraqueza e doença nossas! se uma pessoa é ferida, isso se deve ao fato de ser ela pecadora (Ex. Jó). Este homem, porém, tem sido ferido em virtude de sermos nós pecadores. E mais, Deus o estava fazendo sofrer no lugar de outros! Parecia injusto.
Levar sobre si é a linguagem do culto, especialmente de Levítico. Ali o animal sacrificial leva embora (nāsā’) os pecados dos ofertantes, de tal modo que o ofertante nunca mais os carrega. O animal não morre simplesmente porque o ofertante pecou, e, sim, no lugar do ofertante, fazendo o que o ofertante deveria fazer (5.1,17; 10.17; 16.22; 17.16; 20.19; ver também ; ).
“esmagado” é mais forte do que implica o termo “ferido”. Ele pressupõe ao menos fazer-se em pedaços, e em alguns casos até mesmo pulverizar (19.10; ; ; [dakkā’, “pó”, uma forma substantiva de medukkā’, “esmagado”, aqui]).
Isaías, Volumes 1 & 2 b. Castigado em Lugar de Outros (53.4–6)

Este efeito no Servo é a medida de quão seriamente Deus considera nossa rebelião e deformidade.

Este efeito no Servo é a medida de quão seriamente Deus considera nossa rebelião e deformidade.
Related Media
Related Sermons