Faithlife Sermons

Sem título Sermão

Sermon  •  Submitted
0 ratings
· 1 view
Notes
Transcript

Introdução: A Justiça de Deus , muitas vezes não é entendida porque visamos um aspecto humano em Deus. Olhamos para algo e só conseguimos enxergar as nossas carências em determinada situação. Mas a justiça de Deus abrange muito mais que os nossos anseios, abrange o seu Ser e em específico um atributo: A santidade. A justiça de Deus é dependente da sua santidade; Quando falarmos então de justiça, que seja para evocar a característica de que Deus é puro e não tolera o mal . Se há mal, ele castiga . Um exemplo bem especifico da Santidade de Deus é a sua própria Lei. Se ela não é cumprida perfeitamente como ele exige, certamente haverá castigo. A lei aponta para o atributo de que Deus é Santo. Como diz em “ Tu és tão puro de olhos, que não podes ver o mal e a opressão não podes contemplar” . A Justiça de Deus, pela sua santidade não é manisfestada a quem ele quer, como a sua misericórdia, bondade, longanimidade e afins, mas é uma necessidade do seu próprio ser . Deus não tem prazer em irar-se contra o homem, pois o homem foi feito a sua imagem e semelhança, mas a sua natureza se manifesta “ contra toda impiedade e pervessão”. Este é o pré lúdio do que veremos em -18 a 26, a ira de Deus é revelada ao homem porque Deus é santo e ele exige justiça . Se você não pode pagar pessoalmente, deverá haver um substituto.
Contexto: A carta de Paulo a Romanos é com certeza uma das cartas centrais do novo testamento, que foi escrita direcionalmente aos crentes em Roma, capital do Império que governava toda a região da Palestina ; Era o centro religioso, econômico e político da Época. O conteúdo da carta ao Romanos não era apenas um compêndio teológico como em senso comum é conhecida, mas também é uma carta que traz consigo um conteúdo admoestativo e missionário. Paulo como diz no verso 15 estava pronto “ a anunciar o evangelho também aos outro, que estavam em Roma. ( Fazer um breve comentário a respeito da necessidade de se integrar teologia com praticidade)
O centro de toda carta está na expressão : “ O justo viverá pela fé”. Essa é expressão que não limita a ação de Cristo a um povo, ou a um ser humano em específico, mas sim a graça de Deus que é soberana e irresistível. Apresenta os princípios básicos do evangelho pregado por Paulo.
É bem provável que a carta tenha sido escrita entres os anos 55-57, e que provavelmente Paulo estaria em Corinto, possivelmente nos três meses relatados em e 3. Vale ainda ressaltar que a igreja de Roma havia se expandido de tal forma que “ em todo mundo a sua fé era proclamada” 1:8; A igreja de Roma era saudável, assim como mostra o relato do próprio apóstolo Paulo; E que era composta, em sua maioria por Gentios
Temos então a dimensão do contexto, Paulo desejava ir até Roma mas ainda era impedido pelo Espírito Santo de ir até Roma. Paulo ainda estava estabelecendo as bases de grandes centros
como Corinto, Éfeso e afins.
Preposição: A ira de Deus se revela contra toda impiedade e perversão dos homem porque a sua criação expressa o seu Ser , Santo. Deus, ao se revelar , como ato intencional ou auto revelação, estabeleceu pressupostos bem definidos a respeito da sua revelação geral e também da sua revelação especial( redenção). A sua revelação geral, que já pode ser vista como graça no deus a conhecer um Criador pessoal que rege todas as coisas. Mas o homem, pecaminoso como o é, não o reconheceu como tal. Retirou Deus do seu trono
foram cumpridos na provação do Éden. Ao pecar, Deus os castiga de tal forma que seria impossível para o homem pagar essa dívida com o seu próprio Sangue. Em Romanos capítulo 1, veremos a dimensão que a idolatria do homem gerou
e impôs o homem no seu lugar; o homem torno-se a sua própria esperança; Egolatria. Em Romanos capitulo 1, podemos ver esse aspectos em três pontos bem definidos dentro do texto que são:
Seu ser, santo, não tolera o pecado.
ao rejeitar os preceitos Divinos na sua
A ira de Deus é revelada
Desde a eternidade quis Deus se revelar
A Egolatria é estabelecida
A seguir, veremos estes três pontos
1 . Porque ira de Deus se revela … v 18 e 19
Ao adentrarmos o contexto do versículo 1, vemos que o apóstolo Paulo esta se referindo ao versículo anterior do , v17 que atribui a salvação pela fé , que é revelada no Evangelho, na sua simplicidade. O homem não poderia busca a sua salvação em si próprio, mas sim no Evangelho que é poder para salvação. Na tradução que nós temos , não compreende muito bem o sentido do original do texto, ficaria melhor assim: “ Porque a ira de Deus está sendo revelada do céu.... dos homem que estão constantemente tentando suprimir a verdade por [sua] injustiça…”
Mas o homem corrupto, não consegue entender que a fonte pela qual ele está buscando salvação, está totalmente condenada por conta do pecado. Qualquer meio que não seja a verdade prescrita no evangelho, certamente levará a uma ideia errada da salvação ministrada pelo nosso senhor
a) A ira de Deus
A ira de Deus , neste sentido, não está falando da sua ira em um momento específico da história da humanidade. Mas sim da sua indguinação contra as perversidades do homem, sua indignação fixada, do seu próprio ser. Deus não tolera o mal
b) A ira Deus está se revelando contra toda
A ira de Deus, nesse sentido da sua indignação ainda está se revelando a nós e foi assim com a humanidade ao longo da narrativa bíblica. Deus revelou a sua indignação no dilúvio, na destruição de Sodoma e Gomorra, nos castigos de Israel.
Impiedade e perversão, não podem ser vistas como dois núcleos distintos, ambos está vinculados a rebeldia contra Deus. A primeira aponta para a falta de reverência diante de Deus e a segunda para a falta de observância a respeito da lei de Deus. Ambas estão
vinculada a última expressão do v 1, “ injustiça”.
Muito estudiosos tem atribuído duplos si
c) A supressão da verdade pela injustiça
O homem , corrupto com o é , tem tentando suprimir a verdade de que há um Deus soberano sobre todas as coisas . Vemos na palavras de Deus exemplos , como no salmo 14, de que o homem insensato chega a dizer que “ Não há Deus”. E muitas vezes quando confrontado pela verdade do Evangelho, seu coração ainda continua endurecido. Mas a grande questão, e o v 2 faz transição para isso, é se realmente os gentios tinha conhecimento dessas verdades
E esse é o ponto que nos impulsiona para o segundo ponto
Mas antes disso, o que podemos tirar de aplicação desse versículo para as nossas vidas? De que Deus, sendo santo com o é, revela a sua indiguinação a tudo aquilo que não condiz com os seus preceitos. Não precisa se desesperar, não precisa adoecer por ansiedade, Deus não tolera o mal ; ele age com equidade ; se há impiedade e perversão Deus estará manifestando sua justiça. Devemos descansar e nos atentarmos para estas afirmações.
Hendriksen, W. (2011). Romanos. (C. A. B. Marra, Org., V. G. Martins, Trad.) (2a edição, p. 87). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
tentando suprimir a verdade com a sua injustiça.”
2. Desde a eternidade quis Deus se revelar v 20
Ao tratarmo de revelação, temos que entender que ela foi estabelecida de forma pactual. Justamente poque Deus quis se revelar ao seu humano. Ele poderia não ter se revelado? Sim. Mas desde que todas as coisas foram criadas, ele se apresentou sendo um Deus pessoal , eterno e extremamento poderoso

Ao tratarmos da revelação, temos que entender que a sua revelação já é um ato de graça nas nossas vidas. De forma pactual, quis Deus se revelar a toda a humanidade . Poderia Deus não ser revelar

a) Deus é invisível
Como nós ressaltamos no início do Sermão um dos atributos de Deus é a santidade, mas nós não podemos ver a sua santidade, nem a sua eternidade, nem o seu poder. Mas vemos isso, mesmo que de forma não completa, por conta do pecado, na sua criação. Nós expressamos esse atributos de Deus por sermos criados a sua imagem. Podemos ver esse aspecto explícito em Hebreus “Pela fé, entendemos que foi o universo formado pela palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das coisas que não aparecem.” A criação é expressão do ser de Deus.
b) A sua divindade é revelada
Deus revela a sua divindade por meio da sua própria criação, os seus atributos, a sua majestade , o senso de que há um criador eterno que não foi gerado .
na sua criação. Nós expressamos esse atributos de Deus por sermos criados a sua imagem.
Almeida Revista e Atualizada. (1993). (). Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil.
C) Por isso tais homens são indesculpáveis
Nesse sentido, esse conhecimento revelado por Deus através dos seus atributos, torna esses homens indesculpáveis. Não estamos falando de salvação, redenção ou revelação especial, mas sim dessa revelação geral em que
Deus colocou no coração do homem o conhecimento de que há um Deus criador, mesmo que essa ideia - geral - tenha sido deturpada pelo pecado. Isso fica nítido a medida que encontramos os milhares de ídolos neste mundo e nas nossas vidas. Quando o homem retirou Deus do seu lugar de direito, certamente colocará outro ou outros. Ele tem a necessidade de cultuar,. Deus se revela a humanidade, o seu testemunho é sempre expresso pela sua criação. Mesmo quando Deus disse que deixaria uma nação na ignorância, ainda sim o seu testemunho era expresso na sua criação.
3. É estabelecida a Egolatria
Ego, que significa eu, e latria, do grego adoração, o homem colocou o seus próprios pensamentos, raciocínios acima de Deus.
A) Não glorificaram como Deus
Mesmo tendo conhecimento de Deus, tais homens não glorificaram ele como Deus, pois para se glorificar a Deus corretamente faz-se necessário entender os seus atributos como um todo. De Eternidade, Bondade, misericórdia e afins… A ideia de Deus destes homens é deturpada. Ora adoram um Deus justo, mas que tem sentimentos humanos de vingança, ora adoram um Deus que faz aquilo que eles desejam, ora colocam o próprio homem no lugar de Deus. A visão que os homens têm da realidade se tornou horizontal, só conseguem enxergar, por conta do pecado, as suas própria necessidades. Por isso não o glorificaram, nem lhe deram graças .
b) Se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-lhes o coração insensato
Renunciaram a verdade de Deus , fixaram em seus próprios pensamentos , voltaram-se para as suas própria vaidades. Essa é a injustiça de tais homens que não glorificaram a Deus. Já não podem entender corretamente nada
da revelação de Deus, foram escurecidos pelos pecados, pela sua própria injustiça. Seus corações, aquilo que expressa na palavra de Deus o centro do homem, ficou manchado pela injustiça, pela própria egolatria do homem que
se tornou independente pelo seu conhecimento
c) Mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem do homem corruptível
Inculcando-se por sábios se tornaram loucos -
O homem nesse sentido, ao retirar do lugar Deus e todos os seus atributos, criou um Deus que adapta-se aos seus anseios. A loucura chegou a esse ponto, de termos a sensação que podemos mudar Deus as nossas ansiedades. Quando queremos um deus justo, criamos um deus justo, quando queremos um deus apenas misericordioso, criamos um deus misericordioso… Quando um Deus totalmente livre, colocamos o homem no lugar de Deus, tamanha a loucura. Trocaram a verdade pela mentira
Conclusão: A depravação do homem nos mostra como somos sucetíveis a essas injustiças se não formos transformados pela graça de Deus, através do seu evangelho. É pelo fé em Cristo, e isso é um dom de Deus nas nossas vidas. Vivemos em um mundo que a verdade, ministrada por Deus por rejeitada, por isso todos são indesculpáveis diante de Deus, nosso Senhor. Confiamos que através do sacrifício de Jesus Cristo foi suficiente para nos transforma. O seu evangelho, a sua verdade, nos redireciona para aquele que nos criou. Somente assim podemos ter a clara definição do Deus que nós servimos e amamos.
Aplicações:
Devemos confiar que o evangelho de Cristo é a verdade para nós. Não há nada neste mundo que posso fazer compreender melhor a Deus que não a sua palavra. O Deus que se revela nos deu um texto, o qual é suficiente para preencher cada vazio dos nossos corações. Como diria Francis Shaeffer: É a verdade verdadeira
Deus, ao se revelar como Santo , nos dá as diretrizes do verdadeiro culto que devemos prestar com as nossas vidas. Sedes santos porque eu sou Santo. O insensato diz: Não há Deus. Nós dizemos: Há um Deus santo que exige um culto santo, verdadeiro e exclusiv
Related Media
Related Sermons