Faithlife Sermons

Lidando com a soberba

1Coríntios  •  Sermon  •  Submitted
0 ratings
· 1 view
Notes
Transcript

Lidando com a soberba

texto:
Introdução
É praticamente impossível não existir partidos nas relações humanas. As pessoas constantemente gostam de comparar e de se posicionar em favor de um contra o outro. Brigas e conflitos surgem, não poucas vezes, quando os que estão envolvidos em partidarismo, para mostrar que estão certos nas suas opiniões, menosprezam o interlocutor e a pessoa que ele(a) defende.
Atitudes assim revelam infantilidade e mundanismo. Crianças discutem quem é o melhor jogador, o melhor time de futebol, o melhor pai, a melhor mãe e brigam por causa destas coisas. Eu, quando criança, já briguei com um colega que disse que o carro do pai dele corria mais do que o do meu pai, dei um soco no nariz dele e o xinguei.
No primeiro capítulo da carta, Paulo trata sobre o chamado cristão: chamado à santidade, união com Cristo e para glorificarmos a Deus. No segundo, ele fala sobre o evangelho: Foi preordenado por Deus na eternidade, centralizado na morte de Cristo e aplicado pelo Espírito Santo. Temos a trindade presente do capítulo dois. No terceiro capítulo ele fala sobre a igreja. Ele se utiliza de três figuras: Igreja é uma família, cujo alvo é a maturidade. Igreja é um campo , cujo projeto é a quantidade. A igreja é um templo, cujo propósito é a qualidade. Em todas as três figuras o instrumento de edificação é a Palavra. A Palavra é alimento para família, semente pelo qual o campo produz e o material de edificação que o santuário é edificado. No quarto capítulo o tema é o obreiro. Três figuras são utilizadas por Paulo: 1) Obreiro é um Mordomo, é exigido fidelidade (4.1-6); 2) Obreiro é um espetáculo ao mundo, deve refletir humildade (4.7-13) (; 3) Obreiro é um pai, deve demonstrar amabilidade (4. 14-21).
Chamado cristão, chamado à santidade, união com Cristo e para glorificarmos a Deus
Capítulo 2
Evangelho. Foi preordenado por Deus na eternidade, é centralizado na morte de Cristo e aplicado pelo Espírito Santo (Trindade
Capítulo 3
Igreja, Igreja é uma família, cujo alvo é a maturidade. Campo , cujo projeto é a quantidade. Templo, propósito, qualidade. Instrumento de edificação é a Palavra. Alimento para família, semente pelo qual o campo produz. Material de Edificação, templo e santuário é edificado.
Capítulo 4
Obreiro. 3 figuras: 1) Obreiro é um Mordomo, é exigido fidelidade (4.1-6); 2) Obreiro é um espetáculo ao mundo, humildade; 3) Obreiro é um pai, amabilidade
Os valores do mundo estão gerenciando os assuntos da igreja. O prazer do povo era ir para Ágora ouvir os grandes filósofos e acabavam por tomar partido por algum desses sábios. Na igreja também queriam seguir alguns líderes, Paulo, Apolo, Cefas, Cristo. O apóstolo Paulo deixa claro que:

As divisões com base na avaliação humana dos mensageiros do evangelho são incorretas porque apenas o juízo de Deus é perfeito e definitivo (4.1–5).

As divisões com base na avaliação humana dos mensageiros do evangelho são incorretas porque apenas o juízo de Deus é perfeito e definitivo (4.1–5).

5. As divisões alicerçadas em preferências pessoais revelam a imaturidade dos coríntios com relação aos ministros que eles diziam seguir (4.6–13).

e que:

As divisões alicerçadas em preferências pessoais revelam a imaturidade dos coríntios com relação aos ministros que eles diziam seguir (4.6–13).

Depois de se dirigir aos líderes, Paulo volta-se à congregação e aponta para as riquezas disponibilizadas para eles em Cristo como uma motivação para perdoar e esquecer suas disputas sobre liderança e sabedoria humana (3.18–22). Além do mais, ele aponta para a insuficiência das avaliações humanas como base para estabelecer o valor de um indivíduo como líder (4.1–5). Paulo não está defendendo a falta de responsabilidade aqui, mas afirmando que apenas à luz da eternidade um ministério poderá ser mensurado e recompensado de forma apropriada. Portanto, ele equilibra as motivações negativa e positiva relacionadas ao tribunal de Cristo (cf. 3.10–17; 2Co 5.10).

O sarcasmo é sua próxima arma, ao contrastar os orgulhosos coríntios e seus líderes arrogantes com o estilo de vida humilde dos verdadeiros apóstolos de Deus (4.6–13). Apesar do sarcasmo, sua crítica possui um tom pastoral e um apelo fraterno, uma vez que seu desejo é que eles endireitem seus caminhos. Por isso, Timóteo seria enviado [com a carta] como representante com a autoridade de impor a disciplina apostólica (4.14–17);

F.C.D.: Na raiz do pecado está a soberba, o orgulho. Quando pecamos estamos dizendo a Deus que somos mais sábios do que Ele, que não respeitamos os seus conselhos.
Tendência humana de andar (se estribar) no seu próprio entendimento.
Tendência humana de se destacar dos demais considerando-se superior.
Tendência humana de justificar os seus pecados relativizando a seriedade das consequências da arrogância e da divisão na igreja.
F.C.R.: Na raiz da paz está a redenção promovida pelo Evangelho e conduzida pelo Espírito Santo que batiza os crentes num só corpo a fim de viverem em unidade e em edificação mútua.
Por isso há esperança para uma igreja que se deixou levar pelos padrões mundanos. O Espírito Santo, por meio do Evangelho é poderoso para fazer os irmãos caírem em si e retornarem ao padrão bíblico da unidade e do amor.
S.I.:
Como posso ser um instrumento de Deus para apagar os conflitos existentes no ceio da igreja?
Será que tenho cooperado para causar divisão na minha igreja? Valorizo a qualidade de alguns em detrimento de outros?
Proposição: As divisões na igreja, causadas pelas soberbas presentes nas vidas dos crentes imaturos, precisam ser repreendidas por alguém manso, que conhece o motivo que tem conduzido a igreja ao pecado e que seja motivado pelo amor.
S.T.: A Repreensão, necessária para combater a soberba no ceio da igreja, é importante e precisa seguir algumas diretrizes que envolvem o CONSELHEIRO, o CONTEÚDO e o CORAÇÃO.
O CONSELHEIRO precisa ser: MANSO
Deve estar ciente da sua posição em Cristo
Essas coisas abarcam as três metáforas empregadas por Paulo no texto entre :
Ele é um agricultor
Ele é um construtor
Ele é um despenseiro
Deve estar ciente da sua função em Cristo
Servir de modelo para a igreja
Abençoar a vida da igreja
O CONTEÚDO revela o: MOTIVO
Motivo negativo: Divisão na igreja
1 Coríntios b. Orgulho (4.6–8)

O problema crucial do que Paulo afirma diz respeito às divisões na igreja de Corinto; uma facção prefere Paulo e a outra facção, Apolo. Empertigando-se como galos encrespados, os membros de cada facção colocavam-se arrogantemente uns contra os outros. Se não fosse tão sério, seria cômico observar cada um dos membros da igreja exibindo os favoritos de seus partidos. Paulo proíbe cada um dos coríntios de promover o partidarismo exaltado que está em curso na igreja (1.12; 3.4). Que ninguém trombeteie sua preferência por um líder, seja Paulo ou Apolo

1 Coríntios b. Orgulho (4.6–8)

O problema crucial do que Paulo afirma diz respeito às divisões na igreja de Corinto; uma facção prefere Paulo e a outra facção, Apolo. Empertigando-se como galos encrespados, os membros de cada facção colocavam-se arrogantemente uns contra os outros. Se não fosse tão sério, seria cômico observar cada um dos membros da igreja exibindo os favoritos de seus partidos. Paulo proíbe cada um dos coríntios de promover o partidarismo exaltado que está em curso na igreja (1.12; 3.4). Que ninguém trombeteie sua preferência por um líder, seja Paulo ou Apolo

Motivo positivo: Orientação à igreja
A vanglória é inconcebível devido ao fato de que:
Deus é quem exalta o ministério de uma pessoa (v.7a)
A repreensão aqui está no fato de que Paulo desafia o indivíduo que deseja arrogantemente exibir sua superioridade a dizer de quem recebeu o posto de que se apropriou. A questão que Paulo coloca diante de indivíduos enfatuados é retórica e recebe a resposta negativa: "Obviamente, ninguém!". Paulo não criou uma facção com o seu nome, e Deus não concedeu superioridade alguma a nenhum cristão individualmente.
Deus é quem concede dons a uma pessoa (v.7b)
1 Coríntios b. Orgulho (4.6–8)

Paulo faz novamente uma pergunta retórica a cada cristão. Essa pergunta também recebe uma resposta negativa: “Nada”! Perguntado sobre o que possui, cada coríntio e coríntia precisa reconhecer a fonte de tudo o que relacionar. Uma resposta honesta precisa ser que Deus concedeu todos os dons materiais e espirituais (ver Jo 3.27 e Tg 1.17). Cada um está em débito com Deus e precisa louvá-lo por tais posses e, dessa forma, não tem base para arrogância.

1 Coríntios b. Orgulho (4.6–8)

Se Deus concede graça, então seu povo se torna recebedor de bênçãos incontáveis. Como eles dependem inteiramente de Deus, não podem dar a si mesmos qualquer crédito por suas aquisições.27

Motivo positivo: Orientação à igreja
1 Coríntios b. Orgulho (4.6–8)

Eles precisam aprender com seus líderes a ouvir os ensinamentos da palavra de Deus.25 Em diversos lugares, as Escrituras advertem as pessoas contra a arrogância (ver, por exemplo, Jó 40.12; Pv 8.13 e Gl 6.3). Os coríntios precisam aprender a serem humildes e compreenderem que tudo o que possuem receberam de Deus. Eles ouvem Deus falar com eles a partir das páginas das Escrituras.

1 Coríntios b. Orgulho (4.6–8)

Eles precisam aprender com seus líderes a ouvir os ensinamentos da palavra de Deus.25 Em diversos lugares, as Escrituras advertem as pessoas contra a arrogância (ver, por exemplo, Jó 40.12; Pv 8.13 e Gl 6.3). Os coríntios precisam aprender a serem humildes e compreenderem que tudo o que possuem receberam de Deus. Eles ouvem Deus falar com eles a partir das páginas das Escrituras.

3. O CORAÇÃO revela a: MOTIVAÇÃO
Motivação externa: sarcasmo, realidade e contraste
O SARCASMO!
Já estás fartos: Ele observa que os coríntios pensam ter satisfeito suas exigências espirituais e materiais; não têm necessidade de coisa alguma ou de ninguém mais. Em total contraste com a realidade, consideram-se bem-sucedidos na igreja e na sociedade e, com efeito, cultivavam a falsa noção de que cada um era superior aos demais. Kistemaker, S. (2014). 1 Coríntios. (H. H. G. Silva, Trad.) (2a edição, p. 175). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
Já estás ricos: Pessoas autossuficientes enganam a si mesmas, pois acreditam que são ricas quando são absolutamente pobres. Por exemplo, Jesus repreende a igreja de Laodiceia: “Você diz: ‘Estou rico; na verdade, obtive riqueza e não preciso de coisa alguma’. Mas você não percebe que é infeliz, miserável, pobre, cego e nu” (). Kistemaker, S. (2014). 1 Coríntios. (H. H. G. Silva, Trad.) (2a edição, p. 175). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
Kistemaker, S. (2014). 1 Coríntios. (H. H. G. Silva, Trad.) (2a edição, p. 175). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
Pessoas autossuficientes enganam a si mesmas, pois acreditam que são ricas quando são absolutamente pobres. Por exemplo, Jesus repreende a igreja de Laodiceia: “Você diz: ‘Estou rico; na verdade, obtive riqueza e não preciso de coisa alguma’. Mas você não percebe que é infeliz, miserável, pobre, cego e nu” ()
Chegastes a reinar sem nós: Em vez de verem a si mesmos como cidadãos no reino de Deus, os cristãos coríntios agem como se fossem os soberanos nesse reino. Alegam serem reis, em vez de súditos do rei. Kistemaker, S. (2014). 1 Coríntios. (H. H. G. Silva, Trad.) (2a edição, p. 175). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
Kistemaker, S. (2014). 1 Coríntios. (H. H. G. Silva, Trad.) (2a edição, p. 175). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
Kistemaker, S. (2014). 1 Coríntios. (H. H. G. Silva, Trad.) (2a edição, p. 175). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
Sim, tomara reinásseis para que também viéssemos a reinar convosco: Nesse versículo, o tom de Paulo é irônico. O apóstolo expressa seu desejo de que o reino de Deus tivesse de fato se revelado e que os crentes coríntios reinassem com Cristo (; ). Se esse fosse o caso, ele e Apolo prontamente se assentariam junto deles na cadeira de honra real. Mas, como o oposto é que é verdadeiro, ele se utiliza de sarcasmo para impressionar os leitores de sua epístola. Eles deixaram de reconhecer o fato de que os servos de Cristo (Paulo, Apolo e outros) lhes haviam ensinado a respeito do reino de Deus e os tinham conduzido a Cristo. Agora alegam ser independentes desses servos e enganam a si mesmos fingindo serem reis. O comentário irônico lhes faz saber que, em agindo assim, eles se colocam à frente de Paulo e seus colaboradores, os quais ainda estão aguardando a vinda do reino. Kistemaker, S. (2014). 1 Coríntios. (H. H. G. Silva, Trad.) (2a edição, p. 175–176). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
Nesse versículo, o tom de Paulo é irônico. O apóstolo expressa seu desejo de que o reino de Deus tivesse de fato se revelado e que os crentes coríntios reinassem com Cristo (; ). Se esse fosse o caso, ele e Apolo prontamente se assentariam junto deles na cadeira de honra real. Mas, como o oposto é que é verdadeiro, ele se utiliza de sarcasmo para impressionar os leitores de sua epístola. Eles deixaram de reconhecer o fato de que os servos de Cristo (Paulo, Apolo e outros) lhes haviam ensinado a respeito do reino de Deus e os tinham conduzido a Cristo. Agora alegam ser independentes desses servos e enganam a si mesmos fingindo serem reis. O comentário irônico lhes faz saber que, em agindo assim, eles se colocam à frente de Paulo e seus colaboradores, os quais ainda estão aguardando a vinda do reino.
REALIDADE! Ele avalia sua presente condição para contrastar com a posição e pensamento dos coríntios:
Kistemaker, S. (2014). 1 Coríntios. (H. H. G. Silva, Trad.) (2a edição, p. 175–176). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
Por causa do apostolado, é submetido à ridicularização, ódio e maus-tratos físicos e verbais, sem falar da possibilidade da morte.
Em último lugar, como homens condenados à morte: Deus colocou os apóstolos em último lugar, como se estivessem numa parada de vitória,30 na qual os conquistadores aparecem primeiro e os conquistados por último. Esse lugar assinala-os como vítimas que logo verão a morte, ou por mão humana ou pelo dente de feras. 30 Alguns tradutores oferecem um equivalente dinâmico aqui: “no fim da procissão” (NIV), “bem no final da procissão da vitória” (TNT, itálicos no original), “no final da parada dele” (JB). / Kistemaker, S. (2014). 1 Coríntios. (H. H. G. Silva, Trad.) (2a edição, p. 177). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
30 Alguns tradutores oferecem um equivalente dinâmico aqui: “no fim da procissão” (NIV), “bem no final da procissão da vitória” (TNT, itálicos no original), “no final da parada dele” (JB).
Porque nos tornamos espetáculo para o mundo, para os anjos e para os homens: Paulo emprega a palavra theatron (traduzida como “espetáculo”), da qual deriva o termo teatro. Observe que essa mesma palavra grega aparece duas vezes no relato que Lucas faz do tumulto em Éfeso, no qual Gaio e Aristarco, companheiros de Paulo, foram arrastados para o teatro (,) como espetáculo para o povo. Em anfiteatros, qualquer um podia comparecer para assistir à execuções de escravos e criminosos. Kistemaker, S. (2014). 1 Coríntios. (H. H. G. Silva, Trad.) (2a edição, p. 177–178). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
Kistemaker, S. (2014). 1 Coríntios. (H. H. G. Silva, Trad.) (2a edição, p. 177). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
Kistemaker, S. (2014). 1 Coríntios. (H. H. G. Silva, Trad.) (2a edição, p. 177–178). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
CONTRASTE:
Nós somos tolos, e vós, sábios em Cristo: Paulo afirma que ele e seus companheiros de apostolado são tolos “por causa de Cristo” (ver, por ex., ; ; ; ). De uma perspectiva humana, Paulo e os demais apóstolos são tolos ao arriscarem a vida por causa de Cristo. “Todavia, o sentido é obviamente duplo: dessa forma, os apóstolos também refletem a verdade do evangelho, que é tolice ao olhos dos sábios deste mundo”. Kistemaker, S. (2014). 1 Coríntios. (H. H. G. Silva, Trad.) (2a edição, p. 178). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã. Paulo é bastante irônico quando diz aos destinatários de sua epístola que eles se consideram crentes inteligentes e sábios em Cristo. Quer dar a entender justamente o oposto, porque a sabedoria deles é meramente humana, que nada tem que ver com a sabedoria divina em Cristo. Kistemaker, S. (2014). 1 Coríntios. (H. H. G. Silva, Trad.) (2a edição, p. 178). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
Kistemaker, S. (2014). 1 Coríntios. (H. H. G. Silva, Trad.) (2a edição, p. 178). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
Nós, fracos, e vós, fortes; vós, nobres, e nós, desprezíveis: Paulo contrasta a sorte dos apóstolos com a dos coríntios. Ele prontamente proclama a fraqueza dos servos de Cristo num mundo em que a fraqueza é desprezada e a força é louvada. Então, na ordem inversa, contrasta a honra que os coríntios receberam com a desonra que é atribuída aos apóstolos. Em outra parte, Paulo contrasta sua fraqueza (2.3; ,,; ) com as virtudes de poder e força. Considera sua própria fraqueza como sendo marca de um verdadeiro seguidor de Jesus Cristo, pois é Cristo que o fortalece (). Toma a revelação de Jesus com respeito à sua própria fraqueza como motivo para vangloriar-se; diz que o poder de Cristo se aperfeiçoa nele (). Os coríntios, ao contrário, declaram-se fortes, mas são fracos e destituídos de comunhão íntima com Cristo. Kistemaker, S. (2014). 1 Coríntios. (H. H. G. Silva, Trad.) (2a edição, p. 179). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
Kistemaker, S. (2014). 1 Coríntios. (H. H. G. Silva, Trad.) (2a edição, p. 178). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
11Até à presente hora, sofremos fome, e sede, e nudez; e somos esbofeteados, e não temos morada certa,12e nos afadigamos, trabalhando com as nossas próprias mãos. Quando somos injuriados, bendizemos; quando perseguidos, suportamos;13quando caluniados, procuramos conciliação; até agora, temos chegado a ser considerados lixo do mundo, escória de todos.
Em outra parte, Paulo contrasta sua fraqueza (2.3; ,,; ) com as virtudes de poder e força. Considera sua própria fraqueza como sendo marca de um verdadeiro seguidor de Jesus Cristo, pois é Cristo que o fortalece (). Toma a revelação de Jesus com respeito à sua própria fraqueza como motivo para vangloriar-se; diz que o poder de Cristo se aperfeiçoa nele (). Os coríntios, ao contrário, declaram-se fortes, mas são fracos e destituídos de comunhão íntima com Cristo.
Estatísticas revelam que a igreja cresce numérica e espiritualmente em países onde perseguições, injustiças, pobreza, corrupção e aflições são comuns. Por comparação, a filiação à igreja declina em países onde flui riqueza e conforto. Onde vivem cercados de conforto e tranquilidade material, os cristãos tendem muitas vezes a esquecer os chamamentos de Cristo. Tornam-se autossuficientes e, embora mantendo uma aparência religiosa, perdem seu amor por Cristo e pela mensagem da salvação. Kistemaker, S. (2014). 1 Coríntios. (H. H. G. Silva, Trad.) (2a edição, p. 182). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
11Até à presente hora, sofremos fome, e sede, e nudez; e somos esbofeteados, e não temos morada certa,12e nos afadigamos, trabalhando com as nossas próprias mãos. Quando somos injuriados, bendizemos; quando perseguidos, suportamos;13quando caluniados, procuramos conciliação; até agora, temos chegado a ser considerados lixo do mundo, escória de todos.
Kistemaker, S. (2014). 1 Coríntios. (H. H. G. Silva, Trad.) (2a edição, p. 182). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
Kistemaker, S. (2014). 1 Coríntios. (H. H. G. Silva, Trad.) (2a edição, p. 179). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
Motivação interna: amor
14Não vos escrevo estas coisas para vos envergonhar; pelo contrário, para vos admoestar como a filhos meus amados. Sociedade Bíblica do Brasil. (2003). Almeida Revista e Atualizada, com números de Strong (). Sociedade Bíblica do Brasil.
14Não vos escrevo estas coisas para vos envergonhar; pelo contrário, para vos admoestar como a filhos meus amados.
Sociedade Bíblica do Brasil. (2003). Almeida Revista e Atualizada, com números de Strong (). Sociedade Bíblica do Brasil.
Conclusão:
No dia que eu bati no meu colega e o xinguei, eu também quase morri. O incidente ocorreu em cima da caçamba do carro do pai dele quando estávamos indo para um restaurante que nossa família gostava muito, Via Apia. Depois que os carros pararam, eu pulei do carro e atravessei a avenida correndo para falar com o meu pai e perguntar se não era verdade que o carro dele corria mais. Neste momento ouvi um grande barulho de carro freando. Por pouquíssimos centímetros não fui acertado em cheio por um carro que estava passando por aquela avenida. Não tive paciência, não fui prudente, não olhei para os dois lados. Agi na impulsividade do meu coração e quase
Related Media
Related Sermons