Faithlife Sermons

Porque devemos descansar em Deus? Sl 139. 1-18

Avulso  •  Sermon  •  Submitted
0 ratings
· 8 views

Quando conhecemos quem Deus é o que Ele faz descansamos nele, e deixamos de sofrer pela nossa impotencia.

Notes & Transcripts | Sermon Questions

Porque devemos descansar em Deus?

INTRODUÇÃO:
PERGUNTAS RETÓRICAS:
· Você já se sentiu sozinho?
· Você já se sentiu incapaz diante de uma situação?
· Você está cansado?
· Como está a sua saúde hoje?
De acordo com a Doutora Elaine Aires, o sentimento de solidão, que é quando a pessoa está ou se sente só, traz consequências ruins à saúde, pois causa tristeza, interfere no bem-estar e facilita o desenvolvimento de doenças como estresse, ansiedade ou depressão. Estas situações podem, ainda, causar doenças físicas, pois estão intimamente ligadas à desregulação de hormônios, como serotonina, adrenalina e cortisol, que afetam os sistema endócrino e imunológico da pessoa, ou seja, o organismo passa a realizar as atividades com menos eficiência e tem mais chances de ter doenças.
Apesar de não haver comprovação absoluta de causa e feito, estudos já demonstram que a solidão pode favorecer o surgimento de:
1. Pressão alta;
2. Alteração do açúcar no sangue;
3. Predisposição ao desenvolvimento de câncer;
4. Estresse e ansiedade;
5. Depressão;
6. Insônia ou dificuldade para dormir;
7. Dor nos músculos e nas articulações;
8. Maior chance de dependência de medicamentos, álcool e cigarro. [1]
Irmãos, nossos conceitos a respeito de Deus e nosso relacionamento com Ele determinam o que pensamos sobre todas as outras coisas deste mundo tão agitado em que vivemos. Ideias erradas sobre Deus acabam levando a um tipo errado de vida, trilhando o caminho errado, rumo ao destino errado. Em outras palavras, a teologia - o conhecimento correto de Deus - é essencial para se ter uma vida plena neste mundo. Davi contemplou a Deus e escreveu para nós um salmo, cuja mensagem não pode fazer outra coisa senão nos incentivar a permanecer num relacionamento correto com o Senhor.
[1] https://www.tuasaude.com/consequencias-da-solidao/ acessado dia 17/09/2018 às 18:37.
CONTEXTUALIZAÇÃO:
Informações contextuais sobre o livro de Salmos para as nossas vidas:
Os Salmos e a Vida Espiritual:
O Livro dos Salmos serve a dois grandes propósitos, que podem ser expressos nestas afirmações:
· O Livro dos Salmos fala a nós.
· O Livro dos Salmos fala por nós.
Cada um desses aspectos é importante e tem consequências práticas para nós hoje. O Saltério veio de Deus e conduz a Deus. Recebemos bênção quando lemos e usamos os Salmos e quando somos instruídos por eles. Falam ao nosso coração e trazem verdades espirituais à nossa mente e consciência. Mas também falam por nós, quando os utilizamos em louvor e oração como se fôssemos seus autores.[1]
Informações contextuais sobre o Salmo 139:
Este salmo é intensamente pessoal. Sua mensagem essencial é sobre o modo como Deus conhece todas as suas criaturas. Não existe lugar algum em que possamos nos esconder D’ele, e as próprias trevas não podem encobrir-nos, nem nossas ações, de seus olhos que a tudo veem. [2]
Neste Salmo, para desfazer muitos dos esconderijos enganosos nos quais a maioria dos homens busca refúgio, vestindo-se de hipocrisia, Davi insiste, em termos gerais, sobre a verdade de que nada pode enganar a observação divina. Ele ilustra essa verdade a partir da formação original do homem, pois Aquele que nos formou no ventre de nossa mãe e comunicou uma função específica a cada membro de nosso corpo, é impossível que Ele seja ignorante de nossas ações.[3]
A onisciência, onipresença e onipotência de Deus são os temas das meditações de Davi neste belo salmo. Nesse salmo, Davi pediu a Deus que o examinasse completamente para afirmar sua inocência. O salmo tem quatro estrofes de seis versos cada. A mensagem progride de um assunto para outro. Sua primeira meditação é sobre o conhecimento de Deus, que cada aspecto de sua vida foi pesquisado e controlado pelo que o Senhor conhecia. Ele então percebeu que era impossível escapar de tal controle onisciente, não importa quão longe ou rápido ele pudesse ir, pois Deus está em todo lugar. Com base nessas meditações, Davi então afirmou sua lealdade a Deus e orou para que Deus o provasse examinando-o.[4]
[1] Harman, A. (2011). Salmos. (V. G. Martins, Trad.) (1a edição, p. 69). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
[2] Harman, A. (2011). Salmos. (V. G. Martins, Trad.) (1a edição, p. 454). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
[3] Meister, M. F. (2009–2012). Prefácio à Edição em Português. In F. Ferreira, T. J. Santos Filho, & F. W. Ferreira (Orgs.), V. G. Martins (Trad.), Salmos (Primeira Edição, Vol. 4, p. 482). São José dos Campos, SP: Editora Fiel.
[4] Ross, A. P. (1985). Psalms. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 891). Wheaton, IL: Victor Books.
FRASE DE TRANSIÇÃO + TEMA
Com base nesse texto, hoje iremos refletir sobre o seguinte tema:

PORQUE DEVEMOS DESCANSAR EM DEUS?

Tese:
· Por que Devemos descansar em Deus?
· Qual a relação dos atributos de Deus com as nossas vidas?
· Alguma vez, você já descansou em Deus?
OBSERVAÇÃO IMPORTANTE
De acordo com o Dicionário Online de Português, descansar significa: Acalmar-se; alcançar um estado de tranquilidade; deixar de ter preocupações. Quando se fala sobre Descansar em Deus, podemos entender como nos “apoiar” em Deus, nos “tranquilizar”, “confiar”.
Quando lançamos sobre Ele as nossas preocupações, começamos a entender que somente Ele pode fazer por nós aquilo que sozinhos não conseguimos. Descansar n’Ele, nada mais é do que saber que Deus atua em nossa vida e dirige cada um de nossos passos.
Ou seja, todos os dias, devemos ficar descansados em Deus, pois, quando estamos com Ele, confiamos a Ele os nossos sentimentos, ansiedades e preocupações, visto que, através do nosso relacionamento com Ele, teremos a certeza de que Ele, em Sua providência, amor e cuidado, sempre fará o melhor para nós.
ARGUMENTAÇÃO

1) DEUS SABE DE TUDO (VS. 1-6)

Esse conhecimento total de Deus, na teologia é denominado Onisciência, ou seja, é a ciência total de Deus quanto todas as coisas, e quando todas e todas mesmo. Sendo que, somente Deus possui essa característica, e nenhum ser com todo o seu conhecimento pode ser comparada com o conhecimento TOTAL de Deus.
O verbo "sondar" no versículo 1, significa "examinar com grande empenho, cuidado e em profundidade". O povo de Israel usava esse termo para descrever a escavação profunda numa mina, a exploração de uma terra e a investigação de uma causa legal. Queridos, nossos amigos vêem a aparência, mas Deus vê o coração, e não podemos enganá-lo.
· Adão e Eva tentaram (Gn 3:7-24);
· Também Caim (Gn 4:1-1 5);
· E até mesmo Davi (2 Sm 11 - 12),
· Todos eles descobriram que Deus sabia tudo a respeito deles.
Davi, confessa que esse conhecimento vai além de sua compreensão e declara que as palavras não podiam expressar a verdade da completude com que todas as coisas estão visíveis aos olhos de Deus, visto que esse conhecimento não possui limites ou medidas. Assim, ele só podia contemplar a amplitude desse conhecimento com ignorância consciente. (vs. 1,2).
No versículo 2, o verbo "saber" significa "distinguir e discernir com entendimento" e não apenas reunir dados brutos. "Esquadrinhar", no versículo 3, descreve o ato de selecionar os grãos. [1]
A linguagem de penetração é usada para mostrar quão profundo e pessoal é o conhecimento que Deus tem de cada um de nós. Independente de nossa situação, ele nos conhece absolutamente, e mesmo os mais íntimos pensamentos de nossas mentes são como que um livro aberto diante dele.
Deus conhece nossas ações, situações, pensamentos, palavras, costumes e motivações. "Todas as coisas estão descobertas visíveis aos olhos daquele a quem temos de prestar contas" (Hb 4:13).
Mais do que isso, porém, ele sabe o que é melhor para nós e faz de tudo para nos conduzir em direção a esse ideal. Ele nos cerca "por trás e por diante" e coloca sua mão sobre nós para nos firmar e dirigir.
O termo traduzido por "cercar" significa "guardar um objeto valioso", de modo que somos protegidos pelo conhecimento e a orientação de Deus.[2]
Não há escape da presença de Deus (v. 5). Se o salmista vai para longe, Deus está ali. Se ele volta, ainda o encontra. Sua mão o alcança para mantê-lo sob controle. Seu Deus não é apenas todo-conhecedor (onisciente), mas também está presente em toda parte (onipresente). O conhecimento de Deus está além da compreensão humana (v. 6). Ele é chamado aqui conhecimento “maravilhoso”, usando a expressão hebraica que regularmente denota ações que por sua por sua própria natureza estão além da capacidade humana. Realmente podemos conhecer a Deus porque ele se nos revela, mas não podemos conhecê-lo exaustivamente. Esse tipo de conhecimento pertence unicamente a ele, e isso é o que o salmista quer dizer quando fala em conformidade com o texto hebraico: “Eu não posso [atingir] a ele.” [3]
Referencia base: Mateus 11. 28
“Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei.”
ILUSTRAÇÃO
Certa vez, um homem com seu cavalo se perde do grupo no meio de uma floresta, e após passar muito tempo procurando o seu grupo, ele acaba encontrando uma casa isolada no meio da floresta. Ele bate na porta e se depara com um senhor, que estava sozinho. Então, ele pede ajuda aquele senhor para encontrar o seu grupo, posteriormente o senhor, orienta ele da seguinte forma: Para chegar no acampamento do seu grupo, você tem que ir em linha reta no sentido norte, você ira atravessar dois rios, subir a serra e atravessar o brejo, assim você chegara em seu destino. O homem estava pronto para sair, mas, o senhor vestiu a sua camisa e tomou a corda do cavalo, e promete guiar o homem ate o seu destino. Eles seguem ao norte, atravessam os rios, sobem a serra e passam pelo brejo, e chegam ao destino. Então o homem que não estava mais perdido perguntou aquele senhor: Como senhor conseguiu chegar aqui? Estava tudo escuro, e o senhor não usou nada para iluminar o caminho. Então o senhor respondeu: Muito simples meu amigo, eu conheço todas essas terras, como se fosse a palma da minha mão. Afinal, todas essas terras são minhas.

2) DEUS ESTÁ PRESENTE EM TODOS OS LUGARES (VS. 7-12)

Essa TOTAL presença de Deus, na teologia é denominada, ONIPRESENÇA, pois, Deus está presente em todos os lugares. Uma vez que, ninguém além de Deus consegue estar em todos os lugares ao mesmo tempo, pois, somente Deus possui esse atributo.
Se Deus sabe tanta coisa a nosso respeito, talvez o melhor a fazer seja fugir e se esconder, mas as "rotas de fuga" são inúteis. Se vamos para o céu ou para o sheol “fundo da terra”, o reino dos mortos, Deus está lá; se viajamos de leste a oeste na velocidade da luz, sua mão nos toma e gentilmente nos conduz. Não podemos nos esconder nem mesmo nas trevas, pois para o Senhor, as trevas são como luz. Deus quer falar conosco e nos guiar, pois seu plano para nós é o ideal. Por que temos esse desejo de fugir e de nos esconder? Adão e Eva tentaram essa tática e falharam (Gn 3:8), e o mesmo aconteceu ao profeta Jonas, que só foi de mal a pior. Se desejamos desfrutar o amor de Deus e cumprir seus propósitos, precisamos de sua presença em nossas vidas. [4]
As perguntas retóricas no versículo 7 (“Para onde irei de teu Espírito? Para onde fugirei de tua presença?”) introduzem várias possibilidades sobre para onde o salmista poderia ir a fim de escapar de Deus. A questão, como em Jeremias 23.24, é que não há nenhum lugar para onde se possa fugir de Deus.
Em suma, Davi quer dizer que não podia mudar de um lugar a outro sem que Deus o visse e o segue com seus olhos, enquanto se movia. O vocábulo mão no sentido de poder. E a afirmação tem este significado: se o homem tentasse fugir da observação de Deus, seria fácil para Ele apanhar e trazer de volta o fugitivo.[5]
Referência Base: Mateus 28.20
“E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.”

3) DEUS CONTROLA A SUA CRIAÇÃO (VS. 13-18)

Esse TOTAL controle de Deus na sua Criação, na teologia é denominado ONIPOTENCIA, ou seja, Deus tem total controle “poder” sobre todas as coisas, ninguém é mais poderoso do que Ele, uma vez que, somente Deus possui esse atributo.
Trata-se de uma das passagens mais maravilhosas da literatura sobre o milagre da concepção e o nascimento humano. Eugene Petersen diz: "Ao testemunhar o nascimento, não calculamos - apenas nos maravilhamos".
Deus nos formou da maneira como deseja que sejamos, e quaisquer que sejam nossas opiniões sobre nossa estrutura, aparência ou habilidades, devemos aceitar sua vontade. O verbo "tecer" (v. 13) significa cobrir ou "cingir" (ver Is 32:12). Deus tece o ser humano no útero da mãe, como se fosse a formação original, quando Deus “molda” Adão do barro. E da mesma forma como Ele moldou Adão do barro ele molda todas as pessoas, no ventre de suas mães, com o mesmo carinho e atenção. E por todos esses detalhes entre outros, nós como cristãos, devemos ser contra a interrupção dessa moldagem, que é feita atrafves do aborto. O aborto interrompe esse milagre, por isso, consideramos o aborto uma tragédia.
Porém, o Senhor fez mais do que criar e formar nosso corpo; também planejou e determinou nossos dias (v. 16). É bem provável que isso inclua a extensão da vida (Jó 14:5) e as tarefas que reservou para realizarmos (Ef 2:10; Fp 2:12, 13).[6]
A declaração do salmista no sentido de que sua alma conhecia muito bem essas maravilhas, que transcendem infinitamente a compreensão humana, significa apenas que, Ele colocaria toda a sua atenção e talentos em obter essa apreensão das maravilhosas obras de Deus, resultando em que adoraria a infinitude da glória de Deus.[7]
O termo livro é uma figura tomada da prática comum entre os homens de auxiliar sua memória por meio de livros e comentários. Seja qual for o objeto do conhecimento de Deus, o salmista diz que Ele registrou em forma escrita, não por necessidade da memória.
Os pensamentos” de Deus são seu interesse em preocupar-se com o salmista (vs. 17,18). Eles são preciosos ou valiosos simplesmente porque provêm das profundezas incomensuráveis da sabedoria de Deus. Se se fizer a tentativa de contá-los, então seria o mesmo que contar os grãos de areia. Se tal contagem faz dormir, então, ao acordar, o salmista ainda descobre que sua mente está preocupada com seu Deus. Esta é uma rica meditação.[8]
ILUSTRAÇÃO
Certa vez, em um de seus orfanatos, George Muller, um grande missionário, sentou-se a mesa com varias crianças esfomeadas para tomar café da manhã. Porém, não tinha comida para oferecer, então George Mller, orou agradecendo a Deus pelo alimento, que Ele era capaz de oferecer. Quando terminou a sua oração, alguém bateu a porta daquele orfanato, era o padeiro, que se sentia incomodado a noite inteira e resolveu acordar as 2 da manha para fazer pão para as crianças do orfanato. Então, entregou os pães, e quando todos iam come-los, a porta foi batida novamente, era o leiteiro, que tinha acabado de quebrar o seu carro na porta do orfanato, e era impossível chegar a seu destino, então, ele perguntou se o orfanato gostaria de ganhar aquele leite que estava disponível. Aquelas pessoas, tiveram um ótimo café da manhã.
CONCLUSÃO
Para concluir, devemos entender que temos razoes de sobra para descansarmos na soberania de Deus, afinal, Ele conhece todas as coisas, Ele está presente em todos os lugares, e Ele tem total poder sobre a Criação. E não somente isso, nada sai do seu controle, tanto é, que quando erramos no Éden, e consequentemente trouxe a desconexão com Ele, devido o Pecado, Ele fez questão de conectar novamente, enviando o seu Filho para pagar as consequências dos nossos pecados.
APLICAÇÃO
1- Conheça mais sobre Deus para descansar mais N’Ele.
2- Pregue para todos o Descanso que apenas Deus pode dar.
[1] WIESBE, Warren. Poéticos. Editora Geográfica. pg. 342.
[2] WIESBE, Warren. Poéticos. Editora Geográfica. pg. 342.
[3] Harman, A. (2011). Salmos. (V. G. Martins, Trad.) (1a edição, p. 454–455). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
[4] WIESBE, Warren. Poéticos. Editora Geográfica. pg. 342.
[5] Meister, M. F. (2009–2012). Prefácio à Edição em Português. In F. Ferreira, T. J. Santos Filho, & F. W. Ferreira (Orgs.), V. G. Martins (Trad.), Salmos (Primeira Edição, Vol. 4, p. 487–488). São José dos Campos, SP: Editora Fiel.
[6] WIESBE, Warren. Poéticos. Editora Geográfica. pg. 343.
[7] Meister, M. F. (2009–2012). Prefácio à Edição em Português. In F. Ferreira, T. J. Santos Filho, & F. W. Ferreira (Orgs.), V. G. Martins (Trad.), Salmos (Primeira Edição, Vol. 4, p. 490–491). São José dos Campos, SP: Editora Fiel.
[8] Harman, A. (2011). Salmos. (V. G. Martins, Trad.) (1a edição, p. 456). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
Related Media
Related Sermons