Faithlife Sermons

Como filhos do Pai

Lucas - Parte 1: Galileia  •  Sermon  •  Submitted
0 ratings
· 1 view

O discípulo de Cristo deve viver de maneira generosa, movida por amor incondicional pelo seu próximo à imagem de Deus

Notes & Transcripts
Truísmos. 'Não faça aos outros o que você não quer que façam a você’. O que pensam? Concordam? História do Hillel. É bom, vida pacífica: a) não se intromete na vida alheia; b) cuida do que é seu, sem apropriar-se do que é do outro; c) respeita o direito alheio para ter o seu respeitado.
O renomado rabino Hillel foi desafiado por um gentio: 'ensine-me a Torá inteira enquanto consigo permanecer em um só pé', ao que Hillel respondeu 'não faça ao seu próximo o que você odeia. Esta é toda a Torá, o resto é comentário'
Ética de retribuição: criados à imagem de Deus, senso de justiça. V. 32-34: qualquer pessoa é capaz do bem retributivo. Mentalidade greco-romana: quid pro quo. Mentalidade judaica: o rigor com os inimigos. Problema: não há progresso. Água parada como um lago - cria limo, morre - não rio que fecunda, renova, traz vida. Necessidades não são atendidas, fé não exercitada e explicitada. Não há virtude alguma quando se age a espera de retribuição. É indiferença disfarçada.
Ética de Jesus Cristo, espera algo mais: aos discípulos, mas também à multidão, se assemelha a muitos ao nosso redor - curiosos, inimigos, interesses outros. Mensagem revolucionária (v. 31). Simples mudança para o positivo. Revolucionária porque quebra o limite da condição, o ‘se’, a comporta da graça. ‘Perdôo, se pedir’, ‘acolho, se mudar’, ‘dou, se receber em troca’.
Chamado ao: a) amor incondicional, atitude positiva até ao inimigo. Não apenas ação (legalismo, hipocrisia), mas uma decisão para o bem que: I. leva a falar e fazer o bem de quem fala/faz mal. Bater, humilhante na cultura judaica e na nossa. II. conduz à oração, capaz de quebrar todo rancor. b) Generosidade incondicional: manto e túnica. Nada em troca, suporta até a espoliação na confiança de que Deus provê. Não escraviza, não nos entroniza diante do outro, mas nos faz iguais pela empatia.
Não renúncia da justiça (), mas ao espírito de ira e vingança. É mal vencido com o bem, é favor que coloca brasas vivas sobre a cabeça do outro. Atitude que surpreende, desarma, liberta pelo perdão. Também condena o injusto como tolo. Vitória moral do cristão sobre seus adversários.
João 18.22–23 RA
Dizendo ele isto, um dos guardas que ali estavam deu uma bofetada em Jesus, dizendo: É assim que falas ao sumo sacerdote? Replicou-lhe Jesus: Se falei mal, dá testemunho do mal; mas, se falei bem, por que me feres?
João 18.22–23 Bíblia NVI
Quando Jesus disse isso, um dos guardas que estava perto bateu-lhe no rosto. “Isso é jeito de responder ao sumo sacerdote?”, perguntou ele. Respondeu Jesus: “Se eu disse algo de mal, denuncie o mal. Mas se falei a verdade, por que me bateu?”
Entendo a sua dificuldade. É antinatural, contracultural, injusto até. Motivos: a) Egoísmo: não dispostos a renunciar ao que consideramos nosso, ao que conquistamos com esforço - bens, direitos, reputação. Vaidade ferida pela humilhação. Abençoar e perdoar o necessitado, porque isso nos diminui. Temos nossa riqueza e coração neste mundo. b) Indiferença: em ver quem nos fere como um carente - de amor, graça, atenção, compaixão. Em sentir empatia com quem sofre. c) Autopreservação: seremos privados em dar ao outro. Esquecemos da fonte de todo o bem - e não somos nós. d) Justiça impiedosa: senso de justiça deturpado. Restaurar o equilíbrio é esmagar o outro. Não basta curar o relacionamento quebrado, é preciso humilhar, fazer beijar a lona. Vitória por pontos não vale, quero nocaute. Resultado: amor se esfria, coração endurece como pedra, distanciamento, isolamento monástico (igreja), mentalidade eu X o mundo. É preciso algo sobrenatural que produza em nós o fluir da graça.
Olhamos, então, para Jesus: amor, benignidade e generosidade e graça em ação. Perfeita encarnação destes valores. Sem egoísmo, autopreservação, justiça impiedosa. Ai de nós se assim fosse! Se egoísta ou em autopreservação: deixados à nossa própria sorte. Se inclemente: sob o peso da ira justa de Deus.
- Não fez caso de ser igual a Deus, mas entregou-se como servo. : espancado, deu a outra face, não revidou. Poderia ter chamado o seu exército que o defendesse, mas não o fez. : espoliado de suas roupas, exposto nu na cruz; mas não fez caso da humilhação (; ). : não fez caso de que o fazia por inimigos, por quem o odiava, por quem queria ver-se livre dele - por mim e por você. : de tal modo que por sua humilhação fomos sarados.
Filipenses 2.5–7 Bíblia NVI
Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus, que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens.
Filipenses 2.5–7 RA
Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana,
Lucas 22.63–65 Bíblia NVI
Os homens que estavam detendo Jesus começaram a zombar dele e a bater nele. Cobriam seus olhos e perguntavam: “Profetize! Quem foi que lhe bateu?” E lhe dirigiam muitas outras palavras de insulto.
Mateus 27.35 Bíblia NVI
Depois de o crucificarem, dividiram as roupas dele, tirando sortes.
Lucas 22.63–65 RA
Os que detinham Jesus zombavam dele, davam-lhe pancadas e, vendando-lhe os olhos, diziam: Profetiza-nos: quem é que te bateu? E muitas outras coisas diziam contra ele, blasfemando.
Isaías 53.7 Bíblia NVI
Ele foi oprimido e afligido; e, contudo, não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado para o matadouro, e como uma ovelha que diante de seus tosquiadores fica calada, ele não abriu a sua boca.
Mateus 27.35 RA
Depois de o crucificarem, repartiram entre si as suas vestes, tirando a sorte.
1Pedro 2.23 Bíblia NVI
Quando insultado, não revidava; quando sofria, não fazia ameaças, mas entregava-se àquele que julga com justiça.
Romanos 5.8–10 Bíblia NVI
Mas Deus demonstra seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores. Como agora fomos justificados por seu sangue, muito mais ainda, por meio dele, seremos salvos da ira de Deus! Se quando éramos inimigos de Deus fomos reconciliados com ele mediante a morte de seu Filho, quanto mais agora, tendo sido reconciliados, seremos salvos por sua vida!
Isaías 53.7 RA
Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca; como cordeiro foi levado ao matadouro; e, como ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a boca.
Isaías 53.5 Bíblia NVI
Mas ele foi transpassado por causa das nossas transgressões, foi esmagado por causa de nossas iniqüidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele, e pelas suas feridas fomos curados.
1Pedro 2.23 RA
pois ele, quando ultrajado, não revidava com ultraje; quando maltratado, não fazia ameaças, mas entregava-se àquele que julga retamente,
: sendo pobre, enriqueceu a muitos. Como? : Nos entregou o que por direito era seu, a herança de todas as coisas. Daí, porque não nos preocupamos em perder neste mundo, sabendo que há algo maior que já nos pertence, herança eterna e irrevogável da parte de Deus, a qual ninguém é capaz de nos tirar. A evidência viva e visível de um Pai que não apenas nos ama ou se apieda de nós, mas cuja essência é amor e misericórdia.
Romanos 5.8–10 RA
Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores. Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira. Porque, se nós, quando inimigos, fomos reconciliados com Deus mediante a morte do seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida;
Isaías 53.5 RA
Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.
: sendo pobre, enriqueceu a muitos. Como? : Nos entregou o que por direito era seu, a herança de todas as coisas. Daí, porque não nos preocupamos em perder neste mundo, sabendo que há algo maior que já nos pertence, herança eterna e irrevogável da parte de Deus, a qual ninguém é capaz de nos tirar. A evidência viva e visível de um Pai que não apenas nos ama ou se apieda de nós, mas cuja essência é amor e misericórdia.
2Coríntios 8.9 Bíblia NVI
Pois vocês conhecem a graça de nosso Senhor Jesus Cristo que, sendo rico, se fez pobre por amor de vocês, para que por meio de sua pobreza vocês se tornassem ricos.
2Coríntios 8.9 RA
pois conheceis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, que, sendo rico, se fez pobre por amor de vós, para que, pela sua pobreza, vos tornásseis ricos.
Gálatas 4.7 Bíblia NVI
Assim, você já não é mais escravo, mas filho; e, por ser filho, Deus também o tornou herdeiro.
Gálatas 4.7 RA
De sorte que já não és escravo, porém filho; e, sendo filho, também herdeiro por Deus.
Somos filhos: cultura judaica, alguém que imita (filhos de Abraão, filhos do mundo). Mas é mais que isso: partilhamos a essência. Dia a dia, feitos à imagem de Jesus. Habilitados pelo ES a ser como ele é, a amar incondicionalmente, a irmos além do ‘não faça aos outros...’, a caminhar a segunda milha. Também sabemos o que dele recebemos: graça que acolhe, herança que satisfaz, identidade irrevogável.
O reino de Cristo, reino de paz justiça e bem. Diferente dos reinos deste mundo, que sofrem pela falta de empatia. A igreja, sinal, protótipo, modelo deste reino entendeu e praticou (). Seguiu o exemplo de seu Senhor (Estêvão, , impacto em Paulo). Ferida, deu a outra face, continuou a pregar. Mártires (Justino, decapitado pela sua fé - frase). Seu exemplo de abnegação e graça foram o triunfo sobre Roma e continuam a ser, pois o amor não pode ser vencido. A igreja é imbatível quando verdadeiramente ama.
Atos dos Apóstolos 2.42–47 Bíblia NVI
Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão, ao partir do pão e às orações. Todos estavam cheios de temor, e muitas maravilhas e sinais eram feitos pelos apóstolos. Os que criam mantinham-se unidos e tinham tudo em comum. Vendendo suas propriedades e bens, distribuíam a cada um conforme a sua necessidade. Todos os dias, continuavam a reunir-se no pátio do templo. Partiam o pão em suas casas, e juntos participavam das refeições, com alegria e sinceridade de coração, louvando a Deus e tendo a simpatia de todo o povo. E o Senhor lhes acrescentava diariamente os que iam sendo salvos.
Atos dos Apóstolos 7.60 Bíblia NVI
Então caiu de joelhos e bradou: “Senhor, não os consideres culpados deste pecado”. E, tendo dito isso, adormeceu.
"Nós que outrora guardamos dinheiro e posses mais do que qualquer outra coisa, agora estesouramos tudo o que temos para todos e compartilhamos com todos que precisam. Nós que odiamos e assassinamos uns aos outros agora vivemos juntos e compartilhamos a mesma mesa. Oramos pelos nossos inimigos e tentamos ganhar aqueles que nos odeiam."
Agir com bondade é devolver a Deus o que ele nos dá. Ele não pode ser recompensado, então nos ordena a devolver a bondade a outros. Passe adiante a misericórdia e bondade de Deus.
Vitória de Deus, pregadora na Paulista, 10 anos. A menina é chamada de minipastora e tem influenciado a comunidade LGBT. “Eu amo as pocs (termo usado para apelidar os gays), mas, na verdade, é um pecado”, disse. “Cada um escolhe o que quer ser. Eu tenho muitos amigos LGBTs e não quero machucar nenhum deles”, afirma. Foi criticando os gays que Vitória virou meme. Em 2017, ela foi até as redes sociais e defendeu que Deus “não criou Adão e Ivo”. Também ficou ao lado do pastor e deputado Marco Feliciano (Podemos-SP).A contenda com os LGBTs só deixou de existir quando ela fez um vídeo no Instagram mandando um beijo para as “pocs” e disse que iria orar por todos eles. A ação da menina foi inspirada por um internauta.“Ela virou ícone a partir disso. Não sabia o que era uma poc, mas foi superfofa. E mesmo quando soube o que nós éramos, ela continuou nos amando”, disse o bailarino Daniel Anjos, 24, após assistir ao show da artista na av. Paulista, SP. Vitória diz que vai seguir cantando nas ruas, o lugar onde “uma missionária deve estar”. Para o empresário Fábio Domingues, 35, “na inocência, ela está fazendo o que as igrejas nunca foram capazes de fazer: amar as pessoas independentemente do que elas são”, conclui.
Qual o poder de um testemunho como este? E o que ele diz a nosso respeito? Uma ideia revolucionária. Pense em um mundo tocado pelo amor de Cristo através das vidas transformadas da Igreja. Pense numa Santana impactada pela graça. Pense em sua família renovada pelo acolhimento e perdão sem restrições.
Jesus nos chama a agirmos como filhos de nosso Pai, a aprendermos a amar, sem esperar nada em troca.
Somos chamados a desenvolver, na Igreja, uma sociedade com valores alternativos, incompreensíveis ao mundo, segundo o padrão divino. Nós somos chamados a transtornar o mundo indiferente e cheio de desamor, a virar de cabeça para baixo as suas estruturas a partir do amor de Deus.
Devemos estar dispostos a nos expor por amor às pessoas, prontos a admitirmos o risco do amor. Sermos resilientes diante das forças das trevas que querem nos conduzir ao ódio, à vingança, o endurecimento.Um compromisso inarredável de amar, mesmo ao que nos odeia.
* A atitude de benignidade e graça é extremamente necessária em tempos tão partidários. Graça para acolher o diferente, ainda que não concordemos com a sua opinião.
A atitude de benignidade e graça é extremamente necessária em tempos tão polarizados. Graça para acolher o diferente, ainda que não concordemos com a sua opinião.
Não devemos esperar reconhecimento ou paga pelo que fazemos de bom. Maior recompensa que qualquer homem possa nos dar vem da parte de Deus.
Sobretudo, precisamos entender que é preciso uma ação sobrenatural para cumprirmos o que está sendo dito aqui. Devemos buscar em oração o favor e poder de Deus, pedindo que ele nos transforme à imagem de Cristo.
Que o Senhor dia a dia nos leve a amar mais, a ele e as pessoas à nossa volta, tão carentes e dependentes de amor como nós mesmos.
* Devemos estar dispostos
Related Media
Related Sermons