Faithlife Sermons

Como Deus restaurou Davi

A mensagem de 2 Samuel  •  Sermon  •  Submitted
0 ratings
· 36 views

Como Deus tratou o pecado de Davi? Como ele trata o nosso pecado? Ele tratou Davi por meio do confronto, disciplina e consolo.

Files
Notes
Transcript
Handout
Sermon Tone Analysis
A
D
F
J
S
Emotion
A
C
T
Language
O
C
E
A
E
Social
View more →
Ler o texto de 2Sm 12.1-25
2 Samuel 12:1–25 RA
O Senhor enviou Natã a Davi. Chegando Natã a Davi, disse-lhe: Havia numa cidade dois homens, um rico e outro pobre. Tinha o rico ovelhas e gado em grande número; mas o pobre não tinha coisa nenhuma, senão uma cordeirinha que comprara e criara, e que em sua casa crescera, junto com seus filhos; comia do seu bocado e do seu copo bebia; dormia nos seus braços, e a tinha como filha. Vindo um viajante ao homem rico, não quis este tomar das suas ovelhas e do gado para dar de comer ao viajante que viera a ele; mas tomou a cordeirinha do homem pobre e a preparou para o homem que lhe havia chegado. Então, o furor de Davi se acendeu sobremaneira contra aquele homem, e disse a Natã: Tão certo como vive o Senhor, o homem que fez isso deve ser morto. E pela cordeirinha restituirá quatro vezes, porque fez tal coisa e porque não se compadeceu. Então, disse Natã a Davi: Tu és o homem. Assim diz o Senhor, Deus de Israel: Eu te ungi rei sobre Israel e eu te livrei das mãos de Saul; dei-te a casa de teu senhor e as mulheres de teu senhor em teus braços e também te dei a casa de Israel e de Judá; e, se isto fora pouco, eu teria acrescentado tais e tais coisas. Por que, pois, desprezaste a palavra do Senhor, fazendo o que era mau perante ele? A Urias, o heteu, feriste à espada; e a sua mulher tomaste por mulher, depois de o matar com a espada dos filhos de Amom. Agora, pois, não se apartará a espada jamais da tua casa, porquanto me desprezaste e tomaste a mulher de Urias, o heteu, para ser tua mulher. Assim diz o Senhor: Eis que da tua própria casa suscitarei o mal sobre ti, e tomarei tuas mulheres à tua própria vista, e as darei a teu próximo, o qual se deitará com elas, em plena luz deste sol. Porque tu o fizeste em oculto, mas eu farei isto perante todo o Israel e perante o sol. Então, disse Davi a Natã: Pequei contra o Senhor. Disse Natã a Davi: Também o Senhor te perdoou o teu pecado; não morrerás. Mas, posto que com isto deste motivo a que blasfemassem os inimigos do Senhor, também o filho que te nasceu morrerá. Então, Natã foi para sua casa. E o Senhor feriu a criança que a mulher de Urias dera à luz a Davi; e a criança adoeceu gravemente. Buscou Davi a Deus pela criança; jejuou Davi e, vindo, passou a noite prostrado em terra. Então, os anciãos da sua casa se achegaram a ele, para o levantar da terra; porém ele não quis e não comeu com eles. Ao sétimo dia, morreu a criança; e temiam os servos de Davi informá-lo de que a criança era morta, porque diziam: Eis que, estando a criança ainda viva, lhe falávamos, porém não dava ouvidos à nossa voz; como, pois, lhe diremos que a criança é morta? Porque mais se afligirá. Viu, porém, Davi que seus servos cochichavam uns com os outros e entendeu que a criança era morta, pelo que disse aos seus servos: É morta a criança? Eles responderam: Morreu. Então, Davi se levantou da terra; lavou-se, ungiu-se, mudou de vestes, entrou na Casa do Senhor e adorou; depois, veio para sua casa e pediu pão; puseram-no diante dele, e ele comeu. Disseram-lhe seus servos: Que é isto que fizeste? Pela criança viva jejuaste e choraste; porém, depois que ela morreu, te levantaste e comeste pão. Respondeu ele: Vivendo ainda a criança, jejuei e chorei, porque dizia: Quem sabe se o Senhor se compadecerá de mim, e continuará viva a criança? Porém, agora que é morta, por que jejuaria eu? Poderei eu fazê-la voltar? Eu irei a ela, porém ela não voltará para mim. Então, Davi veio a Bate-Seba, consolou-a e se deitou com ela; teve ela um filho a quem Davi deu o nome de Salomão; e o Senhor o amou. Davi o entregou nas mãos do profeta Natã, e este lhe chamou Jedidias, por amor do Senhor.

Introdução

Se você abrir o jornal de hoje, ou se olhar em sites da internet, verá um assunto estampado em todo lugar: o casamento do Príncipe Harry e a atriz Meghan Markle.
Por que isso está em todo lugar? Porque esse casamento envolve a instituição mais antiga do Reino Unido. Quando alguém fala sobre “família real”, logo se pensa na família britânica. Pois bem, toda a política do Reino Unido é feita em nome da rainha.
Qualquer notícia, qualquer escândalo, que acontece ali tem implicações para todo o país. Uma decisão ruim, um adultério, um divórcio, ou até mesmo uma falha de comunicação: qualquer coisa pode gerar uma crise no Reino.
Por que estou falando sobre isso? Porque a história que acabamos de ler acontece logo após um casamento. Imagine as notícias, as pessoas dizendo: “O rei se casou com Bate-Seba! E quem é Bate-Seba? Era mulher de Urias, um soldado que morreu na guerra!”
O que as pessoas não sabiam é que, por trás desse acontecimento, havia pecados escondidos, traição e morte. E em breve isso geraria uma grande crise no reino.
O livro de Samuel nos mostra que estava tudo indo bem na vida de Davi, até o momento em que ele caiu num pecado terrível (cap. 11).
Ele cometeu adultério, tomou Bate-Seba, mulher de Urias, e a engravidou;
Então Davi tentou esconder seu pecado, e causou a morte de Urias;
Por fim, ele casou-se com Bate-Seba.
Davi, o homem segundo o coração de Deus, caiu.
Veja, Deus tinha feito uma aliança com Davi. Ele prometeu a Davi que de sua dinastia viria um rei, que reinaria eternamente (2Sm 7).
Mas Davi pecou contra Deus. Fez tudo o que é contrário à sua vontade.
Será que Deus manterá a sua aliança com Davi, mesmo após um pecado tão terrível?
Sim, Deus manteve a aliança. O fato é que Deus restaurou Davi. De alguma maneira, ele tratou Davi, ele o trouxe de volta.
Hoje a minha proposta para você é olharmos para como Deus tratou o pecado de Davi, e assim ver também como ele trata o nosso pecado.
Nesse texto podemos ver três atos pelos quais Deus tratou o pecado de Davi: confronto, disciplina e consolo.

O confronto (v. 1-14)

O primeiro ato de Deus para tratar Davi é o confronto. Ele confronta Davi (2Sm 12.1-14).
Davi pensou que seu plano tinha dado certo, que seu pecado permaneceria escondido. Ele acreditou na promessa do pecado. Mas Deus não deixa assim. Ele trata o pecado, e faz isso enviando o profeta Natã (v. 1).
Natã é o mesmo profeta que anunciou a aliança de Deus com Davi (2Sm 7). Agora, ele precisa corrigir Davi.
Pensa em quando um pastor precisa disciplinar um membro da igreja. Ele o batizou, o viu crescer na fé, e agora precisa confrontá-lo.
Muitas vezes Deus faz isso conosco: ele manda alguém pra nos confrontar. E isso é uma bênção de Deus. Não tem bênção maior do que ter pessoas ao seu redor dispostas a confrontar o seu pecado, a dizer que você está errado.
A questão é: como nós reagimos quando somos confrontados?
Natã está correndo grande perigo! Ele vai confrontar o rei, que é o máximo juiz de Israel. Como pode Natã julgar o juiz? Para começar, Natã leva Davi a julgar a si mesmo. Para isso, ele leva um caso para Davi julgar.

A parábola e o julgamento (v. 1-6)

A parábola (v. 1-4)

Natã chega diante de Davi, e conta-lhe uma história de um homem rico e um homem pobre. O rico tem de tudo (v. 2), e o pobre nada tem, a não ser sua ovelhinha, que é como uma filha pra ele (v. 3).
Então aparece um viajante, e o homem rico quer ser generoso, e oferece um banquete (v. 4). Mas ele resolve tomar a ovelhinha do homem pobre, a mais preciosa, para dar esse banquete.
Veja como se encaixa com Davi e Urias! Davi era rico. Ele tinha o trono. Ele era o rei. Urias era servo de Davi, e só tinha Bate-seba. E Davi tomou Bate-Seba de Urias. Enquanto Urias lutava na guerra, Davi comia, bebia e deitava-se com sua mulher.

O veredito exagerado (v. 5)

Davi ouviu o caso ficou realmente envolvido com a história! Pois ele já foi pastor de ovelhas. Ele já foi pobre. Ele fica furioso, e dá o seu julgamento (v. 5): “esse homem deve morrer!”

O veredito correto (v. 6)

Mas aí ele se corrige (v. 6). A lei não prescreve pena de morte para casos de furto. O ladrão deve, sim, restituir quatro vezes o que foi roubado (Ex 22.1).
Mas se Davi sabia disso, por que ele condenou à morte tão rapidamente?
Por que ele é tão rápido para julgar?
Davi violou a lei de Deus, e não foi punido. Davi minimizou o seu pecado. Ele disse a Joabe (2Sm 11.25): “não pareça isso mal aos teus olhos”.
Mas agora ele é rápido para condenar o outro, indo além do que a lei exige.
Irmãos, quantas vezes nós fazemos como Davi?
Quantas vezes nós somos duros com os outros e indulgentes conosco mesmo?
Quantas vezes nós escondemos nossa culpa e vergonha agindo com severidade?
Uma coisa que devemos aprender é a ler a Bíblia contra nós mesmos.
Quantas vezes nós não ouvimos um sermão e pensamos: “Como eu gostaria que aquela pessoa estivesse aqui!”?
A gente gosta de aplicar a palavra de Deus aos outros! E é isso que Davi faz aqui. E é irônico que, sem perceber, Davi declara a própria sentença.

A descrição do pecado (v. 7-9)

Então Natã diz a Davi: "Tu és o homem" (v. 7). Gosto de imaginar que Natã apontou o dedo para Davi. Tudo se volta contra Davi. Ele é quem deve morrer.
Então agora Deus começa a julgar Davi. Imagine isto como um julgamento mesmo, num tribunal. O Senhor começa descrevendo qual foi o pecado de Davi. O que foi que Davi fez?

Davi se esqueceu das bênçãos de Deus (v. 7-8)

A primeira coisa foi que Davi se esqueceu das bênçãos de Deus. Deus abençoou Davi, pois fez uma aliança com ele.
Ele deu uma posição a Davi, o fez rei de Israel (v. 7);
Ele deu proteção a Davi, o livrou de Saul (v. 7);
Ele deu-lhe posses, nada faltava a Davi (v. 8);
Ele deu-lhe domínio sobre a casa de Israel e Judá (v. 8).
Irmãos, quando nós pecamos também nos esquecemos das bênçãos de Deus. Nos esquecemos da aliança, nos esquecemos de Deus. Foi o que Davi fez.

Davi pecou contra Deus (v. 9a)

Além disso, Davi pecou contra Deus (v. 9a). Ele desprezou a Lei de Deus e fez o que era mau a seus olhos.
O ponto aqui é que todo pecado é contra Deus. Sempre que pecamos, descumprimos os mandamentos com relação a Deus.
Nós não amamos a Deus mais que todas as coisas;
Nós nos recusamos a viver segundo seus padrões;
Nós decidimos viver segundo nosso próprio padrão.
Isso é pecar contra Deus, e é o que Davi fez.

Davi pecou contra as pessoas (v. 9b)

Além disso, Davi também pecou contra as pessoas (v. 9b). Ele pecou contra Urias, contra Bate-Seba, e ainda afetou muita gente.
O nosso pecado afeta as pessoas, e pode ter proporções que nem imaginamos.
Quantas famílias não são feridas, destruídas, pelo poder do pecado?
Quantas vezes o pecado não traz escândalo, tropeço, à igreja? Quantas vezes não envergonha a comunidade?
Quantas vezes pessoas não são feridas diretamente pelo pecado, como foram Urias e Bate-Seba?
O pecado tem um poder destrutivo. É por isso que devemos aprender a calcular o preço do pecado. Antes de pecar, imagine onde isso vai dar. Pense nas feridas. Pense nos escândalos. Vale a pena?

A sentença (v. 10-12)

Deus descreveu os pecados de Davi, e agora vai dar a sua sentença (v. 10-12). E qual é a sentença?

Davi colherá as consequências de seu pecado (v. 10-11)

A primeira coisa é que Davi colherá as consequências de seu pecado (v. 10-11). O próprio Deus é quem garantirá isso.
Davi cometeu abuso, causou mortes, e se rebelou contra Deus. Agora sua casa será tomada dessas coisas. A espada jamais sairá de sua casa.
Isso acontece a partir do capítulo 13. Seu filho, Absalão, se rebela, comete abuso, adultério e assassinato. A casa de Davi fica cheia das coisas que ele mesmo fez.

O que foi oculto será descoberto (v. 12)

A segunda coisa é que o que estava escondido será revelado (v. 12).
Davi pensou que seu pecado ficaria oculto, que ninguem veria.
Mas todos verão. Tudo será revelado.
O que foi feito às escondidas, agora será exibido a todos.

O perdão (13-14)

Uma confissão sincera (v. 13a)

Deus está confrontando Davi. Ele descreveu o seu pecado, ele deu a sentença, e Davi, surpreendentemente, responde a isso com uma confissão verdadeira (v. 13a).
Perceba que Davi faz uma confissão sem desculpas, sem justificativas. Ele não se defende. Ele só diz: “Pequei contra o Senhor”.
A Bíblia nos dá vários exemplos de confissão. Lá em 1 Samuel 15 temos um exemplo de uma falsa confissão. O rei Saul, confrontado pelo profeta Samuel, confessa seu pecado, mas se justifica. Ele diz: “eu só dei ouvidos à voz do povo!”. Aí ele diz “Vamos adorar ao Senhor!”. Saul tenta manipular Samuel.
Davi não faz isso. Ele não tenta manipular Natã.
Ele não dá nenhuma desculpa fajuta.
Ele não diz: “Você não pode me julgar!”.
Ele não diz: “Você não sabe as coisas que eu passei.”
Não, ele sabe que o que vier de Deus, seja juízo ou misericordia, é justo.
No Salmo 51, que é sobre o arrependimento de Davi, ele diz no verso 4:
Psalm 51:4 RA
Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mau perante os teus olhos, de maneira que serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar.

O perdão garantido (v. 13b)

Davi confessou seu pecado, e estava pronto para o que viesse. Mas Natã lhe respondeu: “O Senhor te perdou o teu pecado, não morrerás” (v. 13b).
O pecado de Davi é grave! Mas Deus lhe garantiu o perdão. A pena para o que Davi fez, adultério e assassinato, é a morte (Gn 9.6, Ex 21.12, Lv 20.10, 24.17, Dt 22.22). Mas aqui Davi foi livrado da morte.
E como é bom ter a certeza do perdão de Deus! Como isso traz alívio e segurança! No Salmo 32, Davi diz que enquanto calou os pecados, sentiu a mão de Deus pesando sobre ele; mas quando confessou os pecados, recebeu o perdão de Deus.
Mas como isso pode ser? Deus não é um juiz justo? O que Davi fez não foi algo grave, digno de morte? Deus pode simplesmente perdoar? Ele pode não punir alguém que cometeu abuso, adultério e assassinato? Onde já se viu um juiz justo fazer isso?
A resposta para isso está em Rm 3.25-26. Deus foi paciente, tolerante com Davi, tendo em vista a manifestação da sua justiça que ainda viria. E onde essa justiça foi manifesta? Em Cristo.
Deus perdoa Davi, porque quando olha pra ele, vê Cristo. Davi creu na promessa de um Redentor. Então Cristo pagou pelos pecados de Davi, e a justiça de Cristo foi imputada a Davi. Então, por amor a Cristo, Deus perdoa Davi.
Da mesma forma, quando Deus olha pra nós, que cremos em Jesus, ele vê Jesus. Ele morreu no nosso lugar, por nossos pecados. E nós recebemos a sua justiça. Por amor a Cristo, ele perdoa a mim e a você.
Qual é a sua reação ao confronto de Deus? Você pode fugir. Você pode dar justificativas, se fazer de vítima. Você pode dizer que ninguém pode te julgar. Mas o melhor caminho é fazer como Davi. Confesse. Confie. Espere a misericórdia e a paciência de Deus.

A disciplina anunciada (v. 14)

Mas não acabou no versículo 13. O Senhor perdoou a Davi, mas ele não deixa de discipliná-lo. Ele ainda precisa tratar Davi. Ele deve sofrer as consequências do seu pecado. E é por isso que seu filho morrerá.

A disciplina (v. 15-23)

Nós vimos que o primeiro passo pelo qual Deus trata Davi é o confronto. A segunda coisa que Deus faz é a disciplina. Deus disciplina Davi (2Sm 12.15-23).
É importante que saibamos a diferença entre disciplina e castigo. Deus não está castigando Davi. Deus não está dando a Davi o que ele merece, pois o que ele merece é morte.
O que ele está fazendo? Ele está ensinando a Davi por meio do sofrimento.

Deus fere a criança

Deus faz com que a criança fique doente (v. 15). E Davi orou, jejuou e se prostrou em terra, clamando pela vida de seu filho (v. 16). Isso deixou os anciãos muito preocupados! Eles não conseguiam levantá-lo (v. 17).
Mas a criança mesmo assim morreu. Todos ficaram com medo da reação de Davi. Ninguém queria ser o portador de más notícias (v. 18).
Irmãos, não é algo fácil de entender porque isso teve de acontecer. Não é fácil de entender os desígnios de Deus.
Mas o que quero observar com você é que Deus trabalhou em Davi em meio ao sofrimento. Em meio ao temporal, Davi pôde reconhecer a Deus.

A humilhação e adoração de Davi

Davi não se desesperou. Pelo contrário, ele se recompôs e foi adorar a Deus (v. 20). Essa é uma reação surpreendente! Por que Davi faz isso? Ele mesmo responde (v. 22):
Primeiro, Davi orou e jejuou porque sabia que Deus é compassivo e misericordioso. Veja, Davi reconhece quem é Deus! Davi sabe, como a Bíblia diz, que Deus é “compassivo, clemente, longânimo e grande em misericórdia e fidelidade” (Ex 34.6)! Por isso, deposita nele sua esperança!
Quantas vezes nós não buscamos mais a Deus em meio ao sofrimento?
Quantas vezes nós não oramos mais em meio ao sofrimento, e depositamos em Deus a nossa esperança?
Mas agora a criança morreu, e não há nada que possa ser feito (v. 23). Davi não pode trazê-la de volta. Ele se conforma com a justiça de Deus. Ele reconhece a soberania de Deus.
Veja como Deus trabalhou em Davi em meio ao sofrimento! Ele se humilhou perante Deus. Ele adorou a Deus. Ele se submeteu aos desígnios de Deus.
Deus disciplina seus filhos que estão em pecado.
Ele pode fazer isso por meio da igreja, da disciplina eclesiástica.
Ele pode fazê-lo pelo sofrimento, permitindo que você sofra as consequências do pecado.
A disciplina de Deus dói. Mas ela não é um sinal de que você está perdido.
Pelo contrário, Deus trabalha em nós por meio da disciplina.
Ele nos ensinar a depender mais dele. Ele nos traz de volta.
Mas a pergunta que Davi levantou (v. 22) ainda precisa ser respondida:
Será que o Senhor ainda se compadecerá de Davi?
Será que a vida de Davi será só sofrimento daqui para frente?

O consolo (v. 24-25)

Que bom que a escuridão não dura para sempre! Nós vimos que Deus confrontou e disciplinou Davi. O terceiro passo é o consolo. Deus consola Davi (2Sm 12.24-25).

Davi oferece consolo (v. 24a)

Em primeiro lugar, nós podemos ver o resultado do que Deus operou em Davi. Davi aceitou a realidade da graça e do julgamento de Deus. Ele agora pode consolar Bate-Seba (v. 24a). Davi foi consolado no coração, e agora pode oferecer consolo.
Algo simples para nós aqui é: muitas vezes o sofrimento nos habilita a consolar outras pessoas. Muitas vezes somos consolados para poder também consolar. Deus pode usar pessoas para consolar em meio ao sofrimento.

Identidade e dignidade restauradas (v. 24b)

Em segundo lugar, vemos consolo no fato de que Bate-Seba, enfim, é chamada pelo nome. Perceba que desde que ela foi apresentada (2Sm 11.3), em nenhum momento depois o narrador a chama de Bate-Seba, mas sim de “mulher de Urias” (2Sm 11.26, 12.9, 15). Mas agora ele usa o seu nome. O que isso quer nos dizer?
Antes, ela era a mulher que Davi tomou de Urias. Mas agora ela é Bate-Seba, mulher de Davi. Sua identidade e dignidade foram restauradas. E da descendência de Bate-Seba ainda virá o Redentor, pois ela está na genealogia de Jesus Cristo (Mt 1.6).
Algo importante aqui para nós é: se Deus perdoou você, não há mais condenação. Não há mais indignidade. Não há mais culpa. O peso da mão de Deus não está mais sobre você. Que consolo saber disso!

O nascimento de Salomão (v. 24c)

Em terceiro lugar, Deus amou o filho de Davi e Bate-Seba. Essa é a maior evidência do consolo de Deus.
O nascimento de Salomão é um suspiro de paz após o sofrimento. O nome Salomão é derivado da palavra Shalom, que significa “paz”.
Salomão é uma lembrança a Davi do perdão e das promessas de Deus. Deus prometeu a Davi que lhe daria um descendente que reinaria eternamente. Deus não anulou a sua aliança, e Davi creu nisso.
A promessa de Deus se cumpre em Jesus Cristo. Jesus é o Rei Eterno. Ele é o Príncipe da Paz. E a figura de Salomão aponta para Jesus, e nos mostra que Davi creu na promessa de Deus.
Nós cremos nisso. Sabemos que o Filho de Davi já veio. Nós temos paz com Deus por meio dele. Nós não estamos mais sob condenação. Nossos peados foram perdoados, pois Jesus morreu em nosso lugar.
Isso sim é um verdadeiro consolo!

De volta ao trabalho (v. 26-31)

Em quarto lugar, vemos o conforto de Deus na vida de Davi quando ele volta ao trabalho (v. 26-31). Lembre-se de que tudo começou, no capítulo 11, quando Davi deixou de ir à guerra e ficou em casa. Agora, ele assume novamente o seu papel. Davi lidera o povo e, enfim, obtém vitória.
Deus restaura seus filhos.
Ele lhes assegura do perdão. Ele lhes assegura da continuidade da aliança;
Ele lhes devolve a alegria, e mostra o seu amor. Ele não ficará zangado para sempre;
Ele nos traz de volta para a obra. Ele nos recoloca no caminho, para que façamos o que temos de fazer.
Não importa o quão devastados estejamos, o conforto vem de Deus (Is 40.1-2, 9-11, 28-31).

Conclusão

Isso é algo que Israel experimentou, quando estava no exílio na Babilônia. Ao mesmo tempo em que sofriam, sabiam que aquilo havia de acabar. Pois junto com o juízo, os profetas anunciaram a restauração, a misericordia de Deus.
Isso é algo que podemos experimentar. Deus trata o nosso pecado. Ele nos confronta, nos perdoa, nos disciplina, trabalha em nossa vida e, por fim, a luz brilha novamente. Porque temos paz com Deus. Porque temos Jesus. Que Deus nos abençoe.
Related Media
Related Sermons