Faithlife Sermons

SOB O DOMÍNIO DA LEI

Lucas - Parte 1: Galileia  •  Sermon  •  Submitted
0 ratings
· 6 views

Somente por meio de Jesus, o perfeito cumpridor da Lei, homens imperfeitos, sujeitos à mesma Lei podem entrar em um relacionamento de amizade e paz com Deus

Notes & Transcripts
Lucas 2.21–40 RA
Completados oito dias para ser circuncidado o menino, deram-lhe o nome de Jesus, como lhe chamara o anjo, antes de ser concebido. Passados os dias da purificação deles segundo a Lei de Moisés, levaram-no a Jerusalém para o apresentarem ao Senhor, conforme o que está escrito na Lei do Senhor: Todo primogênito ao Senhor será consagrado; e para oferecer um sacrifício, segundo o que está escrito na referida Lei: Um par de rolas ou dois pombinhos. Havia em Jerusalém um homem chamado Simeão; homem este justo e piedoso que esperava a consolação de Israel; e o Espírito Santo estava sobre ele. Revelara-lhe o Espírito Santo que não passaria pela morte antes de ver o Cristo do Senhor. Movido pelo Espírito, foi ao templo; e, quando os pais trouxeram o menino Jesus para fazerem com ele o que a Lei ordenava, Simeão o tomou nos braços e louvou a Deus, dizendo: Agora, Senhor, podes despedir em paz o teu servo, segundo a tua palavra; porque os meus olhos já viram a tua salvação, a qual preparaste diante de todos os povos: luz para revelação aos gentios, e para glória do teu povo de Israel. E estavam o pai e a mãe do menino admirados do que dele se dizia. Simeão os abençoou e disse a Maria, mãe do menino: Eis que este menino está destinado tanto para ruína como para levantamento de muitos em Israel e para ser alvo de contradição (também uma espada traspassará a tua própria alma), para que se manifestem os pensamentos de muitos corações. Havia uma profetisa, chamada Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser, avançada em dias, que vivera com seu marido sete anos desde que se casara e que era viúva de oitenta e quatro anos. Esta não deixava o templo, mas adorava noite e dia em jejuns e orações. E, chegando naquela hora, dava graças a Deus e falava a respeito do menino a todos os que esperavam a redenção de Jerusalém. Cumpridas todas as ordenanças segundo a Lei do Senhor, voltaram para a Galileia, para a sua cidade de Nazaré. Crescia o menino e se fortalecia, enchendo-se de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele.
Introdução
Precisamos lembrar da possível inquietação de Teófilo: ‘como um não judeu pode entrar em um relacionamento com Deus?’. A pergunta religiosa essencial: ‘como posso ter paz e amizade com o Senhor?’. Pergunta importante! Reflete no senso de identidade, de propósito para a vida, de pertencimento, de sentido.
Algumas respostas são universais: Deus tem um padrão moral elevado. Deus é justo. O caminho para a amizade com Deus é a obediência. No entanto, somos incoerentes: não agimos de acordo com estas certezas estabelecidas.
Deus é justo
Geram respostas distorcidas:
O caminho para a amizade com Deus é a obediência
O padrão é elevado… mas ele vai me perdoar, é o trabalho dele. Deus tolerante demais com o erro. Não há castigo, não julga. Se julga, sua consciência pode ser comprada por pequenos atos de ‘bondade’ nossos: boas obras, religião, ofertas. Pensamos em Deus como um juiz corrupto. O que você pensaria acerca de um juiz que se deixa vender por tão pouco?
É justo, mas ele não castiga.
Falsa percepção de si mesmo: sou capaz de me aproximar de Deus. Sou uma boa pessoa: não bebo, não fumo, sou um bom marido e um bom pai. Não tenho nada que me impeça de ser aceito por Deus. Falsa impressão de que ‘passaremos raspando’ no teste.
Ignoramos duas verdades simples e diretas da Escritura: e . Que esperança, então resta em nós mesmos?
Romanos 3.23 RA
pois todos pecaram e carecem da glória de Deus,
Romanos 6.23a RA
porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.
Explicação
(clique) O texto: uma mensagem de esperança, de pessoas que esperavam não em si mesmas, mas no Senhor.
José e Maria. Circuncisão, nome da criança. Até 40 dias após o parto, mulher cerimonialmente impura. Ritual de purificação e consagração do primogênito, nos termos da Lei. O sacrifício: a provável humildade de Maria e José.
'A ideia subjacente ao ritual de redenção era esta: na noite da libertação de Israel da "casa da servidão" todos os egípcios primogênitos foram mortos. Não obstante, ante os santos olhos de Deus, não só os egípcios, mas também os israelitas haviam perdido a vida. Em lugar da morte, Deus estava disposto a aceitar da tribo de Levi o serviço vitalício, primeiro no tabernáculo, e depois no templo, e dos primogênitos das demais tribos cinco siclos como oferenda simbólica, como se fosse uma confissão'.
O sacrifício: a provável humildade de Maria e José.
Um encontro: Simeão e Ana. Aguardavam a consolação de Israel, a libertação do povo de Deus. Gente devota, persistente na fé (explicar a promessa à Simeão e a permanência de Ana). Gente justificada por uma esperança. Gente atraída a Cristo por meio do Espírito.
Muitos outros piedosos estavam no Templo, mas não foram até Jesus. Por quê? Porque piedade apenas, religião apenas não pode levar ninguém a Cristo. É obra da graça de Deus pelo Espírito, em revelar a Jesus e nos levar até ele.
A idade de Simeão e Ana: nunca se é velho demais para contemplar o cumprimento das promessas de Deus. Jamais pense que você não tem mais nada a esperar. No reino de Deus não existe aposentadoria.
Depois do encontro, a família volta a Nazaré. O crescimento de Jesus: coerente com o crescimento normal e natural de qualquer criança. Ele se fez como um de nós. O mais importante hoje: como qualquer um de nós, inclusive, colocando-se debaixo da Lei.

SOB O DOMÍNIO DA LEI

Jesus, foi perfeitamente obediente à Lei, em favor de gente incapaz de cumprir a Lei. Assim, pela sua obediência nós, gentios ou judeus podemos entrar num relacionamento de amizade e paz com o Senhor; mas isto exige de nós uma resposta positiva à oferta de graça que Deus faz.

A perfeita obediência de Jesus

. Jesus nascido de mulher: vemos seu crescimento comum. Mais importante: sob a Lei. Obediente em todas as determinações da Lei. Irrepreensível, até mesmo aos olhos dos seus adversários. Toda acusação contra ele, injusta. O único impecável de toda a Bíblia. Outros líderes: sempre alguma mancha, mas o que se pode falar contra Jesus? Os adversários podem não crer, blasfemar, zombar dele, mas há algo que eles não podem fazer: acusá-lo.
Gálatas 4.4 RA
vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei,
A obediência de Jesus no texto:
Dos pais à ordem do anjo (). Recebe o nome que está acima de todo o nome. Nome comum à época, mas o único que pode recebê-lo com propriedade. Ele é o Salvador.
Obediência à Lei judaica. Não estamos mais sujeitos à Lei cerimonial, mas ao princípio ligado a ela: pertencemos a Deus, portanto devemos obedecer a ele. Os pais de Jesus cumpriram perfeitamente a Lei (verso 39). A consagração do primogênito. Hendriksen:
'A ideia subjacente ao ritual de redenção era esta: na noite da libertação de Israel da "casa da servidão" todos os egípcios primogênitos foram mortos (). Não obstante, ante os santos olhos de Deus, não só os egípcios, mas também os israelitas haviam perdido a vida. Em lugar da morte, Deus estava disposto a aceitar da tribo de Levi o serviço vitalício, primeiro no tabernáculo, e depois no templo, e dos primogênitos das demais tribos cinco siclos como oferenda simbólica, como se fosse uma confissão'
O que confessavam? Que eram dignos de morte. Que Deus, em sua graça, os salvara. Que eles pertenciam a ele agora. A sua necessidade de salvação. Algo que se aplique a Jesus? Digno de morte? A confissão de Pilatos ().
Lucas 23.4 RA
Disse Pilatos aos principais sacerdotes e às multidões: Não vejo neste homem crime algum.
Por isso, chamado de Cordeiro sem mácula, sem mancha - (explicar à luz dos sacrifícios do AT). Fez algo que ninguém mais seria capaz.
1Pedro 1.18–19 RA
sabendo que não foi mediante coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados do vosso fútil procedimento que vossos pais vos legaram, mas pelo precioso sangue, como de cordeiro sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo,
1Pedro 1.19 RA
mas pelo precioso sangue, como de cordeiro sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo,
Por que não podemos estabelecer por nós mesmos um relacionamento com Deus? Porque estamos manchados. ILU: todos já provamos o sentimento de inadequação com uma roupa que não se encaixa, ou por estar sujos. Achamos que podemos nos aproximar de Deus com nossas manchas causadas pelo pecado? Precisamos de alguém que nos represente. Ele é Jesus, o único perfeito aos olhos de Deus.
Jesus foi perfeitamente obediente à Lei em favor daqueles que são perfeitamente desobedientes a ela.

O favor de Deus aos perfeitamente desobedientes

Os
Qualquer pessoa pode experimentar sede espiritual. Sensação de transcendência, de que existe algo maior, um propósito. Vaguear por respostas aparentemente satisfatórias, mas que terminam em ilusão. Aparentemente é bom, faz sentido, mas não traz satisfação. ILU: Lutero.
O retrato de gente sedenta por um encontro real com Deus, gente que busca respostas, que sabe que a
Ou porque
É preciso algo mais, um despertamento. O Espírito. Revelação e direção. Simeão e Ana: a esperança do Messias. Direção ao Templo. atentar para a aparentemente comum família de Jesus em meio à multidão.
Retrato de um processo que todo crente passa. História de vida, ocorrências aparentemente desconexas. Um clique. A Bíblia vista com outros olhos, verdades que antes não se via.
O que Simeão vê?
O completar de um propósito: ‘agora despede’. Palavra de dispensa de um servo que já cumpriu todas as suas tarefas, cujo propósito de vida já foi alcançado. A vida que ganha o seu sentido final. Satisfação completa.
Algo que deveria permear a vida de todos nós, a noção de que tudo já está feito. Segurança de que é impossível perder a salvação, porque ela já está comprada. Humildade em saber que não podemos dar nenhuma ‘forcinha’ para Deus, constrangendo-o a nos aceitar pelo bem que fazemos. Descanso no meio da adversidade. Simplicidade de vida, sabendo que somos os mais rico deste mundo; mas nós queremos sempre mais. Queremos ser mais amados, queremos ser mais abençoados, queremos uma vida isenta de problemas. A autorrealização torna-se um ídolo. Duas perguntas-chaves para reconhecer: 1. se você soubesse que iria morrer daqui a um minuto, partiria serenamente? 2. Se Deus tirasse tudo de você, ou nada mais te desse, sua alma estaria satisfeita?
A salvação como obra da graça de Deus: que cumpre o que diz (segundo a sua Palavra), que faz o que ninguém pode fazer (a qual preparaste), que estende as fronteiras do seu amor para além de Israel (… luz aos gentios). O que Deus faz é algo novo. Primeiro, porque retira a salvação das mãos dos homens (incapacidade, quebra da arrogância humana, a frustração da tentativa - não é algo que fazemos, é ele quem faz, a diferença do cristianismo). Segundo, porque chama para tomar parte na promessa um povo que não era povo (). A glória é de Israel - eles são os portadores da promessa - mas a bênção é para todos os povos ().
1Pedro 2.10 RA
vós, sim, que, antes, não éreis povo, mas, agora, sois povo de Deus, que não tínheis alcançado misericórdia, mas, agora, alcançastes misericórdia.
Gênesis 12.3 RA
Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra.
O que Deus faz é algo novo. Primeiro, porque retira a salvação das mãos dos homens (incapacidade, quebra da arrogância humana, a frustração da tentativa - não é algo que fazemos, é ele quem faz, a diferença do cristianismo). Segundo, porque chama para tomar parte na promessa um povo que não era povo (). A glória é de Israel - eles são os portadores da promessa - mas a bênção é para todos os povo ().
Um novo caminho. A perspectiva humana: uma salvação que eu construo. Salvação no seu sentido mais amplo (ciência, estudo, trabalho árduo, moralidade, religião). A perspectiva divina: salvação é algo que Deus faz: ao entregar Jesus a nós, a nos chamar pelo seu Espírito, ao revelar a nossa miséria, a nos dar a fé salvadora, a nos santificar dia a dia, a nos dar a esperança da glória.
A fidelidade de Deus: ‘segundo a tua palavra’. Simeão sabe que Deus cumpriu o que prometeu. O Espírito o convenceu da verdade. Ele pode entregar-se porque o seu coração está convencido de que o menino que tem nos braços é o Salvador prometido.
Não é mais uma questão de suas origens, é uma questão do que acontece a partir do momento que você encontra Jesus. Não importa, Teófilo, se você foi um gentio descrente até agora, importa que, agora, a porta está aberta.
É possível ler acerca de Jesus e convencer-se acerca de muita coisa sobre ele: bom, mestre, exemplo de vida. Conhecimento intelectual, que não transforma. Felicidade: reconhecer no coração da verdade do que a Bíblia diz. Transformação, horizonte, ousadia. Descanso e paz. Provar que cada promessa de Deus é verdadeira.
O caminho de sofrimento do Messias. Esqueça raças, sexo, nacionalidades, preferências sexuais ou políticas. Humanidade dividida em apenas dois grupos: os que acolhem Jesus é os que o rejeitam.
Jesus, a pedra (). Um fundamento para a vida ou uma bola de demolição. Não há meio termo, não há mera simpatia por Jesus. Tudo ou nada, vida ou morte, céu ou inferno ().
1Pedro 2.6–8 RA
Pois isso está na Escritura: Eis que ponho em Sião uma pedra angular, eleita e preciosa; e quem nela crer não será, de modo algum, envergonhado. Para vós outros, portanto, os que credes, é a preciosidade; mas, para os descrentes, A pedra que os construtores rejeitaram, essa veio a ser a principal pedra, angular e: Pedra de tropeço e rocha de ofensa. São estes os que tropeçam na palavra, sendo desobedientes, para o que também foram postos.
João 14.6 RA
Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.
Uma mensagem incômoda. Destrói a falsa imagem de um Deus permissivo. Lança luz sobre o pecado que se esconde nas trevas, expõe a hipocrisia do coração, ridiculariza a arrogância humana. Não à toa Jesus foi perseguido e morto. Sofrimento que compartilhamos por medida (Maria, explicar).
Uma mensagem de esperança: sim, o homem pode entrar em um relacionamento de amizade e paz com Deus. Não depende de você, de seus esforços, de sua moralidade falida, mas da perfeição de Cristo em seu lugar. O Filho perfeito de Deus,
Isto nos leva a Ana. Com ela aprendemos que:
A salvação não dependente ou procedente de homens: ‘a qual preparaste’. Um processo histórico, um plano de grandeza e abrangência inexplicáveis. Sai de Ur, passa pelo Egito e pela Babilônia, enfrenta reis e generais, fidelidade e infidelidade do povo. Quem mais poderia fazer o que Deus fez? Algo tão elaborado e complexo, além de qualquer possibilidade humana.
Vida cristã, uma maratona, não uma corrida de 100 metros rasos. Ver a promessa se cumprir demanda perseverança. Quem põe a mão no arado e olha para trás não é digno do Reino. ILU: a trilha inca - dificuldade até Intipunku. Pense quando você chegar à ‘Porta do Sol’. Você lembrará da dor? Acha que Ana se lembrou dos 84 anos de espera?
Tentar alcançar a salvação é uma tolice. Está além de qualquer capacidade. Como formigas tentando alcançar as estrelas. Arrogância humana sem fim, acha que pode salvar-se ou salvar este mundo pela ciência, educação, moralidade. Por isso vivemos o tempo da frustração - cada vez mais cheios de recursos, cada vez piores moralmente, civilizatoriamente.
A gloriosa extensão da salvação: ‘… luz para revelação aos gentios...’. Lucas: preste atenção, Teófilo - não mais apenas para os judeus! A estes cabe a glória de serem os portadores da promessa, o berço de Jesus, os que trouxeram a história da salvação até aqui (). O cumprimento da promessa à Abraão ()
Isaías 49.6 RA
Sim, diz ele: Pouco é o seres meu servo, para restaurares as tribos de Jacó e tornares a trazer os remanescentes de Israel; também te dei como luz para os gentios, para seres a minha salvação até à extremidade da terra.
Gênesis 12.3 RA
Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra.
O cumprimento da promessa à Abraão ()
A perfeita obediência de Cristo em favor de pessoas de todos os povos. Gente que antes vivia em trevas, mas que agora vê a luz do mundo (). Gente que não pertencia ao povo da promessa, mas que agora possui uma herança ( - pedir para abrir).
1Pedro 2.10 RA
vós, sim, que, antes, não éreis povo, mas, agora, sois povo de Deus, que não tínheis alcançado misericórdia, mas, agora, alcançastes misericórdia.
Encontro gera testemunho: Jesus é uma notícia grande demais para ser retida. É vida que transborda pelos poros do que crê, mesmo sob risco de sofrimento.
A perfeita obediência de Cristo em favor de pessoas de todos os povos. Gente que antes vivia em trevas, mas que agora vê a luz do mundo.
Efésios 2.11–22 RA
Portanto, lembrai-vos de que, outrora, vós, gentios na carne, chamados incircuncisão por aqueles que se intitulam circuncisos, na carne, por mãos humanas, naquele tempo, estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança e sem Deus no mundo. Mas, agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, fostes aproximados pelo sangue de Cristo. Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um; e, tendo derribado a parede da separação que estava no meio, a inimizade, aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz, e reconciliasse ambos em um só corpo com Deus, por intermédio da cruz, destruindo por ela a inimizade. E, vindo, evangelizou paz a vós outros que estáveis longe e paz também aos que estavam perto; porque, por ele, ambos temos acesso ao Pai em um Espírito. Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus, edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular; no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor, no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito.
Uma porta aberta a todos. Aos descrentes: a oportunidade. Aos crentes: a lembrança do privilégio. Inseridos em uma história que não era nossa.
Nem todos, porém, reconhecem o privilégio e a oportunidade. Nem todos abraçam a graça de Deus. Há sofrimento no caminho do Messias e de sua família.
. Jesus é uma pedra, um divisor da humanidade em dois grupos
A humanidade dividida. Raças, sexo, opções políticas - tudo uma grande bobagem. A real divisão baseada em uma só pergunta: ‘quem é Jesus?’
. Para alguns pedra angular, gente que faz dele a base segura de sua vida. Para outros pedra de tropeço, que esmaga e destrói, gente que odeia a luz porque a luz expõe as suas obras más, a sua ignorância, a sua situação de miséria sob a capa de perfeição. Não há neutralidade possível. Por isso, repito a pergunta: ‘quem é Jesus?’
1Pedro 2.6–8 RA
Pois isso está na Escritura: Eis que ponho em Sião uma pedra angular, eleita e preciosa; e quem nela crer não será, de modo algum, envergonhado. Para vós outros, portanto, os que credes, é a preciosidade; mas, para os descrentes, A pedra que os construtores rejeitaram, essa veio a ser a principal pedra, angular e: Pedra de tropeço e rocha de ofensa. São estes os que tropeçam na palavra, sendo desobedientes, para o que também foram postos.
O caminho de Cristo é ou um caminho de paz e amizade com Deus ou um caminho de morte e destruição (). A vida é mais simples do que parece.
2Coríntios 2.15–16 RA
Porque nós somos para com Deus o bom perfume de Cristo, tanto nos que são salvos como nos que se perdem. Para com estes, cheiro de morte para morte; para com aqueles, aroma de vida para vida. Quem, porém, é suficiente para estas coisas?
2Coríntios 2.16 RA
Para com estes, cheiro de morte para morte; para com aqueles, aroma de vida para vida. Quem, porém, é suficiente para estas coisas?
Antes de escolher o caminho, considere o custo. Como Maria, nós nos identificamos com o sofrimento de Jesus. Se aqueles que preferiram permanecer em trevas rejeitaram a ele, o que farão conosco? Você está pronto a sofrer?
Considere também Ana: o caminho de Cristo não é uma corrida de 100 metros rasos, mas uma maratona. Exige persistência, resiliência e principalmente fé. Quantas vezes parece que as promessas são demoradas demais! Quanto tempo esta mulher esperou? O evangelho, contrário à visão imediatista de hoje que quer tudo e quer agora.
Ana é o protótipo de quem encontrou realmente com Jesus: inamovível na fé, persistente do testemunho. Outros precisam saber que a espera não é em vão.
Conclusão
O favor de Deus, a perfeita obediência de Cristo dada por aqueles perfeitamente desobedientes: obra de graça e amor, por rebeldes como eu e você, por gente que está sob a Lei, mas é incapaz de cumpri-la.
Aplicação
Quer desfrutar de paz e amizade com Deus?
Receber a perfeita justiça de Cristo:
Pare de tentar, receba, é um presente. Ouça a voz do Espírito que te aponta a Cristo.
Por uma entrega pessoal de vida a ele
Descanse na suficiência dele. Por que viver ansioso, com incerteza, inseguro sobre a sua posição ou identidade quando tudo já está consumado?
Descansando na suficiência do que ele fez
Persevere. A caminhada é longa, o caminho é estreito, mas o destino vale a pena.
Para terminar, um poema do americano T. S. Elliot. Um poema de esperança, mesmo quando tudo parece morte ao redor. ‘O cântico de Simeão’.
Senhor, os jacintos romanos estão florescendo em tigelas e
O sol de inverno passa pelas colinas de neve;
A temporada teimosa ganhou posse.
Minha vida é leve, aguardando o vento da morte,
Como uma pena na parte de trás da minha mão.
Poeira na luz solar e memória nos cantos
Aguarda o vento que congela em direção à terra morta.
Conceda-nos a paz.
Passei muitos anos nesta cidade,
Mantive a fé e jejuei, provi para os pobres,
Tomei e dei honra e tranquilidade.
Nunca houve nenhum rejeitado à minha porta.
Quem se lembrará da minha casa, onde viverão os filhos de meus filhos
Quando chegar a hora da tristeza?
Eles tomarão o caminho da cabra e a casa da raposa,
Fugindo dos rostos estrangeiros e das espadas estrangeiras.
Antes do tempo de cordas e flagelos e lamentações
Conceda-nos a paz.
Antes das estações da montanha da desolação,
Antes da certa hora da tristeza materna,
Agora, nesta época de nascimento do falecimento,
Deixe o Infante, a Palavra ainda desconhecida e sem voz,
Conceda o consolo a Israel
Para quem tem oitenta anos e nenhum amanhã.
De acordo com a sua palavra,
Eles devem louvá-lo e sofrer em cada geração
Com glória e escárnio,
Luz sobre a luz, montando a escada dos santos.
Não é para mim o martírio, o êxtase do pensamento e da oração,
Não é para mim a visão final.
Conceda-me a tua paz.
(E uma espada perfurará o seu coração,
O teu também).
Estou cansado da minha própria vida e das vidas daqueles depois de mim,
Estou morrendo em minha própria morte e as mortes daqueles depois de mim.
Deixe o seu servo partir,
Tendo visto a sua salvação.
Related Media
Related Sermons