Faithlife Sermons

A canção de liberdade de Zacarias

Lucas - Parte 1: Galileia  •  Sermon  •  Submitted
0 ratings
· 24 views

Zacarias celebra o nascimento de Jesus e João como o prenúncio de que o tempo de cumprimento da promessa de Deus feita a Abraão de libertação havia chegado.

Notes
Transcript
. Vamos nos focar do verso 67 em diante.
Lucas 1.57–80 RA
A Isabel cumpriu-se o tempo de dar à luz, e teve um filho. Ouviram os seus vizinhos e parentes que o Senhor usara de grande misericórdia para com ela e participaram do seu regozijo. Sucedeu que, no oitavo dia, foram circuncidar o menino e queriam dar-lhe o nome de seu pai, Zacarias. De modo nenhum! Respondeu sua mãe. Pelo contrário, ele deve ser chamado João. Disseram-lhe: Ninguém há na tua parentela que tenha este nome. E perguntaram, por acenos, ao pai do menino que nome queria que lhe dessem. Então, pedindo ele uma tabuinha, escreveu: João é o seu nome. E todos se admiraram. Imediatamente, a boca se lhe abriu, e, desimpedida a língua, falava louvando a Deus. Sucedeu que todos os seus vizinhos ficaram possuídos de temor, e por toda a região montanhosa da Judeia foram divulgadas estas coisas. Todos os que as ouviram guardavam-nas no coração, dizendo: Que virá a ser, pois, este menino? E a mão do Senhor estava com ele. Zacarias, seu pai, cheio do Espírito Santo, profetizou, dizendo: Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, porque visitou e redimiu o seu povo, e nos suscitou plena e poderosa salvação na casa de Davi, seu servo, como prometera, desde a antiguidade, por boca dos seus santos profetas, para nos libertar dos nossos inimigos e das mãos de todos os que nos odeiam; para usar de misericórdia com os nossos pais e lembrar-se da sua santa aliança e do juramento que fez a Abraão, o nosso pai, de conceder-nos que, livres das mãos de inimigos, o adorássemos sem temor, em santidade e justiça perante ele, todos os nossos dias. Tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo, porque precederás o Senhor, preparando-lhe os caminhos, para dar ao seu povo conhecimento da salvação, no redimi-lo dos seus pecados, graças à entranhável misericórdia de nosso Deus, pela qual nos visitará o sol nascente das alturas, para alumiar os que jazem nas trevas e na sombra da morte, e dirigir os nossos pés pelo caminho da paz. O menino crescia e se fortalecia em espírito. E viveu nos desertos até ao dia em que havia de manifestar-se a Israel.
Introdução
(clique) Em que consiste a verdadeira liberdade? ILU: Foto da semana. Ausência de limites, viver sem que alguém diga a você o que fazer?
O conceito de liberdade individual - Iluminismo, séc. XVIII. No entanto, até meados do século XX, vida pautada por valores aparentemente inquestionáveis: família, respeito ao outro, consideração à autoridade, civilidade. Até os movimentos de contracultura, sob a influência do existencialismo (busca da experiência, valorização do ‘aqui e agora’).
Resultado: desintegração, desorientação, vazio. Sociedade que se esfacela, na ausência de marcos que a orientem.
Mensagem de hoje: um olhar para a verdadeira liberdade que traz vida, apz e bem.
Explicação (clique)
Nascimento de João
Nascimento de João, circuncisão (explicar os costumes quanto ao nome)
Um ato de grande misericórdia - Deus livrou Isabel e Zacarias da vergonha da esterilidade. Tema recorrente de Lucas, a exaltação dos humilhados. Grande alegria
Circuncisão de João, o ‘batismo’
Costumes quanto ao nome. ‘Zacarias Jr.’? Isabel: ‘de modo nenhum’. João éo seu nome. A pressão do costume não é um motivo para desobedecer a Deus - nem mesmo na igreja - tradicionalismo
‘Por sinais’ - não quer dizer que Zacarias estava surdo, é que a mudez estava associada à surdez.
‘Por sinais’ - não quer dizer que Zacarias estava surdo, é que a mudez estava associada à surdez.
Zacarias: um homem humilde. Aprendeu com a repreensão de Deus, algo que nem todos fazem. Aprendeu que as bênçãos de Deus tem o tempo e modo certos. É preciso humildade para aprender com as duras lições da vida e reconhecer a bondade dos propósitos de Deus
A resposta na tabuinha de cera. ‘O seu nome é João’. O nome já havia sido dado por Deus.
A resposta na tabuinha de cera. ‘O seu nome é João’. O nome já havia sido dado por Deus.
João, ‘Deus é gracioso’. Aparente discrepância com um ministério marcado pelo juízo, pelo chamado ao arrependimento; mas este é obra da graça que leva à salvação.
Ponto-chave: a convicção de que Deus está em ação, de que aquela criança tem um papel especial na obra da redenção.
Convicção partilhada pelo povo, diante de mais um sinal dentre outros que vinham presenciando: a mudez de Zacarias é revertida.
Testemunho (os ‘causos’ do interior), temor, inquietação: ‘o que será desta criança, sobre quem está a mão do Senhor?’.
Lucas é um mestre da narrativa. Ele deixa o leitor em suspense. Vai retomar no capítulo 3, com João já adulto. Nem Isabel, nem Zacarias, nem o povo se enganaram, um grande destino estava reservado para o menino.
Mas, enquanto isso, Zacarias tem a língua solta. e ele canta. É mais um dos cânticos de Lucas, como o de alegria de Isabel ou o da fé de Maria.

A canção de liberdade de Zacarias

O Espírito Santo: um tema importante em Lucas. O início da era do Espírito, conforme profetizado por . Uma família cheia do Espírito! É profecia porque anuncia a vontade de Deus, não necessariamente o futuro.
Joel 2.28 RA
E acontecerá, depois, que derramarei o meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos velhos sonharão, e vossos jovens terão visões;
O tema central do cântico: Deus está cumprindo as promessas de libertação ao seu povo. Vejamos a promessa
Mais uma vez ele
(clique) Verso 68: Deus visitou o seu povo. Visitação, geralmente ligada à presença abençoadora de Deus. O Senhor se revela para o bem dos seus. Redimir: é resgatar, livrar do perigo, do dano.
Maravilhoso saber que temos um Deus que intercede na história para o nosso bem, que não nos abandona. Ele age em nosso favor para nos resgatar e nos livrar, como veremos a seguir. Como um pai, que se apressa ao ver o filho em perigo iminente.
(clique) Do que ele nos redime? Da ira de Deus pelos nossos pecados (v. 77). Ele paga o preço de nossas ofensas contra o Senhor.
Um ato de misericórdia de Deus (v. 72 e 77), uma misericórdia que toma as entranhas de Deus (v. 78). Deus nos ama ‘do fundo do coração’.
Um amor profundo, intenso, capaz de oferecer seu Filho em nosso lugar.
Um amor imerecido - é graça, misericórdia, bondade de Deus para pecadores como eu e você.
Amor que nos redime da culpa do pecado diante de Deus, que nos liberta do poder do pecado na vida presente e que nos libertará da presença do pecado, quando de nosso encontro com Cristo.
Por que esquivar-se de seu amor? Por que procurar fora uma satisfação que você encontrará apenas em Deus?
(clique) V. 69: Ele nos suscitou ‘poderosa salvação’: Lit. ‘um chifre de salvação’. Chifre, não o sentido atual. Um símbolo de força destruidora, como a de um touro forte que avança contra o toureiro. Na casa de Davi: a humildade de Zacarias. A poderosa salvação não vinha de João, seu filho, mas do descendente de Davi. Jesus, o filho terreno de José, da família do rei, conforme a promessa a Davi de um reino eterno.
Um rei forte, invencível, contra quem céus e inferno não podem prevalecer. Crentes intimidados pelos inimigos da fé, pelo diabo, pelo pecado. O rei é triunfante!
v. 70: ‘conforme a promessa’. Deus é o autor, os profetas são os porta-vozes. Por exemplo .
Jeremias 23.5–6 RA
Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que levantarei a Davi um Renovo justo; e, rei que é, reinará, e agirá sabiamente, e executará o juízo e a justiça na terra. Nos seus dias, Judá será salvo, e Israel habitará seguro; será este o seu nome, com que será chamado: Senhor, Justiça Nossa.
A fidelidade da Palavra de Deus, eterna e imutável. Não há impossíveis para Deus, exceto um: a mentira. O caráter de Deus é fiel e verdadeiro, é digno de toda confiança. FHC: ‘esqueçam o que escrevi’. Não é assim - jamais - com Deus.
(clique) O que Deus faria para nos salvar e redimir?
V. 71: Ele nos liberta de nossos inimigos. Comentaristas - libertação política. Mas é o Espírito que fala! Inimigos: a carne, o mundo, o diabo. O cativeiro do pecado.
V. 72: ele usaria de misericórdia com o seu povo. Se com os inimigos rigor, com os que o temem benignidade, bondade, nos termos da aliança
Para que ele nos liberta? V. 74-75: Para sermos integralmente dele. Simonton, final do diário (copiar). deve ser o maior desejo de todo crente.
V. 75: Serviço em santidade e justiça
(clique) Desejo que se manifesta em serviço. Adoração = serviço. Criados para boas obras (). Não pode haver crente ocioso.
Para o seu serviço. Não há crente
Efésios 2.8–10 RA
Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie. Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.
Serviço destemido, sem medo de Deus nem dos homens (). De Deus, porque Cristo nos reconciliou com o Pai, dos homens, porque estes nada podem fazer conosco que não tenha sido determinado por quem nos guarda e ama.
Sofonias 3.15 RA
O Senhor afastou as sentenças que eram contra ti e lançou fora o teu inimigo. O Rei de Israel, o Senhor, está no meio de ti; tu já não verás mal algum.
V. 75: Serviço santo e justo. Fazer o que é certo, sem a mancha do pecado. Viver como gente justa diante de Deus, que de nada tem o que se envergonhar. Serviço diante dele: Zacarias fala como sacerdote. Nós também sacerdotes, apresentando a Deus dia a dia um sacrifício vivo de obediência - . Serviço contínuo: não apenas em dias especiais como Natal, Páscoa ou o domingo, mas hoje, amanhã e para sempre.
Serviço diante dele: Zacarias fala como sacerdote. Nós também sacerdotes, apresentando a Deus dia a dia um sacrifício vivo de obediência - .
Romanos 12.1 RA
Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.
Crente é soldado, sempre pronto a entrar em ação. É escoteiro, sempre alerta. É um mordomo, sempre preparado para obedecer e servir o seu Senhor.
V. 76: João é o precursor do sol da justiça. Ele prepara o caminho do Senhor, chamando as pessoas ao arrependimento que leva à salvação. É o avermelhar do céu ante do sol da justiça nascer. Um cumprimento de .
Malaquias 4.2 RA
Mas para vós outros que temeis o meu nome nascerá o sol da justiça, trazendo salvação nas suas asas; saireis e saltareis como bezerros soltos da estrebaria.
Sol que vem do alto: a origem de Jesus. Ele não é um homem qualquer, é o Filho do Deus Altíssimo, o Senhor absoluto sobre todos e sobre tudo.
Sol que vem do alto
Sol que vem para manifestar a luz sobre os que estão literalmente, assentados em trevas. Trevas da ignorância, da ilusão. Trevas da depravação do pecado. Trevas do desalento, da desesperança. ILU: o poder vivificante do sol. Luz e calor, que vem trazer vida e alegria onde só há tristeza, desorientação e morte.
Os que estavam assentados em trevas agora caminham vigorosamente no caminho da paz. A paz, primeiramente com Deus pela reconciliação, é o caminho de Cristo. Paz que nos leva a ter paz também com o próximo e conosco mesmos.
Considere as trevas que podem haver em sua vida. Não é tempo de considerar abrir as janelas para que o sol da justiça entre?
Conclusão
Conclusão
O cântico de Zacarias é um cântico de liberdade, de vida. É um chamado a servir ao Senhor livremente, sabendo que já fomos perdoados pelos nossos pecados. É viver na perspectiva da vitória de Cristo e de tudo o que ele nos conquistou.
Aplicação
Início: em que consiste a verdadeira liberdade? Agora que sabe: você é realmente livre? Já encontrou perdão, paz, alegria? Já encontrou a verdadeira vida em Jesus?
Se já é livre, por que se permite escravizar novamente?
Como livre, como está a vida de serviço? Vive mais para si mesmo do que para seu Senhor?
Que a vida seja a celebração da liberdade, conquistada pelo Filho do Altíssimo
Related Media
Related Sermons