Faithlife Sermons

O que é a igreja?

Sermon  •  Submitted
0 ratings
· 20 views

O que é e qual a função da igreja?Existe uma confusão em torno do papel dela?

Notes
Transcript

O que é a Igreja?

Falando de igreja eu gosto muito da afirmação da Confissão Belga:
“Cremos e confessamos uma só igreja católica ou universal. Ela é uma santa congregação e assembleia dos verdadeiros crentes em Cristo, que esperam toda a sua salvação de Jesus Cristo, lavados pelo seu sangue, santificados e selados pelo Espírito Santo.
Essa igreja existe desde o princípio do mundo e existirá até o fim, pois Cristo é um Rei eterno que não pode estar sem súditos. Essa santa igreja é mantida por Deus contra o furor do mundo inteiro, mesmo que, ás vezes, por algum tempo, seja muito pequena e, na opinião dos homens, quase desapareça.
Assim, Deus guardou para si, na perigosa época de Acabe, sete mil homens que não tinham dobrado os joelhos a Baal.
A santa igreja também não está situada, fixada ou limitada em certo lugar, ou ligada a certas pessoas; mas está espalhada e dispersa pelo mundo inteiro. Contudo, está integrada e unida, de coração e vontade, no mesmo Espírito, pelo poder da fé.
Essa definição é bem completa no que tange ao que é a igreja.
Historicamente a ideia de “igreja” existe desde o credo dos apóstolos que diz: “Creio na santa igreja católica”, óbvio que o que o credo diz não é a respeito da denominação “icar”, mas no sentido em que o termo “católica” significa universal. Mostrando que a crença dos apóstolos era de que existe a igreja, e que ela é composta por membros de todas as partes do mundo, todas as tribos, nações, povos e raças.
Ao final do primeiro século, os pais da igreja compreendiam que ela era o povo de Deus, a nova sociedade espiritual de crentes em Jesus, na qual se entrava pelo batismo. O Didaqué, ou Ensino dos Doze Apóstolos, contém instruções para o culto cristão, com menção da prática do batismo, do jejum, da ceia do Senhor e das orações.

O que a Bíblia diz?

No Antigo Testamento.

Como em outra várias doutrinas, o conceito de igreja faz parte da revelação progressiva nas Escrituras. O Antigo Testamento não contém uma noção de igreja plenamente desenvolvida. Num sentido preciso, não é correto falar de “igreja” no Antigo Testamento, pois o povo de Deus existia num contexto político e nacional sem paralelo com o Novo Testamento. Não obstante, o conceito de povo de Deus, Israel, mostra o início de ideias centrais para entender a natureza da igreja.
No hebraico, qahal é a palavra que frequentemente descreve a assembleia do povo de Deus. O termo significa uma multidão ou grupo que se reúne especialmente para propósitos religiosos. Em relação ao povo de Deus, isto inclui uma reunião em resposta ao chamado de Deus. (; ,; ).
Outra palavra que indicava uma congregação ou assembleia e que descreve toda a congregação de Israel é eda. Esta palavra vem da raiz yada, que significa “apontar, nomear” e representa uma assembleia apontada. É usada para significar a comunidade religiosa nacional a que o indivíduo pertencia por nascimento (; ,; ). Devemos notar que, na Septuaginta , em Josué, Juízes, 1 e 2 Samuel, 1 e 2 Reis, 1 e 2 Crônicas, Esdras e Neemias, qahal é sempre traduzida por ekklesia. No Pentateuco, com exceção de Deuteronômio, o termo hebraico, na Septuaginta, é traduzido por synagoge.
No Novo Testamento estas características do povo de Deus são ampliadas na congregação, a igreja, o que é uma evidência em favor da continuidade espiritual com o povo de Deus do Antigo Testamento. Apesar de ser parte de duas instituições diferentes, a unidade do povo de Deus justifica a conclusão de que ambos são membros do único corpo de Cristo, a igreja invisível, que inclui todos os remidos de todos os tempos.

Novo Testamento.

O vocábulo ekklesia pode ser traduzido como “congregação” e “assembleia”, mas na maioria das vezes é traduzido como “igreja”. A palavra em sua origem significa “ajuntamento popular”, que eram as assembleias locais dos homens livres, que tinham o direito de voto na Grécia antiga. Nessas assembleias, os magistrados decidiam a vida jurídica dos cidadãos. No grego clássico, segundo vários escritores e inscrições antigas, seria a “assembleia do povo”, em Atenas e na maioria das cidades gregas. A partícula ek significa “para fora”, tendo-se em mente que um arauto convocava a população para vir “para fora” de sua residência, para uma reunião.
No Novo Testamento, ekklesia designa congregações locais (; ; ) ou a comunidade dos redimidos, a igreja invisível e universal (; ). No Novo Testamento, a palavra ekklesia nunca é usada para designar um prédio, uma denominação ou a influência cristã na sociedade, mas os grupos locais (; ; ) e todo o povo de Deus, através dos séculos (; ; ). O Novo Testamento ensina que a igreja local, embora unida a todo o povo de Deus, é uma igreja completa. Todas as promessas de Deus se aplicam a ela, e Cristo, o cabeça e Senhor da igreja, acha-se tão presente ali como em qualquer entidade mais ampla ().

Imagens da igreja no Novo Testamento.

Podemos ressaltar várias imagens da igreja no Novo Testamento.
Ela é o povo de Deus (; ; ; ).
Ela é a herdeira das promessas do Antigo Testamento (; ; , Cf )
A igreja é a noiva, e Cristo é o noivo, personificando o amor de Deus expresso de maneira suprema em seu sacrifício por ela. (; , )
A igreja também é o edifício de Deus. Jesus ensinou que a localização geográfica não é o principal fator para nos aproximarmos de Deus (). O templo, como o centro de culto, seria destruído (). Por outro lado, Cristo é a pedra fundamental (; ,), na qual o povo de Deus é edificado como santuário de Deus () e habitação de Deus no Espírito ().
A igreja é o rebanho de Deus, pastoreada por Jesus (), o supremo Pastor do rebanho de Deus (; ; ), que ofereceu sua vida por suas ovelhas () Os ministros são pastores auxiliares do rebanho de Deus (; ; ). A igreja depende completamente de Deus para ser guiada, protegida e alimentada. ().

Quem fundou a igreja?

A igreja foi fundada por Cristo. ()

Quem é o líder da igreja?

A igreja é o rebanho de Deus, pastoreada por Jesus (), o supremo Pastor do rebanho de Deus (; ; ), que ofereceu sua vida por suas ovelhas () Os ministros são pastores auxiliares do rebanho de Deus (; ; ). A igreja depende completamente de Deus para ser guiada, protegida e alimentada. ().
Cristo é o cabeça da Igreja. (; ,)

Qual a função da igreja.

A igreja existe para ser uma comunidade de adoração. João Calvino listou os dois elementos que definem o cristianismo, os quais, em suas palavras constituem “o todo da substância do cristianismo”. Esses dois elementos são primeiramente “um conhecimento da maneira certa de se adorar a Deus; e o segundo é a fonte de onde emana a salvação”. Para calvino, a adoração deve ser o interesse central dos cristãos. Não é uma questão periférica, mas a substância última da fé cristã. Temos alguns exemplos de adoração a Deus (; ,)
Em segundo lugar, a igreja existe na comunhão entre os cristãos, sendo que a comunhão e a glorificação de Deus pela igreja acham-se intimamente ligadas (). A comunhão significa participar juntos em algo, sendo esta uma marca da igreja desde o seu início. Em casos de mau comportamento, porém, a pessoa podia ser excluída da comunhão (; ). E esta (a comunhão) não se estendia aos que negavam a “doutrina dos apóstolos” (). Sua manifestação especial era o amor sacrificial e abnegado pelos irmãos que seria um sinal da cova comunidade () e um meio de levar o mundo a crer em sua mensagem ().
Em terceiro lugar, a igreja existe para ser uma comunidade de ministério. Na igreja de Cristo ninguém tem autonomia para se autonomear para o ministério cristão. Pastores, presbíteros e diáconos, todos, sem exceção, precisam ser chamados por Deus para servir nesses oficios ().
Em quarto lugar, a igreja existe para ser uma comunidade de testemunho. A tarefa entregue por Jesus à igreja envolve o testemunho da fé cristã, para todas as pessoas (). Nesse testemunho, a atenção deve estar centrada na obra objetiva de Deus em Cristo. Infelizmente, testemunhar tem sido muitas vezes restringido ao ato de contar como a pessoa chegou a fé salvadora. A evangelização deve envolver bem mais do que isso. Não há dúvida de que, em certos pontos, o relato de como Deus tratou conosco pode ser útil para ilustrar e autenticar a quem falamos, mas a essência do testemunho está em levar as pessoas a Cristo, buscando confortá-las com sua obra de salvação. Usando o Novo Testamento, podemos listar os elementos que são o cerne da pregação do evangelho: 1) o fato de que as promessas feitas por Deus no Antigo Testamento foram cumpridas com o advento de Jesus, o Messias; 2) no seu batismo, Jesus foi ungido por Deus como o Messias; 3) depois de ser batizado, Jesus começou seu ministério na Galiléia; 4) Jesus conduziu um ministério beneficente, fazendo o bem e operando milagres poderosos pelo poder de Deus; 5) o Messias foi crucificado de acordo com os propósitos de Deus; 6) Jesus ressuscitou dentre os mortos e apareceu aos discípulos; 7) Jesus foi exaltado por Deus e recebeu o título de Senhor; 8) Jesus concedeu o Espírito Santo para formar a nova comunidade do povo de Deus; 9) Jesus voltará para o julgamento e a reconciliação de todas as coisas; 10) todo o que ouve a mensagem deve arrepender-se de seus pecados e ser batizado. Ainda que com algumas variações, todos esses elementos estão presentes na pregação da igreja do Novo Testamento e precisam guiar a apresentação do evangelho hoje.
Em quinto lugar, a igreja existe para ser uma comunidade de serviço. A base do serviço cristão é a doutrina do sacerdócio de todos os crentes. Seguindo Martinho Luitero, essa doutrina pode ser resumida da seguinte forma: 1) Todo cristão é sacerdote de alguém; somos sacerdotes uns dos outros. 2) Esse sacerdócio deriva diretamente de Cristo, pois somos sacerdotes como ele é sacerdote. 3) Os ofícios sacerdotais, como pregar a Palavra, batizar. celebrar a ceia do Senhor, orar pelos outros, julgar a doutrina, são propriedade da comunidade. 4) O sacerdócio é uma responsabilidade tanto quanto um privilégio, pois o fato de sermos todos sacerdotes e reis significa que cada um de nós, cristãos, pode ir perante Deus e interceder pelo outro. 5) Não podemos ser cristãos sozinhos, precisamos de uma comunidade de intercessores, um sacerdócio de amigos que se ajudem, uma família em que as cargas sejam compartilhadas e suportadas mutuamente. 6) Nem todos podem ser pastores, mestres ou conselheiros. Há um só estado, mas uma variedade de ofícios e funções.

Qual não é a responsabilidade da igreja?

Não pe responsabilidade primária da igreja realizar o trabalho de ação social. Por outro lado, entretanto, os membros da igreja, como indivíduos, devem ser exortados e equipados para se envolver na ação social, minorando as desigualdades e sofrimentos também fora da igreja. Uma boa iniciativa seria que membros de igrejas locais criem organizações não-governamentais, funcionando sem o controle da igreja, mas surgidas por amor a Cristo, para agir na esfera social - ao invés de esperar pelo auxílio paternal do Estado ou da filantropia empresarial. Deve ser também destacado que o alvo da ação social não é a evangelização, mas a diminuição do sofrimento do próximo. Em conclusão, enquanto alguns tentam fazer da ação social um meio para a evangelização, e outros a veem como uma manifestação da evangelização, a ação social deve ser companheira da evangelização.
Related Media
Related Sermons