Faithlife Sermons

Imitadores que fazem discipulos

Marcos o Evangelho do Rei  •  Sermon  •  Submitted
0 ratings
· 22 views

O chamado de Jesus aos discipulos é uma prova do que devemos fazer.

Notes
Transcript
Queridos irmãos, atualmente, vivemos em tempos difíceis, marcados pela tragédia cultural, crise de princípios, perda de valores e quebra de paradigmas. Hoje a mídia, com o intuito de moldar os valores sociais e morais, dita os paradigmas a serem seguidos que são um tanto quanto capciosos e questionáveis. Olhe para as canções, para os personagens, para os heróis da sociedade, eles não são mais valorizados por sua luta pela moral, pela verdade, pelo exemplo, mas pelo princípio que eles estipulam como verdade. O que, outrora, eram valores imutáveis e tidos como corretos, hoje, à luz desta sociedade, não são mais. Estamos na era do relativismo, onde tudo parece ser relativo e não há nada peremptório e absoluto. O que nós sabemos que não é bem verdade!
Veja como as coisas desandaram. Quando pensamos no secular, a música está longe de ser aquela poesia que engrandece o amor, que faz coração bater feliz, quando se depara com a pessoa amada, ou que enaltece a divina e graciosa estatua majestosa do amor. Não ouvimos mais, adjetivos amorosos e belos sendo atribuídos as mulheres. Hoje as canções, denigrem as mulheres chamando-as de malandras, de objetos, canções que até enaltecem o estupro; a dramaturgia de igual modo, se antes levava o povo a refletir, a pensar, hoje só ensina como trair, como ser rebelde, levando jovens a olhar para o moral com algo ruim. Hoje, como nunca, devemos tomar precauções com que assistimos e deixamos nossos filhos assistirem e ouvirem, isso por que, a mídia, com o seu poder monopolizador, está ditando estereótipos a serem seguidos, levando muitos a adotarem um estilo de vida pervertido e distante do que agradável.
Perceba como as gerações mudaram seu paradigma de imitação. Você que tem mais de 30, quem você queria imitar quando era criança ou adolescente. Eu por exemplo, assistia alguns desenhos e series e me inspirava, brincava com meus irmãos, e imitávamos os lutadores, queria ser um dos Power ranges, Black camem raider; olhando para a atual geração, quem eles estão olhando e buscando imitar? Eu tenho até medo de buscar estas respostas. Mas eu quero que você pense sobre isso! Mas em meio a tudo isso, a um misto de gerações, quem você tem tentado imitar ou está imitado? Quem são os estereótipos que tens adotado e incorporado em sua vida? Quem são os modelos que tens inserido em vossa maneira de viver?
Isso é importante por que, querendo ou não, nós somos imitadores. Deus nos criou assim, isso é algo básico ao ser humano. Quando pensamos em observação e imitação, o interessante é que nós imitamos algo ou aquele que nós achamos impressionante, ninguém imita alguém que não tem relevância ou que não está em evidencia. Imitamos por que nos impressiona.
Marcos na sequência de seu evangelho, está falando sobre imitação, sobre imitar aquilo que é superior, aquilo que é impressionante, ele nos apresentou Jesus, aqule que é diferente de todos os líderes que já existiu sobre a terra. Ele é diferente por que, não veio para viver em um palácio terreno sendo servido por súditos escravizados. Marcos nos apresenta um rei diferente, que veio para viver com seu povo, que inclusive assumiu o lugar, pagando a dívida que cabia a todos. O Evangelista o apresentou como um pastor que cuida de seu rebanho, que assumiu o nosso lugar. Ao conhecer este rei, ao se impressionar com sua grandeza, o que se espera dos súditos é, imitação! Logo na sequência de sua apresentação majestosa sobre o rei, Marcos nos apresenta, o que devemos fazer com a boa nova de cristo, devemos imitar o mestre, fazendo discípulos! O nosso texto está noite fala sobre discipulado. Marcos está nos apresentando algo, que devemos com amor e dedicação imitar, o nosso senhor Jesus.
Por isso, que estas breves informações em mente eu vos convido a entender, que a Boa nova de Jesus nos leva a fazer discípulos que imitam a Cristo.
Agora, veja por que isso é importante. Acompanhe comigo o que diz o vs. 14-15.
Depois de João ter sido preso, foi Jesus para a Galiléia, pregando o evangelho de Deus, dizendo: O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo; arrependei-vos e crede no evangelho.
Veja bem, algo precisa ficar claro aqui neste inicio. Nós não temos aqui eventos que acontecem logo em seguida, do batismo e tentação de Jesus a até este momento, onde ele vai para a galileia se passou algum tempo. Provavelmente entre o batismo e a prisão de João se passaram 6 meses. Então, durante este tempo, nós temos um ministério paralelo. João ainda estava batizando no Jordão e Jesus estava ministrando na Judéia e seus dois ministérios se sobrepunham. Por um tempo os dois estavam trabalhando. Não temos concorrentes, um querendo ser maior do que o outro. Não temos João com ciúmes, por que irá perder discípulos para Jesus, ele está totalmente confortável com a situação, pois ele sabe quem é Jesus. Você o ouvirá dize: "Devo diminuir, ele deve aumentar", e Deus age neste propósito, Deus age para que ele cresça. Deus vai tira-lo de cena, João vai ser preso. Foi depois que John foi levado à custódia de que Jesus entrou na Galiléia e começou a fazer discipulos. Marcos vai nos contar sobre a prisão de João no cap. 6, chegaremos lá, mas agora ele apenas cita, para introduzir a história de um outro grande pregador, Jesus.
Olhando para as palavras de Marcos observe a simplicidade desse pregador, palavras simples mais profundas. Alguém disse que Deus só tinha um Filho, e Ele era um pregador. Ele veio para pregar com palavras e com sua vida, vivendo cada ensino, vivendo para mostrar o que realmente é se doar em prol do outro. A pregação foi o meio que Deus ordenou, para que as boas novas fossem anunciadas. E o conteúdo desta mensagem foi o evangelho de Deus. Jesus apenas anunciou o que Deus já fez na história e o que ele estava fazendo. Nenhum novo métodos, nada inventado, com simplicidade ele trouxe ao mundo a gloriosa mensagem sobre Deus.
Quando trabalhamos para Cristo o que precisamos fazer é anunciar, repetir a mensagem que veio de Deus. E qual é o evangelho do reino de Deus? No livro de Gênesis, capítulos 1 a 2, vemos que fomos criados para viver em um mundo em que todos os relacionamentos são inteiros — perfeitos em termos psicológicos e sociais — porque Deus era o Rei. Mas o capítulo 3 de Gênesis conta a próxima parte da história: que cada um de nós escolheu ser seu próprio rei. Optamos por seguir o caminho da centralidade em nós mesmos. E isso destrói os relacionamentos. O problema é que a gloria de Deus foi roubada na pregação, foi roubada das canções. Hoje não pregamos e nem cantamos mais sobre Deus, seus feitos. “o nosso Deus é soberano foi substituído por você é precioso, mais puro que o ouro de ofir”. Isso aconteceu por que o homem não gosta de nada que diz respeito a outro ou que enaltece a outro. Ele pensa nele, por isso a mensagem mudou o foco, as canções mudaram de direção. Dos poderosos feitos de Deus para o que agrada ao homem.
Não há nada que nos torne mais miseráveis (ou menos interessantes) do que a autoabsorção, ou seja, o fato de só pensar em como eu estou me sentindo, como estou me saindo, como as pessoas estão me tratando, se estou alcançando sucesso ou fracasso, se estou sendo tratado com justiça. A autoabsorção nos deixa estáticos; não há nada que cause maior desintegração. Por que temos guerras? Lutas de classe? Conflitos familiares? Por que nossos relacionamentos constantemente se desintegram? Por causa das trevas da autoabsorção, do fato de estarmos centralizados em nós mesmos.
Quando decidimos ser nosso próprio centro, nosso próprio rei, tudo o mais se desintegra: seja psicologicamente, socialmente, espiritualmente ou fisicamente. Deixamos de participar da dança. Mas todos nós ansiamos por voltar a participar dessa dança. Esse anseio está impregnado nas lendas de várias culturas, e muito embora as lendas sejam todas diferentes, todas elas têm um tema semelhante: um rei verdadeiro voltará, matará o dragão, nos beijará e nos despertará do sono da morte, nos salvará da prisão na torre, nos conduzirá de volta à dança. Um rei verdadeiro voltará para colocar tudo em seu devido lugar e restaurar o mundo inteiro. A boa-nova do reino de Deus é esta: Jesus é esse rei verdadeiro.
Agora, perceba que extraordinário. Jesus ao anunciar o evangelho, diz algo que deve encher o nosso coração de alegria e tranquilidade. Ele mostra que tudo o que acontece está sob o controle de Deus. Tudo o que está acontecendo, todas as cenas, todas as batalhas, a história da humanidade, não só estão sob o olhar de Deus, mas cumprem o seu propósito. Isso fica claro na mensagem de Jesus, quando ele diz: “O tempo está se cumprindo.”
Perceba como essa verdade é importante para nós, igreja hoje. As vezes acreditamos que Jesus veio ao mundo em uma época aleatória da história. em um dia qualquer Deus falou “é hoje, hoje você vai encarnar” mas não é assim! A bíblia nos ensina, que Deus preparou todas as coisas, ele preparou as condições do mundo da época para a encarnação do filho, e ela aconteceu no tempo determinado pelo Senhor.
Deixe eu mostrar para vocês. Quando Jesus nasce, o povo vivia em uma relativa paz, a paz romana; por isso era relativamente tranquilo para o povo viajar por aquela região levando o evangelho, logo após a conversão, de muitos, no livro de atos nós vemos justamente isso. Além disso era uma época em que havia uma língua comum, que todos na região falavam, o grego. Uma lingue que facilitou em muito a disseminação das cartas, das pregações e dos evangelhos. Deus preparou as condições para a vinda de cristo. “O tempo estava cumprido... na plenitude dos tempos, ele veio e nasceu de mulher”. A grande expectativa que durou milhares de anos desde a queda, finalmente se cumpre, o tempo chegou, o ministério daquele que esmagaria a cabeça da serpente começa, justamente quando João é preso, Deus agiu para que fosse assim.
Essa certeza é muito interessante, pois como Deus no tempo certo enviou o seu filho para inaugurar o reino, Deus também está preparando o palco do mundo para o retorno de Jesus. Tudo que acontece, a maneira como o mundo se comporta, nada disso é estranho ao Senhor ou foge do seu controle. O aumento da maldade, da apostasia, de um evangelicalismo fraco e sem conteúdo, nada disso assusta o Senhor. Assim como foi para o nascimento, também o será para o retorno. Quando se cumprir o tempo o senhor voltará. Deus está cumprindo seu propósito em meio a bagunça que está esse mundo. Assim como esteve presente e no controle, na prisão de João.
Veja isso pode assustar alguns. Quando pensamos em ações de Deus, só pensamos em coisas boas, que Deus age sempre me dando vitória, me dando livramento. Não gostamos de pensar em Deus orquestrando situações difíceis, semelhante ao que acontece aqui. Como Deus permite que um homem justo como João seja preso? Como Deus permite que uma pessoa tão crente, como fulano enfrente um câncer, perca um filho de forma tão brutal? Se Deus é tão bom por que isso acontece?
Alguns para explicar tais cenas, tais acontecimentos, para não envolver Deus em momentos assim dizem que Deus não queria, que Deus foi pego de surpresa quanto tal acontecimento aconteceu em sua família, que Deus não pode evitar que João Batista fosse preso. Mas esse não é o Deus que a bíblia ensina. O Deus que a bíblia ensina, controla tudo, está no controle de tudo, inclusive momentos assim. Sim, não gostamos da ideia de sofrer, não gostamos da ideia de passar por momentos assim. Mas, pensar que por ser filhos de Deus estamos livres das consequências do pecado nesta terra é egoísmos. E acreditar que estamos acima do pecado, acreditar que estamos acima de cristo. Pois o pai, esse Deus que muitos cobram, não poupou o seu próprio filho, ele sim estava acima do pecado, mas sofreu em seu corpo as consequências do pecado. Perdeu amigos e familiares por doenças, como foi o caso de Lázaro e seu pai José, sentiu em seu corpo os efeitos no pecado, cansaço, dores, fome, sede. Se Deus conduziu tudo para que seu filho passasse por isso, por que nos privaria de tais circunstâncias, somos melhores do que cristo?
Mas qual deve ser a nossa postura, em tempos assim? Imitar o mestre. Não somos impedidos de orar, pedindo a Deus que livre, que salve, que cure! Em um momento de Dor, o mestre orou, “pai se possível afasta de mim esse cálice, mas não seja feita a minha vontade, mas sim a sua” esse é o diferencial, é assim que devemos nos portar. Entender que a vontade de Deus é a melhor, mas não sendo aquela que esperamos. Isso não é fácil. Lidar com algo assim, é doloroso, mas há um remédio, um balsamo que nos ajuda em momentos assim e não é questionar a Deus o porquê, a saída se encontra, ver Deus como nossa esperança em meio aos sofrimentos. Vocês lembram do caso de Jó? Como foi que ele lidou com a dor, com a morte e com a pobreza? No drama de Jó, é digno observar que Deus não fala diretamente a Jó. Ele não diz: “Jó, a razão por que você está sofrendo é esta ou aquela”. Pelo contrário, no mistério deste profundo sofrimento, Deus responde a Jó revelando-se a ele, se mostrando suficiente para preencher o vazio do coração daquele homem. Esta é a sabedoria que responde à questão do sofrimento — a resposta não é por que tenho de sofrer deste modo particular, nesta época e circunstância específicas, e sim em que repousa a minha esperança em meio ao sofrimento.
A resposta a essa questão provém claramente da sabedoria do livro de Jó: o temor do Senhor, o respeito e a reverência diante de Deus, é o princípio da sabedoria. Quando estamos desnorteados e confusos por coisas que não entendemos neste mundo, não devemos buscar respostas específicas para questões específicas, e sim buscar conhecer a Deus em sua santidade, em sua justiça e em sua misericórdia. Deus conduz tudo segundo sua vontade, para a glória de seu nome.
Então, quando esse momento difícil na história acontece, a prisão de João, Jesus então vai para o norte, pregando o evangelho do reino, ele diz:
o reino de Deus está próximo; arrependei-vos e crede no evangelho.
Queridos, Jesus com estas palavras está declarando que uma mudança cósmica aconteceu na história, em um determinado momento da história humana, o eterno, o rei glorioso vem a este mundo, instaurando reino celeste, um reino que ainda não encontrou a plenitude, mas que caminha para o final. O ministério de Cristo marca o inicio do final da história, agora o que vivemos são só últimos capítulos da história humana, tudo o que Deus planejou para o homem, se cumpriu e agora é o começo do fim desse mundo, do pecado e de satanás; nós não somos meros expectadores dessa trama cósmica, Deus nos deu um papel, que é anunciar este reino, anunciar que a plenitude, que o grande dia está próximo, o reino já está entre nós, mas ainda não está consumado.
Sabedores dessa grande notícia, se espera uma atitude do povo “o reino está próximo, o grande dia vai chegar, por isso; arrependei-vos e crede no evangelho.”
Veja, a mensagem de Jesus, a postura de cada servo frente a chegada e avanço do reino não é pegar em armas, lutar até a morte para derrotar os inimigos que nos espreitam, ou, se retirar deste mundo, viver isolados para não nos contaminarmos com tanta maldade, essas são respostas erradas, essas não são a postura que deve tomar o servo frente a notícia do reino, o que Jesus diz é “ o reino de Deus está próximo; arrependei-vos e crede no evangelho.”
Arrependei-vos, este é o chamado de Jesus. É assim que devemos agir ao ouvirmos a boa noticia de cristo, arrepender-se. Mas o que seria isto? O que de fato é arrependimento e fé? A nossa confissão de fé, o documento que resume o que cremos diz assim a respeito da fé.
A graça da fé, pela qual os eleitos são habilitados a crer para a salvação das suas almas, é a obra que o Espírito de Cristo faz nos corações deles, e é ordinariamente operada pelo ministério da palavra;
Fé é a graça que vem de Deus para nossa salvação e ele só nasce em nosso coração por meio da pregação do evangelho, da mesma forma o arrependimento, é uma graça que Deus opera em nós. Ele nos dá o arrependimento, um sentimento que opera e trabalha contra o nosso pecado.
Veja bem, entenda algo. Arrependimento não é só parar de seguir um caminho, não é só dizer que não vai praticar mais. Certo comentarista afirma que arrependimento significa “dar meia-volta” ou “afastar-se de algo”. Na Bíblia, ele se refere especificamente a se afastar das coisas que Jesus abomina e se voltar para as coisas que ele ama. Arrependimento não é apenas ficar triste sentir remorso por algo cometido, mas o resultado promovido pelo verdadeiro arrependimento é você se voltar para jesus como aquele que é o único capaz de solucionar o seu problema, como aquele que na cruz, pagou o seu pecado. conversão, arrependimento é isso, é uma mudança e caminho, de rota.
Então, mediante a noticia que o reino está cumprido, que o tempo chegou, que caminhamos para o final, precisamos nos arrepender sinceramente, essa é uma postura necessária. Veja, não sei quantos de vocês assistiram aquele clássico filme Titanic. Depois que o navio se choca com o ice Berg, e aos passageiros fora anunciado que o navio iria afundar, se esperava que todos pegasse os coletes salva-vidas e se dirigissem ao local onde estavam os botes. Sim alguns o fizeram, mas outros escolheram passar os últimos instantes, com sua melhor roupa no bar, não deram ouvidos ao chamado, pereceram, pois, a salvação daquele lugar estava no bote que os tirariam daquela situação terrível. O fato de ignoraram a noticia de que o navio estava afundando, não mudava a situação, ele vai afundar.
Da mesma maneira, o evangelho é um conjunto de noticias que este mundo está afundando, mas que existe uma maneira de salvação e ela se chama Jesus Cristo, por isso se agarre a ele, somente por meio dele sua vida pode ser salva do que está reservado a este mundo. O arrependimento é a única forma de se agarrar a ele, para ser salvo. Isso é ser discípulo, é entender que o tempo se cumpriu, que tudo está seguindo como Deus planejou, que entende que o fim está próximo e não se permite viver assim em rebeldia, que é necessário crer em cristo. Noticias sobre o grande rei é dado a você domingo após domingo, por isso não tente viver com se isso fosse uma fake News, uma notícia falsa, ela é real, caminhamos para o fim. E aqui não é salve-se quem puder, é salve-se aquele que Deus chamou pelo evangelho. arrependa-se e viva para ele, imitando seus passos. Mas, como deve ser essa imitação? O que eu preciso fazer como servo arrependido?
É justamente isso que diz os versos seguintes. 16-20
Caminhando junto ao mar da Galiléia, viu os irmãos Simão e André, que lançavam a rede ao mar, porque eram pescadores. Disse-lhes Jesus: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens. Então, eles deixaram imediatamente as redes e o seguiram. Pouco mais adiante, viu Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, que estavam no barco consertando as redes. E logo os chamou. Deixando eles no barco a seu pai Zebedeu com os empregados, seguiram após Jesus.
Queridos perceba que coisa interessante. Jesus vai para o norte do país, e em sua caminhada, ele encontra com alguns irmãos, neste caso duas duplas e irmãos, ele os chama e automaticamente eles passam a seguir a Jesus. Veja como isso é interessante. Na cultura judaica, o natural era que o discípulo buscasse alguém mais sábio do que ele, alguém com quem ele tinha afinidade, que pensasse igual, para que ele o doutrinasse o ensinasse, por exemplo, Paulo busca Gamaliel para que ele o ensine sobre as verdades. Mas a natureza da relação de Jesus e seus discípulos é diferente. O que temos aqui é o mestre chamando aqueles que por natureza não era amigo dele, mas inimigos, e isso faz toda diferença no mundo. Por que o que temos aqui é o mestre chamando aqueles que naturalmente o odiava, e esse chamado é tão eficaz, que não somente é atendido, mas transforma o perdido em discípulo, transforma a vida da pessoa.
Talvez você nunca pensou em eleição nesses termos. Sempre quando falamos em predestinação, os ouvidos sentem coceiras, as pessoas não aceitam tal doutrina, por que ele parece ser agressiva. Mas veja que não é assim! Em toda a história da bíblia desde os seus primeiros capítulos, nós encontramos Deus sempre, sem exceção, chamando os homens. Deus escolheu e chamou Noé, Deus escolheu e Chamou Abraão, Chamou Isaque, Jacó, Davi. Todos eles foram chamados por Deus. foi Deus que chamou todos os discípulos, é Deus que chama o seu povo, e uma característica deste chamado é que ele é eficaz. Deus não disse, “ah, pense um pouco, veja ai se você quer mesmo construir esta arca, fica a seu critério! Ou, Vai ser bom eu te prometo, mas pense ai, é você que decide” Não! Quando Deus chama, sua voz promove vida e imediatamente, os escolhidos atendem sua voz, sem meios termos sem ressalva, eles simplesmente atendem. Como afirma um comentarista: “Não se pode ter um relacionamento com Jesus a menos que ele chame você.”
Simão é André, aqui no inicio é prova disso, Jesus os chama e eles deixam imediatamente as redes, eles vão alegremente servir o senhor.
Agora perceba que grande salvador é este que servimos. Cristo não foi ao palácio, ao templo, nos lugares onde haviam pessoas sábias. Ele não buscou os mais letrados de sua época para serem seus discípulos. Cristo buscou pessoas simples, gente pequena, que tem problemas, que enfrenta dificuldades. E ao chamar aqueles pecadores, mudou o coração. Esse é o poder envolvido no chamado, ele é capaz de mudar vidas.
Talvez você esteja aqui hoje, com uma vida arrasada, cheia de problemas, lutas, dificuldades e provações. Hoje cristo te chama a mudar para mudar de vida. Seu chamado não promete que ao sair daqui sua vida será outra, sem problemas sem dificuldades, sem lutas, não! Este não é o chamado de cristo. Ele te promete que em meio a todas estas situações, você não estará sozinho! Você poderá e terá a quem recorrer. A promessa dele é que ao mudar a sua vida, seu interior, ele lhe garente, que ao longo de tropeços, de dores, de caminhos espinhosos e sangrentos, você chegará seguro ao final da jornada. Essa é a promessa da nova vida.
Veja a história destes irmãos, pessoas simples que Jesus Chamou, eles enfrentaram problemas e dificuldades, quedas, mortes na família, doenças, mas o que eles viram ao longo da caminhada com Jesus superou todas as expectativas que um dia eles tiveram para vida deles. Eles viram o mar se acalmar, viram Jesus alimentar uma grande multidão com poucos pães e peixes, viram Jesus curar pessoas que a muitos anos sofriam, viram Jesus ressuscitar pessoas que morreram, eles não tinham ideia que ao seguir a Jesus eles veriam tantas coisas. Entenda, que você hoje seguidor de cristo, verá coisas maiores do que essa. Você ao final da jornada, quando o senhor retornar, não verá mais a natureza sofrer, você não saberá o que é fome pois ele será o nosso alimento, as doenças já não existirão, por isso, você não saberá mais o que é chorar por perder alguém, a própria morte já não existira, pois ela foi vencida na cruz, no tumulo vazio. Essas são promessas para os seguidores de cristo, que se arrependem, que mudam de vida e alegremente seguem o seu mestre.
Mas, veja que esse chamado implica em alguns deveres que você precisa observar. Jesus ao chamar Simão e André, ele diz: “Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens.”
Aqui está a grande imitação que os discípulos precisam exercitar. Pescadores de homens. Veja, esse texto quando olhamos para ele, sim entendemos, mas não temos uma visão clara do que ele significa, por isso para entende-la inverta o que você conhece sobre pesca.
Veja, quando saímos para pescar, e ficamos ali horas no barquinho pescando, nos alegramos quando pegamos um peixe grande, mas, quando retiramos o peixe da agua, o que acontece com ele? Ele morre, é natural! Ele precisa da agua limpa, cristalina para viver. Quando jesus diz que fará de nós pescadores de homens, ele quer que você veja o inverso. Os peixes, os homens, não estão nadando em aguas limpas e cristalinas, eles estão em rios polidos, onde a vida é impossível. Peixes mortos, boiando em aguas sujas e fétidas. Então, quando a verdade é lançada ao rio e o peixe é fisgado por essa verdade, ao retira-lo dessa agua imunda, algo acontece, o peixe morto começa a se debater, não querendo voltar para a agua, mas alegre por que agora ele está vivo. É a essa pescaria que fomos chamados, uma pescaria para a vida.
Cristo prometeu aos seus discípulos, que eles seriam o instrumento de Deus para pescar homens para a vida. Mas veja, isso soa meio que assustador para alguns. Quando falamos de evangelismo, de discipulado, alguns se assusta por que acreditam que não sabem fazer. Mas veja que o texto mostra que Jesus diz: “eu vos farei” a ideia do original a ênfase está em Jesus, é ele quem fara você ser aquilo que ele espera. Queridos isso é um alivio para a vida cristã, por que este é o padrão das escrituras: todos os padrões, todos os comandos que temos na bíblia a capacidade para cumpri-los, não vem de nós mesmo, mas de Deus, é ele quem capacita os chamados, os eleitos, é ele quem nos fortalece, é ele que nos ensina a pregar.
Veja sempre que falamos de eleição de chamado, as pessoas sempre perguntam “ah, se Deus já elegeu então para que pregar?” precisamos entender, que em deus não existe esta dicotomia, esta divisão, é algo natura. Foi chamado, precisa chamar! E a pregação é o método que Deus promove a fé no coração das pessoas, a pregação é a vara e o anzol que tira o peixe do mar poluído, o peixe morto não pulará em seu barco quando você passar próximo a ele. É o evangelho pregado que produz vida. E os chamados, e os discípulos, imitando o mestre, precisam pregar o evangelho para que a vida seja promovida aos perdidos. Não existe desculpa, a doutrina não serve de desculpa para não imitar o mestre. Essa é a missão dos discípulos imitar o mestre no anuncio do evangelho. O mundo está poluído, morto, precisamos lanças as redes ao mar, precisamos pregar o evangelho para que o perdido, o morto encontre vida.
Mas veja, sempre arrumamos alguns desculpas para não fazer isso. Alguns dizem, há eu sou ocupado de mais, eu deixo para os irmãos mais simples, que não são tão ocupados para fazer. Marcos nos mostra que não é bem assim que a coisa funciona. Os dois irmãos do final do texto revela isso.
O texto diz: Pouco mais adiante, viu Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, que estavam no barco consertando as redes. E logo os chamou. Deixando eles no barco a seu pai Zebedeu com os empregados, seguiram após Jesus.
Perceba que estes discípulos, os irmãos aqui, eles deixaram a vida que eles tinham, o trabalho. Tiago e João, deixaram a empresa de pesca do pai, um negocio que ia bem, um negócio bastante proeminente, de acordo com João 18:15 , João era bem conhecido dos sumos sacerdotes. Então eu não sei como eles tiveram uma conexão, mas não quero que você pense que esses caras eram pescadores pobres. Eles tiveram um negócio muito bem sucedido. Então, o senhor Jesus chama pessoas ocupadas aqui, que trabalhavam para o serviço. As vezes achamos que quem tem que servir é aquele que tem tempo sobrando, os que já estão aposentados, os adolescentes e jovens que não trabalham ainda. Mas veja, o chamado para o discipulado é um chamado para pessoas ocupadas, com responsabilidades com atividades para fazer neste mundo. Entenda algo, o texto não está dizendo que você precisa deixar sua empresa, sua carreira profissional abandonar tudo para segui-lo.
Sabemos, pela leitura do restante dos Evangelhos, que de fato esses homens pescaram de novo e continuaram a se relacionar com seus pais. Mas, ainda assim o que Jesus está dizendo provoca uma ruptura. Em culturas tradicionais, a pessoa extrai sua identidade a partir de sua família. Então, quando Jesus diz, “eu quero ter prioridade sobre a sua família”, isso é uma coisa drástica. Jesus está dizendo: “Conhecer-me, amar-me, procurar ser como eu, servir a mim, tudo isso deve se tornar a paixão suprema de sua vida. Tudo o mais vem depois disso, em segundo lugar”. Servir a Jesus, imitar a Jesus influenciará a maneira como você vive, seu ambiente de trabalho, sua maneira de se relacionar. O servo de cristo, em todas estas áreas fará tudo para honrar o seu senhor, imitando seu mestre.
Queridos irmãos, servir a cristo, imitar a cristo tem um custo, não é simples e ate envolve abandonar coisas legitimas, mas que não combinam com a imitação de nosso salvador. O chamado ao discipulado pode envolver abandono de algo com que você esteja acostumado. “envolve esperar até casar para dormir com sua namorada, envolve a forma com que você declara seu imposto de renda, o que você faz com seu dinheiro, como você trata a sua esposa. Discipulado e imitação de cristo não é algo que você faz só aos domingos, é uma mudança de vida. É mudar a direção da sua vida. Esse é um chamado radical. Romper com quem é inimigo declarado da cruz. No Evangelho de Lucas, Jesus diz a uma grande multidão: “Se alguém vier a mim, e amar pai e mãe, mulher e filhos, irmãos e irmãs, e até a própria vida mais do que a mim, não pode ser meu discípulo” (Lc 14.26).
Queridos, o discípulo deve encarar os fatos, tomar a cruz e seguir o mestre. Esse é um chamado radical. Não existe meio termo. Você não pode ser como aquele vilão do batmam que possui duas faces, uma boazinha e outra ímpia. Você foi chamado para imitar aquele que te salvou, vivendo para ele. Você precisa sair definitivamente deste barco que está afundando e se agarrar a Jesus por meio do arrependimento para ser salvo. Claro que isso não é fácil e barato, custou a vida de Jesus. Custou a vida de cada um desses discípulos, Tiago foi o primeiro a ser morto, João foi exilado, Pedro crucificado de cabeça para baixo, André, segundo a tradição teria sido crucificado numa cruz em forma de x. veja, ser discípulo sempre terá um custo. Você é chamado para a morte, para morrer para si mesmo, para suas paixões, para os desejos maus do seu coração. Mas, o evangelho de Deus está aqui para te mostrar, que este chamado também envolve um grande benefício, que vai além desta vida, que é a salvação a vida eterna. Mas, enquanto você ainda não desfruta desta herança, seu chamado envolve serviço, trabalho, discipulado. Cristo lhe chamou para lhe fazer pescadores de homens, para ser instrumentos de salvação dos perdidos. Quantos estão boiando nesse mar podre que é o mundo, e você que já está no barco, deve lanças as redes do evangelho para que os eleitos do senhor possam experimentar a vida.
Querido, você foi salvo para servir, para proclamar as boas novas e fazer discípulos para cristo. Por isso, sirva, imite o mestre, no tempo que você tem, com o dinheiro que você tem, na facilidade de falar em público, de trabalhar com as crianças, esses dons, são dados a você não é para te engrandecer, mas para que você possa usar no serviço de seu mestre, daquele que te salvou.
Queridos, a hora chegou, o tempo está cumprido, as boas novas de Deus estão diante de nós. O chamado do mestre é para hoje. Jesus está chamando um povo de toda a terra para ama-lo em imitação. E saiba de uma coisa, se você servir, se você se dedicar, a cada novo dia, a cada novo ano, você se parecerá mais com seu senhor. Buque imita-lo, Ele assumiu o nosso lugar, pagou a nossa divida, e hoje podemos ter certeza que chegaremos são e salvos ao destino final, quando esse mundo naufragar.
Related Media
Related Sermons