Faithlife Sermons

QUANDO A ESPERANÇA ACABA

Sola Gratia  •  Sermon  •  Submitted
0 ratings
· 26 views

Um convite à fé e à perseverança, tendo os olhos fixos na recompensa que, pela graça, nos será dada.

Notes & Transcripts
Apocalipse 19.9 RA
Então, me falou o anjo: Escreve: Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E acrescentou: São estas as verdadeiras palavras de Deus.

QUANDO A ESPERANÇA ACABA

Introdução
Isto É da semana passada: o Brasil voltará a sorrir - reportagem sobre o sentimento de desesperança do brasileiro em face de tanta corrupção e crise: Imagem de felicidade que sempre esteve associada ao brasileiro contrasta com a apatia e desencanto do momento atual, em que o País se sente órfão de lideranças. Um diagnóstico preciso, mas a resposta é insuficiente:
O que pode
“Fazer o Brasil voltar a sorrir como sempre só depende de nós, de como iremos votar e cobrar quem elegermos.” Uma solução dependente de seres humanos que, como sabemos, não costumam decepcionar quando o assunto é excelência moral.
Contexto
Apocalipse: escrito para dar esperança a gente sem esperança. Perseguição, sofrimento em razão de sua fé.
Ser cristão não alivia o sofrimento, muita vezes agrava. A razão pela qual não desistimos.
A seção:
O julgamento final. Babilônia, símbolo de todo pecado, do sistema atual deturpado. É julgada e já não é mais, já deixou de existir. Os que participam da sua perversidade perecem com ela
Cântico de libertação. Festa no céu. Nada mais separa Cristo do seu povo.
O Senhor há de julgar Babilônia pelos seus pecados. A sua glória há de passar e o reino eterno de Deus há de vir e permanecerá para sempre. Nisto reside a esperança do que crê, na união com Cristo, hoje incompleta, amanhã definitiva.
União descrita como um casamento:
Nos profetas - Israel como a noiva de Deus. A era do Messias como uma festa de casamento ()
Isaías 62.4–5 RA
Nunca mais te chamarão Desamparada, nem a tua terra se denominará jamais Desolada; mas chamar-te-ão Minha-Delícia; e à tua terra, Desposada; porque o Senhor se delicia em ti; e a tua terra se desposará. Porque, como o jovem desposa a donzela, assim teus filhos te desposarão a ti; como o noivo se alegra da noiva, assim de ti se alegrará o teu Deus.
Jesus também se utilizou da metáfora (a parábola de - apenas citar, sem slide)
Todo casamento é uma celebração de uma esperança de alegria duradoura. Por isso, as bodas do Cordeiro podem nos trazer esperança, quando a esperança acaba.

QUANDO A ESPERANÇA ACABA

Olhe para o Noivo

ILU: a alegria da Cláudia ao ver o Samuel no púlpito. “Ele é meu, eu vou estar com ele até o fim. Ele vai me suprir e proteger”
É por isso que, quando a esperança acaba, nós precisamos olhar para o Noivo. Ele é Jesus, o Cordeiro de Deus, nossa Rocha, nossa referência segura.
Por isso, João chama a atenção da Igreja sofredora a olhar para o Noivo. Ela precisa saber que, apesar das perseguições, está segura em suas mãos.
ILU: Meu enjôo no vôo sobre Nazca. O conselho: fixe seu olhar em um ponto de referência. Assim a desesperança: ela se estabelece quando não conseguimos ver um ponto de referência para a nossa vida.
Criados para confir e depender de um Deus que é todo providência (… e os abençoou..). Preferimos depositar nossa fé na areia movediça dos ídolos do coração
A solução de Deus: trazer-nos de volta a ele mesmo (). E, ao nos atrair a ele nos une ao seu Filho, para que, feitos um com ele, jamais nos afastemos novamente ()
Hosea 11.4 RA
Atraí-os com cordas humanas, com laços de amor; fui para eles como quem alivia o jugo de sobre as suas queixadas e me inclinei para dar-lhes de comer.
Romanos 6.5–7 RA
Porque, se fomos unidos com ele na semelhança da sua morte, certamente, o seremos também na semelhança da sua ressurreição, sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos; porquanto quem morreu está justificado do pecado.
E, unidos com Cristo, sabemos que estamos em lugar seguro, em rocha firme, inabalável ().
Mateus 7.24 RA
Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha;
E, unidos com Cristo, sabemos que estamos em lugar seguro, em rocha firme, inabalável ().
Cristo é o noivo fiel, que não nos abandonará de modo algum. Ele é o nosso bom Pastor, que como bom marido nos dá direção certa. Ele é o nosso provedor, que faz com que o pouco de dois peixes e cinco pães se torne em grande abundância. Ele é o nosso defensor contra o inimigo, o valente que venceu para que fôssemos livres da opressão. Ele está é quem faz o vento e o medo em nosso coração amainarem, sabendo que ele está no barco conosco. Porque ele venceu na cruz, todo o que crê sabe que encontrará um porto seguro ao findar esta vida.
Não há razão para desesperança quando se sabe que aquele que nos sustém é poderoso para nos guardar para si até o último dia ().
Por isso, quando a esperança acabar, olhe para o Noivo. Ele já venceu. Você que crê está unido com ele, definitivamente, pois nada pode nos separar de seu amor. E a você que não crê, fica o convite da graça de Deus, de olhar para Jesus com fé e experimentar da esperança que somente podemos encontrar nele.
Manter a esperança também é compreender o que o tempo presente representa para nós como crentes. É um tempo de preparação para o nosso encontro definitivo com Jesus.

Prepare-se como a Noiva

A preparação de uma noiva: algo custosa. Tempo, preocupações, dinheiro (cerca de 4500 reais, vestido, carro e dia da noiva). Mas não é só isto: noivas fitness, exames médicos, enxoval - tudo com vistas ao grande dia, para que a noiva esteja impecável.
A Igreja é a Noiva de Cristo: escolhida e amada por ele. Está em preparação, enquanto aguarda o grande dia. Este é o tempo do nosso noivado, como veremos mais adiante.
No texto: ela tanto é a Noiva quanto os convidados, do mesmo modo que a Nova Jerusalém tanto representa o lugar para onde vamos quanto nós mesmos.
Todos nós deveríamos estar prontos para esta união - Deus nos criou para um relacionamento com ele. O mundo deveria ser a Igreja
O pecado nos distorce de tal modo que nos tornamos de esposa de Deus em prostituta. Colocamos a criação em lugar do criador.
Como se escolhe uma noiva? Beleza, inteligência, virtude? Importantes, mas temos de reconhecer que, por fim, é uma atitude de graça, um amor inexplicável que Deus coloca em nosso coração por algupem tão imperfeito quanto nós mesmos. “Quem irá dizer que existe razão nas coisas feitas pelo coração?”
Do mesmo modo, nós somos escolhidos por graça. É preciso ser chamado:
É preciso um processo de purificação, a restauração ao plano original:
Um chamado que acontece na eternidade
Algo que acontece na eternidade
Um chamado que se concretiza em Jesus ter morrido por nós, tornando possível a reconciliação com Deus
Para os escolhidos por Deus é um convite irresistível
Um chamado que se aperfeiçoa quando respondemos em fé ao convite da graça
Para os que se perdem, é um convite inútil, facilmente substituído pelos nossos próprios interesses
Um chamado que resulta em um processo diário de santificação, que Deus opera em nós por meio da Palavra aplicada em nós pelo Espírito
De tal modo que, ao fim, Cristo pode nos apresentar a si mesmo sem mancha, como noiva perfeita, sem pecado ()
Efésios 5.25–27 RA
Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, para que a santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem de água pela palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito.
Por isso, felizes os que são chamados - desfrutarão para sempre do shalom de Deus, participarão do seu Reino, reinarão com Jesus sobre a Terra.
Tenha a certeza: no dia final você, que crê, persevera e se santifica estará pronto. Vale a pena entrar sempre pelo caminho estreito. A noiva se lembra do quanto custou chegar até o púlpito, quando o dia chega?
Cuidado para não ser como o homem que se apresentou ao jantar de bodas com as roupas indignas. A luta contra o pecado deve ser uma constante. Deus não resgatará o impenitente.
Você pode escolher não receber o convite do casamento. Mas por que o faria?
Por que você o faria, se neste casamento está a esperança que todos necessitamos para viver mesmo em meio a tempos atribulados?

Espere e anseie pelo casamento

A riqueza das metáforas bíblicas (o pastor, Babilônia). Para entender o que João quer dizer por ‘ceia das bodas do Cordeiro’ - cultura judaica:
Casamento em três fases:
Contrato - noivo vai até o pai da noiva e manifesta sua intenção de casar-se com ela. Tomam um cálice de vinho como símbolo do compromisso. São considerados legalmente casados. Pagamento do dote (explicar a ideia).
Preparação: tanto a noiva se prepara quanto o noivo parte para o seu lar e prepara a casa, o lugar onde eles irão morar
A cerimônia: o noivo vem buscar a noiva, às vezes de modo inesperado. Procissão da noiva até a câmara que o noivo preparou. A união se consuma. Banquete que pode durar até sete dias.
A imagem do texto, então, é perfeita para descrever o que é a nossa união com Cristo:
O contrato
Cristo toma o cálice da salvação do Pai. O compromisso é firmado na cruz. Legalmente, nós já pertencemos a ele. Ele já pagou o custo de nossos pecados em relação à justiça de Deus.
O noivado:
Nós estamos em preparação, como já dissemos. Enquanto isso, o Noivo está preparando o lugar - a Nova Jerusalém - onde habitaremos com ele para sempre
A cerimônia: a volta inesperada de Jesus (parábola das virgens insensatas). A procissão: o arrebatamento - nós nos encontraremos com ele nos ares, livres do juízo sobre a Terra. Nossa união com ele, definitiva, não mais em parte ou velada como hoje. O banquete: não mais por sete dias, mas por toda a eternidade
Em vista de algo tão maravilhoso que nos aguarda, como perder a esperança?
Os tempos da indignidade estarão esquecidos
O sofrimento do tempo de preparação servirá apenas para glorificarmos a Deus pela sua libertação
O prazer e o deleite da união serão eternos
Por isso,
2Coríntios 4.17–18 RA
Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação, não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que se não veem; porque as que se veem são temporais, e as que se não veem são eternas.
Conclusão
A conclusão do versículo não poderia ser mais animadora. João está escrevendo algo que é digno de fé. O anjo, mensageiro da parte de Deus - autorizado. As palavras são dignas de crédito. Palavra de ânimo a quem sofre, a quem já perdeu as esperanças. A solução não vem do homem, ela vem do alto.
Aplicação
No Apocalipse há duas cidades em conflito: Babilônia e suas uniões depravadas, a sua fornicação. Jerusalém celeste: a pureza de um casamento com o Noivo perfeito. Escolha o seu lado.
Babilônia: você provará dos seus prazeres, de sua riqueza. Você será reconhecido e receberá os tapinhas nas costas, mas o final é trágico
Jerusalém celeste: você irá sofrer, mais do que as pessoas comuns. Você será perseguido pela sua fé. Será ridicularizado e colocado de escanteio. Mas saberá que o Noivo já está com você, hoje e estará com ele para sempre, no dia do casamento.
Injeção quando era criança: “não olhe para a agulha, olhe para mim”. Você pode entregar-se ao desespero, se olhar para as circunstâncias - ou olhar para Jesus. A sua promessa é verdadeira e irá se cumprir.
Não seja uma noiva desleixada - esteja preparado, pois a vinda do Senhor é certa e repentina. Ai do que for achado relapso, quando Cristo voltar.
Seja o portador do convite. Quantas pessoas você conhece que vivem sem esperança?
Oremos para que o Senhor aumente nossa fé, a fim de suportarmos com bom ânimo o tempo da adversidade.
Related Media
Related Sermons